terça-feira, 29 de maio de 2012

[Castle Fic] Starting Over... - Cap.1



Starting Over...

Autora: Karen Jobim

Classificação: PG-13/NC-17

Gênero: AU

Advertências: Angst,Romance – após Always

Capítulos: 1 de ?

Completa: [ ] Sim [x] Não

Resumo: Beckett e Castle estão finalmente juntos. Tudo mudou. Kate não é mais a detetive da NYPD e terá que se ajustar ao novo estilo de vida, decidir o que deverá fazer. Agora, tudo é novidade mas por quanto tempo ela gostará de brincar de casinha? E como andará a vida no 12th distrito após sua demissão?

Nota da Autora: Essa fic se passa depois da SF para analisar exatamente como seria essa nova fase da vida de Castle e Beckett. É claro que ainda estou sobre o efeito de Always e vocês verão muitos momentos cutes e NC’s. acalmem-se! Nem sempre o mundo será cor de rosa. Pra passar o hiatus.

Enjoy!

NC-17 ! Be aware...

Starting Over



Cap.1 

Kate estava deitada na cama. Já passava das dez da manhã e ela não pretendia levantar-se tão cedo. Pudera, passara a noite toda em claro. E não se arrependia um só minuto por isso. Eles foram dormir quase cinco da manhã. Um sorriso despontou em seu rosto lembrando das horas de prazer que vivera com ele. Castle. Não devia ter esperado tanto se soubesse o quanto seria bom estar nos braços dele.



Ela se aconchegou procurando pelo corpo dele para aquece-la. Descobriu que ele dormia de bruços com um dos braços sobre a cintura dela num instinto quase de possessão, como se quisesse assegurar que ela não fugiria. Ela rolou pela cama até deitar-se sobre as costas dele. Começou beijando o pescoço, os ombros e retornou a orelha logo que viu um suspiro escapar dos lábios dele dando lugar a um sorriso.



- Acorda dorminhoco...



- Que horas são? Ele perguntou sem se mover. Ela mordiscou o lóbulo da orelha dele e respondeu.



- Passa das 10, hora de me dar bom dia e tomar café... ela mordeu o ombro dele e saindo das costas de Castle se pos de frente para ele encarando-o. Ele ajeitou-se e acariciou o braço dela de leve antes de aproximar-se para beijá-la. Ela colou o corpo no dele aprofundando o beijo. Desde a primeira vez que o beijou, Kate ficou imaginando quando poderia repetir a dose, sim, ele era muito bom nisso. Podia passar horas somente agarrada aqueles lábios. Os pensamentos logo despertaram outro desejo. Ela sentiu a pele arrepiar quando ele massageou um dos seus seios com os dedos brincando com o mamilo. Gemeu em aprovação ao que ele estava fazendo. Já animada com a idéia de sexo matinal, ela empurrou-o de leve e deitou-se sobre a cintura dele sem quebrar o beijo. Sentiu as mãos deles deslizarem pelo corpo até a cintura indo fixar-se no bumbum. Ela quebrou o beijo para olhar para ele.



- Já está querendo mais, Kate?



- Por que? Nao me diga que não consegue armar o castelo pela manhã? Ela provocou.



- Não provoca... e apertou um mamilo dela entre os dedos, fazendo-a gritar – vou te mostrar como é um bom dia de verdade. O membro já estava pronto para recebê-la. Ela ergueu-se um pouco apenas para posicionar-se sobre ele sentindo aos poucos a sensação de preenchimento vencer o vazio. Ele a guiava calmamente pela cintura até estar totalmente dentro dela. Em questão de minutos, eles trabalhavam juntos, ritmados, não tinham pressa para nada. Tudo o que importava era estarem juntos.



Meia hora depois, ela andava preguiçosamente rumo a cozinha, Castle já se levantara e estava no banheiro. A exemplo do que ela fez da outra vez que dormira no apartamento dele, começou a preparar ovos para o café da manhã. Quando ele desceu, ela estava quase terminando.



- Hey, está quase pronto. Você pode preparar o café? Você é bem melhor do que eu nessa área.



- Como é? Isso foi um elogio?



- Você sabe que eu gosto do seu café... sou um desastre pra preparar a dosagem certa.



