terça-feira, 16 de fevereiro de 2010

[Bones Fic] - What Happen in Vegas... - Cap.4

Atenção!!! NC-17!!! Be Aware!!!



Cap 4

Brennan tinha um sorriso malicioso nos lábios.


A pergunta de Booth ficou no ar e para respondê-la, Brennan envolveu o rosto dele nas mãos e beijou-o novamente. Ela deixou as mãos deslizarem pelos ombros dele acariciando enquanto os lábios moviam-se sensualmente sobre os dele. Com um movimento rápido, ela jogou a jaqueta dele no chão e correu as mãos por debaixo da camiseta fazendo Booth gemer ao toque quente contra sua pele. Ela mordiscou o lábio inferior dele apenas para distraí-lo enquanto puxava a camisa pela cabeça dele. Booth quebrou o beijo para dar acesso a ela e se livrar da peça de roupa. Ela o surpreendeu ao empurrá-lo contra a parede do quarto. Ele sentiu a boca dela passear pelo seu tórax sem cerimônia. Ela queria sentir esse peito a tanto tempo e desde aquele caso próximo ao natal sua vontade só aumentara. Ela lambeu o mamilo dele e sugou de leve. O gemido de prazer escapou dele e a reação foi imediata fazendo as calças se tornarem mais apertadas. Brennan colou o corpo no dele sentindo cada músculo contra as suas roupas. Ainda não era a melhor sensação. Afastou-se e tirou a camisa que foi direto para o chão. No segundo seguinte, ela desabotou a calça e finalmente estava na frente dele somente com a roupa de baixo.

Booth não poderia deixar de admirar aquelas curvas. O corpo esbelto e perfeito naquela pele de seda. Ela aproximou-se dele e dessa vez ele não deixou-a agir. Ele a colocou de costas pra ele e a abraçou pela cintura fazendo suas mãos deslizarem pelo abdomen liso. O toque arrepiava os cabelos dela. Ele achou os seios e os apertou sob o soutian fazendo Brennan gemer e se contorcer contra o corpo dele. Ela o provocava dançando sensualmente apenas para garantir o toque de seus corpos. A calça de Booth estava para explodir. Ele abriu o soutian dela e jogou-o no chão. Com os dedos ele fazia pequenos círculos em cada mamilo deixando-os duros e eriçados. Ela sentia o prazer aumentar cada vez mais no meio de suas pernas. Sabia o quanto estava molhada. Fazia tanto tempo que ela não sentia o prazer do sexo. Ela não queria adiar mais o momento. Virou-se para ele mas quando pensou em pedir para ele se livrar das calças foi surpreendida com a boca dele nos seus seios. Ele os beijava, sugava e apertava nos lábios levando-a a loucura. Ela deixou-se levar pelo momento, jogou a cabeça pra tras e fechou os olhos. Booth a saboreava com a boca e a língua. Ela era deliciosa demais. Podia sentir a mistura de perfume, hidratante e prazer na pele dela. Devagar, a colocou na cama e continuou a explorar o corpo a sua frente. Ele sabia que não aguentaria muito tempo mais, a dor era muito grande. Assim que chegou as coxas dela, ele as beijou internamente e ouviu os murmúrios enigmáticos que escapavam dos lábios dela. Ele tirou as calças. Não sentindo mais o toque dele, ela levantou o tronco apoiando-se nos cotovelos. A imagem que vi a fez rir. Booth estava de pé a sua frente com um boxer cheio de cavalinhos. Ela não segurou o riso que rapidamente se transformou em gargalhada. Como ele amava aquela gargalhada.

Ela sentou-se na cama olhando para ele ainda rindo.

- O que foi? Cadê seu senso de humor?

Ainda com o sorriso nos lábios, ela engatinhava para a ponta da cama somente de calcinha e empinando o bumbum propositalmente. Ela ganhava tempo para admirar o corpo belo daquele homem a sua frente. Chegando próxima a ele, ela pos-se de joelhos na cama e segurou os elástico da cueca com os dedos brincando com o mesmo. Olhando pra ele, ela puxou o boxer e finalmente libertou o membro ereto dele. A reação foi espontânea.

- Whoa!

Booth riu e olhou pra ela piscando.

- Horse!

Os dois riram da alusão. Ela apoiou-se nos ombros dele e ficou de pé na cama encostando seu corpo no dele e sorvendo os lábios com vontade. Booth envolveu as pernas dela na sua cintura deixando Brennan ciente do tamanho da ereção contra sua coxa. De repente, ele jogou-a na cama. Ela estava surpresa com o movimento. Ele arrancou a calcinha dela com um puxão. Quando a encarou tinha os olhos cheios de desejo.

- Quem está rindo agora hum?