- Nossa! Estou lisonjeado. Não é todo dia que se recebe um elogio da poderosa Kate Beckett...



- Vem cá... – ela o puxou pela camisa e tascou um beijo nele – pronto, agora sim pode se sentir lisonjeado. E prepare logo meu café, meu corpo já está sentindo falta.



- Sempre mandona...



Ele ficou ao lado dela na pequena cozinha americana e fez o que ela pediu. Sentados à mesa, Castle provava os ovos enquanto ela se deliciava com o café. Na noite anterior, após fazer amor com ele, ela contara que pedira demissão. Ele mostrou-se preocupado com a decisão dela, mas Kate soube como acalmar o coração dele. Agora, ela precisava descansar.



- Quais são seus planos para hoje?



- Não sei, Alexis deve voltar até a hora do almoço e vai viajar depois de amanhã de férias com uma amiga antes da faculdade começar. Mãe está nos Hamptons. O que você quer fazer?



- Hum... você ainda me deve aquelas férias em Hamptons... – ela começava a acariciar a coxa dele, um sorriso safado formava-se no rosto de Kate – me dê seu telefone.



- Pra que? Ele olhava para ela assustado.



- Castle, apenas me dê.



Ele entregou o celular para ela e com facilidade encontrou o número de Martha. Após dois toques, ela atendeu.



- Hey, kiddo! Já com saudades de mim? Já disse que pode vir ficar comigo pra curtir sua fossa por causa da Kate.



- Olá, Martha! É a Kate... – ela ria sozinha imaginando a cara de Martha agora.



- Kate?! Mas esse telefone...OMG! O que eu falei? Kate eu ...



- Hey, tudo bem, você não disse nenhuma mentira. E estou sim ligando do celular do seu filho. Esse convite estende-se a mim?



- Convite?! Oh, é o que eu estou pensando querida?



- É...



- Ah, Kate... você não sabe como estou feliz ao ouvir isso. É claro que pode vir, melhor ainda, vou arrumar tudo aqui e volto para New York essa tarde mesmo. Quem sou eu para atrapalhar os pombinhos?



- Não precisa Martha...



- Kate, de uma mulher para outra? É claro que precisa! E diga ao meu filho que a trate como uma rainha.



- Acho que você pode dizer isso a ele, um minuto.



E passou o celular para ele que sussurrou: - O que você fez?



- Garanti nossas ferias.



- Olá Mãe! Sim...certo...verdade...- Martha falava sem parar no telefone, colocando o celular em mudo ele virou-se para ela e sussurrou – Você me paga!



Kate apenas riu. Depois de vários minutos, ele finalmente conseguiu desligar o celular. Olhava para ela sério.



- O que foi? Ela perguntou fazendo-se de cínica.



- Nem vou começar a responder.



Ela se aproximou dele e passando a mão pelo peito devagar, ela ficou toda manhosa e falou.



- Oh, Rick...não fique assim, vamos pros Hamptons. Só nós dois. E mordiscou o queixo dele para em seguida traçar uma linha de beijinhos pelo mandíbula dele até a orelha onde mordeu o lóbulo e beijou-o de jeito estalado.



- Vou pra casa arrumar minhas coisas. Passo aqui às 2 da tarde?



- Não, eu te pego.



- Só aceito se for de Ferrari.



- Ow, estamos nos relacionando a um dia e você já está fazendo exigências?



- Correção: 4 anos Castle, apenas não partilhávamos algumas coisas.



Ela subiu a escada deixando um Castle rindo do jeito dela, adorava a mulher mandona, a implicante e senhora da situação que caía tão bem a Kate Beckett. Serviu-se um pouco mais de café e ficou sentado no sofá apenas relembrando a mudança repentina que acontecera na sua vida em menos de 24 horas. Quando ele pensou que seu mundo desmoronara por perder alguém tão importante, alguém por quem ele dedicou quatro anos de sua vida, lutou, defendeu e quase morreu. Depois de declarar pela segunda vez o que sentia ele viu sua possível felicidade esvair-se pelos dedos. Sentiu-se sem rumo. Ele realmente acreditava que dessa vez eles poderiam ser felizes, esperara tanto por esse momento... dizer que estava acabado fora talvez uma das coisas mais difíceis que ele já fizera na vida. Ignorar a ligação dela naquela noite poucas horas depois de ter decidido virar a página, doera demais. Vê-la parada na sua porta era algo estranho, até inesperado. Então, ela o surpreendeu com um beijo e com palavras que ele ansiara ouvir a tanto tempo, só quero você...



Um sorriso formou-se em seus lábios. A misteriosa Kate Beckett finalmente rendera-se aos seus encantos, ela decidira por fim escolher ser feliz. Com esse pensamento, ele subiu as escadas para arrumar-se.



Eram duas e quinze quando o interfone de Beckett tocou avisando que Castle estava a sua espera. Ao ver Castle ao volante da Ferrari com óculos escuros e um ar de galã. A cena só a fazia recordar do jeito metido dele logo no primeiro ano que fora obrigada a trabalhar com ele ao seu encalço. Abriu a porta do passageiro e entrou no carro já se inclinando para beijá-lo. Castle reparou no estilo despojado dela. Calça jeans, camiseta regata branca, um pequeno lencinho amarrado ao pescoço e um chapéu de sol, os olhos encobertos pelos óculos escuros acabavam por deixa-la ainda mais charmosa. Linda. Ele pode sentir o aroma de cerejas assim que ela sentou-se ao seu lado.



- Gosto de te ver assim, descontraída. Está linda.



- Você está bem charmoso também – ela sorriu e colocou sua bolsa de viagem sobre os pés – vamos?



- Você só está levando isso?



- E a minha bolsa, porque? Algum problema?



- Você precisa ver o que significa uma temporada nos Hamptons com a minha mãe e Alexis. As bagagens mal cabem no carro.



- Talvez seja porque eu pretendo passar a maior parte do tempo na praia ou sem roupa. Ela provocou e gargalhou ao ver a cara de felicidade que Castle fez, como um menino bobo. Ela adorava essas reações infantis dele.



E botaram o pé na estrada. Ao chegarem na casa, Kate espantou-se com a beleza e o tamanho da mesma. Dois andares com um lindo jardim na frente e toda avarandada. Claro que sabia do bom gosto de Castle, mas a surpresa não parara por ali.Tal como Martha prometera, deixara o lugar arrumado para eles. A sala era clean e espaçosa. Uma decoração bem minimista. A vista da praia era magnífica e sentir o cheiro do mar era algo que ela não fazia a muito tempo. Quando retornou para a sala, viu que ele já trouxera as bagagens para dentro.



- Esse lugar é lindo. De muito bom gosto.



- Obrigado, mas você ainda não viu nada, quer conhecer o seu quarto? Ele estendeu a mão para ela e juntos subiram uma escada caracol que ficava no canto da sala.



- Os dois melhores lugares da casa são esses. Aqui o meu escritório e também meu refúgio onde escrevo e me divirto. O que acha?



O ambiente era muito espaçoso para um escritório. A mesa com o espaço para o notebook continha algumas fotos dele e da filha. Por trás, cartazes promocionais de alguns dos seus Best-sellers entre eles Heat wave. Uma TV led de 50 polegadas parecia um quadro na parede oposta, um nicho contendo videogame, um home theater e alguns discos. Ao canto uma daquelas poltronas reclináveis. Uma prateleira continha algumas figuras de ação, super-heróis na verdade, alem de alguns quadrinhos. Na prateleira mais baixa, uma máquina de café expresso.



- Wow! Isso aqui é bem a sua cara. É aqui que suas histórias ganham vida?



- Parte delas. Tenho um carinho especial por esse lugar.



- E até uma máquina de expresso, Castle?



- Café, o companheiro de qualquer escritor. O próximo livro de Nikki Heat será escrito aqui. Mas chega, vamos conhecer outra parte mais interessante da casa.



Ele a pegou pela mão e saiu arrastando-a pelo corredor até chegar ao quarto. Como ela bem imaginara, o lugar era imenso. A cama ficava no centro do quarto. King size com vários travesseiros e edredons. Realmente convidativa. E uma varanda de tirar o fôlego.



- Que tal?