E se deitou sobre ela tomando os lábios nos seus enquanto as mãos se entretiam nas curvas do corpo dela. Ele enfiou dois dedos na entrada úmida dela fazendo-a gritar de prazer. Ele moveu os dedos instigando e mordiscava o lóbulo da orelha dele. Ela deslizou uma mão pela costa dele procurando pelo seu objeto de desejo. Ao acha-lo, apertou a cabecinha devagar arrancando um gemido dele. Ela massageava o comprimento dele enquanto sentia os dedos dele massagenado seu clitoris. Ela ofegava, o corpo quente, a respiração difícil. Queria senti-lo agora mas quando abriu a boca somente o gemido e o prazer do orgasmo a atingiam. Ela tremia.

Booth queria ve-la assim, perdida, continuava massagenado o clitóris dela sem parar.

- Booth... eu...

E outra onda a atingia. Ele sorria pelo prazer de ver a bela mulher a sua frente se entregar tão facilmente. Ela abriu os olhos e o fitou. Buscando forças ela o empurrou para o lado e sentou-se sobre ele. Ela fincou suas mãos no peito dele e encaixou o membro ereto na sua entrada tão facilmente que o gemido de prazer provocou uma contração apertando o pênis dele contra ela.

Brennan começou a mover-se com ele, as mãos de Booth estavam na cintura dela ajudando-a a manter o ritmo. Ela passava as mãos no próprio corpo quando suas mãos encontraram a de Booth. Ela as segurou firme levando-as até os seus seios.

- Booth... vem Booth....

Seu nome era musica nos lábios dela. Aquilo só aumentou o desejo dele. O ritmo agora era intenso e ele apertava os mamilos dela. Com esforço ele se elevou da cama, ficando com a boca na direção do pescoço dela. Sugava a pele alva deixando marcas. Com uma última estocada, ele sentiu-a gozar e tomou os lábios dele num ultimo beijo antes de se envolver na onda de prazer junto com ela.

Brennan jogou o corpo sobre ele e ambos tornaram a cair na cama. Ela ainda sentia o membro dele a completar. Não queria se mover da posição que se encontrava. Podia ouvir o compassar louco do seu coração junto ao dele. A sensação de prazer era indescritível. Ela sentia falta disso. Ele a envolveu com seus braços e beijou o topo da cabeça dela.

Devagar, ela se desvencilhou do abraço e levantou-se rumo ao frigobar. Tirou duas garrafinhas de baby chandon* e voltou pra cama. Entregou uma delas para ele já aberta. As tampas ficaram em algum lugar no chão do quarto. Sentou-se na cama e Booth a acompanhou. Ela levantou a garrafa em sinal de brinde e sorriu.

- Viva Las Vegas!

Triscou sua garrafa na dele e virou num grande gole. Gotas de champagne escorreram pelo pescoço dela. Booth lambeu-as com precisão até chegar aos lábios dela. Beijou-a com paixão. Brennan deixou os lábios dele para mordiscar o pescoço dele. Ela tomou outro gole do champagne e ficou reparando no modo que ele a olhava.

- O que foi?

- Deus abençoe a tequila!

E virou o champagne na boca. Ela avançou até ele.

- Hey! Não beba tudo!

Tirou a garrafa com apenas um dedo da mão dele.

- Porque?

- Eu tenho uma experiência a fazer...

- Tava demorando a ciência atrapalhar o momento.

- Nah... você vai gostar.

Brennan o empurrou na cama e sentou-se sobre ele. Derramou o conteúdo da champagne sobre o peito dele e jogou a garrafa longe.

- Sua louca isso é vidro! Você po...

As palavras foram substituidas por gemidos ao sentir a língua dele lamber a bebida no seu corpo. Ela foi deslizando a boca pelo corpo dele e alternando com um pouco mais de champagne da outra garrafa. Quando sentiu o liquido no penis ele gemeu mas foi o grito que saiu em seguida da boca dele que a fez sorrir satisfeita. Brennan colocou o membro dele na boca e chupou.

- Ah...Tempeeee

Ia ser uma longa noite em Vegas.

9 am


Os primeiros raios de sol invadiam o quarto já batendo no rosto dela. Com uma careta, Brennan abriu devagar os olhos. Olhou para a cabeceira a procura do despertador. Estranho. Automaticamente, levantou da cama espreguiçando o corpo, esfregou os olhos e sentiu um arrepio no corpo, frio. Indo em direção ao banheiro, ela tropeçou numa garrafinha de baby chandon.

- Mas o que isso faz...

O espelho do guarda-roupa revelou a sua silhueta coberta por uma camiseta preta e parte do bumbum a amostra. De repente, um sinal de alerta acendeu-se na sua mente. Essa camisa é do...
Ela virou-se para a cama e viu seu parceiro deitado de bruços sem camisa. Roupas espalhadas pelo chão, lençois e sapatos. Pequenos flashs de memórias voltavam agora a ela como ondas. Temperance Brennan passou a mão pelo rosto.

- Damn, Tequila!


CONTINUA...




PS: * Baby Chandon é uma champagne deliciosa que é vendida em pequenas garrafinhas simbolizando doses individuais. São maravilhosas! Recomendo.

2 comentários:

Lou! disse...

Adorei!!! Mas ela não vai lembrar de nada??? Ah assim não vale! Continuaa!!

Rubine Andressa disse...

Que noite hein... Muito sensual!