- Convidativo demais, a cama, os lençóis... – ela se aproximou dele e beijou-o carinhosamente. Sem quebrar o beijo, ela caminhava até a cama e o empurrou no colchão. Ajoelhou-se na cama e voltou a beijar-lhe os lábios agora de maneira mais provocativa, ele acariciava o corpo dela se entregando ao momento de carícias que ela o oferecia. Deixara ela comandar a brincadeira. Kate se prolongou sentindo aqueles lábios que ela tanto amava. Podia passar horas perdendo-se ali, apenas saboreando cada milímetro daquela boca maravilhosa. Suas mãos vagaram pelo peito e corpo dele provocando, excitando e fazendo Castle gemer entre seus lábios. Mas ela teria muito tempo para se aproveitar dele. Kate quebrou o beijo e sorrindo se levantou da cama indo em direção à varanda.



- Ei, onde é que você vai?



Ela debruçou-se para apreciar a vista da praia. Inspirou o ar gelado vindo do mar. Sentiu os braços dele a envolver sua cintura.



- Você atiça e me deixa sozinho? Não é justo!



- Temos muito tempo para isso. Sabe o que quero agora? Caminhar na praia, sentir meus pés na areia. Vem comigo?



Ela sorria e o olhava ternamente. Impossível resistir aquele convite.



- Mas você está em dívida comigo depois do que fez ali na cama...



- Prometo que pago minha dívida mais tarde, Castle.



Eles saíram de mãos dadas até a praia, tiraram os sapatos, ela enrolou a calça até o joelho e começaram a caminhar pela areia rumo a beira do mar. A sensação da areia gelada tocando sua pele era deliciosa. Ela estava abraçada a ele e seus cabelos voavam ao vento. Quando a primeira onda tocou seus pés, ela abriu um sorriso lindo e fechou os olhos. Desprendendo-se dele por uns instantes, ela abriu os braços para sentir tudo o que estava presente naquele lugar. Estava feliz, leve. E sua felicidade resumia-se ao homem que estava ali ao seu lado.



- Vem cá, Castle...



Ela o chamou com o dedo indicador ao sentir o corpo dele colar ao seu, a boca o procurou ávida por um beijo. As mãos acariciavam o rosto e a nuca dele num beijo envolvente e cheio de sentimento. Ao quebrar o contato, ela chutou água na direção dele, rindo.



- Mas o que?!



Ela não esperou ele reagir, tratou de manter uma distancia dele porém ele foi rápido e a agarrou acertando em cheio a calça dela com água. Kate ainda tentou se libertar dele, mas foi rendida com um aperto mais forte e uma mordida no pescoço. Eles se desequilibraram e caíram na água. Isso não os incomodou. Lutando em meio às ondas, as caricias continuavam. Finalmente, ela se levantou e escapou do alcance dele e se pos a correr. Ele se recompôs e foi atrás dela. Castle não estava em sua melhor forma e Beckett deixou-o para trás até decidir que pararia e esperaria por ele. Gargalhava ao ver a cara contrariada de Castle.



- O que foi?



- Sem graça! Você abusou de mim agora.



- Oh, tadinho...vem cá, Rick.



Ele se aproximou e ela o abraçou com carinho. Depois depositou uma carreira de beijinhos no rosto dele.



- Melhor assim?



- Muito melhor.



- Acho bom entrarmos. Pretendo fazer o jantar.



- Não, mesmo! Você vai entrar e se arrumar. Vamos jantar em um restaurante maravilhoso de frutos do mar da região. Gosta de lagosta, Kate?



- Adoro, mas eu pensei que pudesse cozinhar para você... ela fez beicinho.



- Haverá outra oportunidade, esse é o nosso primeiro jantar aqui e quero que seja uma ocasião para nos lembrarmos. E não se preocupe, o lugar é bem caseiro, ambiente praiano.



Mais tarde, Kate apareceu trajando uma calça jeans e uma blusa frente única azul e sapatos estiletos. Tinha os cabelos soltos e uma maquiagem suave no rosto. Castle também estava vestido de maneira simples, jeans e camisa polo. O restaurante ficava a quinze minutos a pé da casa de Castle e a noite estava muito linda de modo que o passeio fora prazeroso para o novo casal de namorados.



O restaurante como Castle a prevenira era caseiro. Numa estrutura de madeira, todo avarandado tinha as mesas espalhadas expostas a brisa do mar. No salão central, havia um bar e uma mesa de aperitivos e self-service recheada de saladas e acompanhamentos. A decoração era típica marinha, redes, peixes, arpões e boias enfeitavam o lugar. Castle escolheu uma mesa de frente para a praia e puxou a cadeira para ela como um perfeito cavalheiro. Beckett adorou o gesto, mas ainda estava receosa com a situação.



Ela e Castle agora formavam um casal. Não eram mais parceiros mesmo porque ela não trabalhava mais para a polícia de New York. Namorados, amantes, parceiros da vida, apaixonados. Por mais que ela repetisse esses termos ainda sentia-se surpresa por finalmente estarem juntos. Eles eram todos esses termos e mais. Eram cúmplices, dependentes um do outro, pessoas que se completavam, imperfeitas sim, porém ansiosas por buscar a sua felicidade. Ela olhava para a lua sob o mar e nem reparara que ele a fitava. Castle tocou a mão dela acariciando-a de leve.



- No que está pensando? Parece longe.



Ela sorriu e respondeu.



- Em nós e todas as possibilidades que temos à nossa frente.



- Isso é bom. O que quer beber?



- Vinho branco afinal não iremos comer lagosta?



- Claro!



O jantar foi delicioso e a companhia agradabilíssima. Castle contava algumas de suas aventuras nos Hamptons e Beckett desatava a rir. Ela chegou a servi-lo na boca de lagosta e na brincadeira sequer perceberam as horas passar. Deixaram o lugar por volta da meia-noite e assim que chegaram em casa, Kate seguiu para o banheiro. Enquanto ele ficava à vontade ligando a TV e tirando a roupa, usando somente seu boxer, Kate escovara os dentes, ajeitara os cabelos e tirou o jeans ficando com a blusa e uma calcinha minúscula. Sabendo que ele gostava de seu hidratante de cerejas, passou um pouco na nuca, entre os seios e nos pulsos. Satisfeita, ela saiu do banheiro.



Castle estava absorto assistindo um episódio de CSI e não percebeu quando ela entrou no quarto. Devagar e sem fazer barulho, ela caminhou até a cama e se colocou entre ele e a TV. Ao vê-la a sua frente, ele a examinou dos pés a cabeça com o olhar abrindo um sorriso maroto para ela.



- Quer que eu pague minha dívida ou prefere ver corpos dilacerados em cenas de crime?



- Você ainda pergunta? E envolvendo seus braços na cintura dela, ele a puxou contra si. Os dedos ágeis livraram-se do laço que prendia a blusa levando a peça ao chão. Beijou-lhe o estomago e sentiu as mãos dela acariciarem seus cabelos. Kate apoiou os joelhos na cama e procurando os lábios, capturou-os entre os seus dando inicio a um beijo bastante sensual. Estava na hora de deixa-lo excitado. Ela explorava o interior da boca com uma dança perfeita. As línguas se provavam, se entregavam. Mordiscou os lábios dele e se pos a beijar-lhe o pescoço. Ele sentiu um aroma familiar. Com um movimento, ele deitou-a na cama e com a boca e o nariz, ele começou a vagar pelo corpo dela saboreando cada centímetro. Ao beijar entre seus seios, ele pode sentir o cheiro tão característico dela. Cerejas. Como ele ansiara por provar da pele dela com esse aroma. As mãos acariciavam seus seios, moldando a forma perfeita entre suas mãos. Ele beliscou um dos mamilos apertando-o enquanto a boca provava o outro seio à amostra fazendo-a arquear o corpo. Como ela gostava do toque dele...



Ele continuou o seu caminho saboreando a pele dela até chegar a calcinha. Ele beijou o centro dela sobre o tecido para provocar mas em seguida tirou a peça jogando-a ao chão. Erguendo uma perna de Beckett, ele apoiou-a no seu corpo e deslizou os lábios pela extensão dela sentindo a pele quente. Ela já se sentia excitada e úmida. Queria muito senti-lo. Impulsionando o próprio corpo, ela sentou-se e forçou-o a olhar para ela. Kate moveu a perna do ombro dele e ajoelhou-se no colchão buscando a boca do homem que tanto desejava. Ambos na mesma posição ao centro da cama, perdiam-se em um beijo intenso. Castle puxava a nuca dela de encontro a si perdendo os dedos naqueles cabelos. Beckett o abraçava com força querendo manter seus corpos colados, pele contra pele. A temperatura do quarto subiu e o desejo tornava-se mais intenso a cada minuto. Ela deslizou as mãos pelo peito dele e fez menção de tirar o boxer que ele ainda vestia. Ele a interrompeu segurando-lhe as mãos. Saiu da cama apenas para tirar o short e ao voltar para a cama, ela pode ver o membro já totalmente excitado. Quando Castle tentou beijá-la novamente, ela o empurrou e se colocou sobre ele.



Ela tinha o controle e Castle nem iria reclamar disso. Explorava o peito dele com a boca e a língua, usando por varias vezes os dentes para mordiscar-lhe a pele. Era uma fixação de Kate, gostava de morder os parceiros. Roubou-lhe mais um beijo apenas para desviar a atenção dele para o que ela queria fazer. Enquanto ele se deliciava com o beijo dela, Kate tomou o membro dele nas mãos e começou a acaricia-lo. Ao primeiro toque, ele gemeu entre seus lábios. Ao sentir os movimentos que ela fazia com a palma da mão na ponta do pênis, ele esqueceu de respirar por um instante apenas para buscar por ar entre gemidos mais uma vez. Sentiu quando uma das mãos dela acariciavam suas bolas e murmurou seu nome.



- Kateee...ow...



Ela pode ver o brilho do prazer nos olhos dele e não conseguia lutar mais contra sua própria vontade de tê-lo dentro de si. Ajeitando-se sobre o corpo dele, ela deslizou sobre o membro ate sentir-se completamente preenchida. Sorriu e soltou um gemido de satisfação. Em seguida, ela começou a movimentar-se sobre ele. Estava tão excitada que o mínimo de movimento a fez sentir uma onda de prazer cobrir-lhe o corpo. Sem querer parar, ela cavalgava nele apoiando as mãos no peito dele. Segurando-a pela cintura, ele movia-se penetrando ainda mais nela como se isso ainda fosse possível. Por vezes, uma das mãos escapava e ele apertava-lhe o seio. Ela não conseguia mais segurar, o corpo começava a tremer dando lugar a um orgasmo poderoso. Para incita-la ainda mais, Castle se apoiou na cama sentando-se e passou a fazer movimentos mais rápidos tentando prolongar o orgasmo que ela experimentava naquele momento. Ela jogara a cabeça para trás o que facilitou o acesso aos seios. Ele beijou o meio dos seios dela e não resistiu mordendo a pele onde ficava a cicatriz. Ela tornou a colocar a cabeça para a frente e encontrou o olhar dele. Sorveu a boca com urgência, mas as ondas não a deixavam beijá-lo e por isso apenas faziam um jogo de gato e rato com seus lábios. Não aguentando mais, ele deixou se levar pelo próprio prazer, segurando-a firmemente contra seu corpo quando desabavam no colchão.



A respiração forte e pesada de ambos se misturava com o barulho do mar. A brisa agradável da noite adentrava pela varanda. Apenas após recobrar parte de suas forças é que ela voltou a beijar o pescoço dele.



- Shhh quieta...fique parada sobre mim.



Ela obedeceu. Ele a envolvia nos braços e minutos depois, eles cederam ao cansaço dormindo pacificamente.



Pela manhã, Kate acordara primeiro que ele e decidiu se levantar para preparar o café da manhã. Quando ele acordou, foi direto ao andar de baixo pois sabia que ela só podia estar na cozinha. Porem, ele só encontrou a mesa posta. Caminhando pela casa, ele a encontrou finalmente na varanda da casa com um roupão e apreciando a vista com uma caneca de café nas mãos. Ele a abraçou por trás e apoiou o queixo no ombro dela.



- Bom dia...porque você não me acordou?



- Tudo bem, você precisava descansar...



- Já tomou café?



- Não, somente essa dose para acordar. Estava esperando por você. Acho que eu podia ficar aqui para sempre, essa vista, você. Nem acredito que isso está acontecendo...



- Mas está, Kate. E tudo isso é muito bom. Vem, vamos tomar café.



Eles entraram e sentaram-se à mesa. Conversavam casualidades, como curiosidades do local, o tempo que ele costumava frequentar ali, tudo que pudesse, ela perguntava. Depois de terminarem a refeição, Beckett abriu mão das louças após uma grande negociação sobre oferecer um almoço a Martha e a Alexis. Ela insistira com ele de que precisavam fazer isso, contar a filha que estavam juntos. E nada melhor que um momento em família para fazer isso. Relutante, ele acabou concordando se ela prometesse que apenas fariam isso no sábado, três dias à frente e que ela tirasse esses dias para aproveitar a casa. Tinha mais uma condição, que ela deixasse ele ajuda-la na preparação do jantar. Assim, Kate concordou e decidiu ir tomar um banho na praia enquanto Castle aparentemente queria concentrar-se em escrever.



Ela sabia que ele tinha razão. Precisava desfrutar desses momentos preciosos da vida. Afinal, tinha todo o tempo do mundo e para Kate, era a hora de relaxar e ceder aos desejos básicos, algo que ela não fazia com frequência.



Carpe Diem – esse era seu novo lema de vida.


Continua........
 

5 comentários:

val disse...

Quente, esse é o que eo vou dizer para começar.
perfeito estou louca pra ver como será Kate e Castle como casal, espero que o Marlowe nos dê um pouco dessa sua fic, as férias nos Hamptons...maravilhoso eu realmente espero que aconteça um pouco dessa fic na quinta temporada.
VC foi incrivél, viajou mesmo foi buscar lá no seu subconsciente o que todas queremos...amor, muito amor entre nosso casal fave.
e a propósito as cenas de sexo foram maravilhosas...
ou melhor foi tudo maravilhoso.
já estou esperando o próximo cap.
Boa noite querida!
vou assistir Castle 4x1 Rise
bjus!

Our Karen ... that's all I wish for the fifth season.

Val Matos

Eliane Lucélia disse...

Oi, não podia deixar de passar aqui rapidinho, só quero dizer que gostei muito dessa fic, o "Nao me diga que não consegue armar o castelo pela manhã?" foi ótimooo kkkk a Kate tá surpreendendo o Rick, ela tá bem vamos dizer, fogosa, atirada, adorooooo tudo isso, acho que esses dias em Hamptons ainda podem render momentos maravilhosos, não só hots, mas de muita demonstração de amor, parceria, o momento é propício e ambiente é lindo, agora estão se conhecendo de uma outra forma eeeee a escritora é muito criativa e talentosa, então já estou imaginando o que vem por aí. Adorei o primeiro de ótimos cap que estão por vir. Bjossss, até a volta.

GabiiSanders' disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
GabiiSanders' disse...

Menina, só tenho uma palavra pra esse capitulo: HOOOOOT!
Tbem né, 4 anos de desejo e paixão guardados certamente dá nisso.
Mesmo que não tenhamos uma cena hot dessas na série, qualqer Casketteer consegue, até onde a imaginação permite, imaginar perfeitamente como eles estão recuperando os anos perdidos! aiai vamos deixar que Marlowe nos surpreenda e principalmente, vamos tentar nao morrer nesse hiatus que parece eterno!
Ameei (:

Unknown disse...

Como eu adoroooooo esse blog. Eu nem posso descrever a satisfação de chegar aqui e ter uma fic nova. Eu nunca fui 'fanfiqueira' mas num momento pré Always eu resolvi passar o tempo e o google me jogou aqui em "Opening doors" e dai por diante não consegui parar mais. Li todas as fics de Castle que vc escreveu e bateu a abstinência, sai procurando fics em outros sites... confesso que nada do que eu li se compara ao que vc escreve. Eu consigo sentir a emoção que você descreve e eu imagino as cenas e penso: isso é muito a cara do Castle ou esse é mesmo o jeitinho da Beckett...
Obrigada. Muuuito obrigada! E não pare de escrever nunca. Você é o máximo! :-D