terça-feira, 20 de setembro de 2011

[Bones Fic] Between Love & War - Cap.28


NC-17.........Atenção!


Cap.28



Uma semana depois do casamento, Booth recebera um telefonema que ele mesmo já não esperava. Depois de entender do que precisava, ele agendou um almoço para conversar. Não contara nada para Brennan.

Katherine estava no seu quarto mês de vida e como o próprio Wendell dissera, estava uma verdadeira bolota. Era um bebê lindo, de pele alva e rosada, os olhos azuis cintilantes como duas contas de ametista. As dobrinhas do corpo indicavam a saúde de uma criança alimentada apenas com leite materno.

Brennan tivera sorte, tinha muito leite. Tanto que por vezes usava a bombinha para tirar e dar o prazer de amamentar a afilhada à Angela. O problema era que Kathy não era muito fã de mamadeiras, ela gostava mesmo era do peito. Também não usava chupeta, a menina chupava dedo.

Três dias depois, ao chegar em casa do trabalho, encontrou Brennan no quarto de Katherine fazendo-a dormir.

- Hey, amor...

- Shhh ela tá cochilando...

Ele se aproximou com o máximo de cuidado e beijou o pézinho dela. Esperou até que Brennan decidisse que ela finalmente pegara no sono e colocou-a no berço. Cobriu-a com a manta e puxou Booth para fora do quarto.

No corredor, beijou-o demoradamente.

- Estava com saudades de você,Booth...

- Mesmo?

- Sim, estou com muita saudade sabe...

- Hum, sei... o que tem pra jantar?

Ela largou dele.

- Poxa Booth eu digo que estou com saudades e você quer jantar? Não sou dona de casa! Se vira!

Ele riu da reação dela.

- Vem cá, gostosa!

Puxou-a pelo braço colando seu corpo ao dela. Sorveu os lábios com vontade tanto que a fez gemer.

- Sua boba... nem quero que seja minha dona de casa. Perguntei porque se quiser podemos pedir uma comidinha, tailandesa tá bom?

- Não posso comer nada condimentado por causa do leite da Kat. Pede pra você, tem um suflê de verduras do almoço, como isso mesmo.

- Ok, vou pedir algo e ai sentamos para jantar...

- Se a sua filha não quiser jantar primeiro...

Felizmente Katherine não acordou. Booth colocou a mesa e Brennan esquentou o seu suflê. Sentaram-se um ao lado do outro e degustaram a refeição. Assim que acabaram, Booth recolheu os pratos e puxou-a para o sofá.

- Quero conversar com você, tenho novidades.

- Boas ou você pretende ganhar um divórcio mais cedo?

- Ouch! Você hein?!

- Só me atenho aos fatos. Seu histórico de conversas e novidades não é tão bom assim.

- Quer esquecer a estatística por um minuto? Estou tentando te contar algo aqui...

- Tá bom, fale.

- Lembra quando disse a você que queria mudar minha vida, não depender mais do exército agora que tenho uma família para zelar? Então a alguns meses, contactei um amigo meu sobre uma oportunidade de emprego. Fiz vários testes durante esse período. Ele me telefonou no início da semana e almocei com ele. Ontem fiz uma última entrevista e fui aprovado. Eles gostaram de mim. Só falta eu dar minha resposta.

- E onde é esse emprego? O que você vai fazer? Porque não aceitou logo?

- Calma, primeiro queria conversar com você, saber sua opinião porque agora somos uma família e devemos conversar sobre qualquer mudança que queiramos fazer. Se você aprovar, vou ficar muito feliz e acredito que você também. O William me chamou para trabalhar no FBI. Devido ao meu histórico com o exército e a facilidade de manejar armas, a carreira de sniper, enfim...tudo pesa a meu favor.

- O que você vai fazer no FBI?

- Primeiro preciso fazer o treinamento de seis meses em Quântico, Virginia. Porém, devido ao meu histórico, preciso apenas atender a 10 semanas e será feito aqui mesmo em New York. Depois disso, terei me tornado Agente Especial e trabalharei na divisão de criminal do FBI para ganhar experiência porque eles me querem na divisão de inteligência pelo meu currículo com o exército.

- Special Agent Seeley Booth...hum…tentador não?

- O que você acha?

- Qual a reação do exército? Eles vão libera-lo?

- Sim, já vinha discutindo isso com o meu Comandante. Não teremos problema.

- Vamos continuar aqui em New York?

- Sim, essa foi a única exigência que fiz.

- Eu vou adorar ser casada com um Special Agent...é tão sexy! Vai em frente, ligue para o seu amigo e aceite o emprego.

Ele abriu um sorriso. Pegou o telefone e chamou William. Após alguns minutos de conversa estava tudo acertado, começaria a academia na próxima semana. Agradeceu e desligou. Foi até ela e envolvendo-a em seus braços, beijou-a.

- Obrigado, amor.

- Eu que agradeço, pelo menos não preciso me preocupar em ser surpreendida com um comunicado de guerra. Se você se ferir aqui, eu posso tratá-lo.

- Oh, Tempe...

- Sabe, estive pensando... se você não vai mais trabalhar para o exército, não irá usar aquela farda certo?

- Sim mas porque a preocupação?

- Não é preocupação, é que você acabou de me lembrar que ia vestir aquela farda para mim... acho que é uma boa hora para isso não? Sua despedida do exército em grande estilo. Afinal, você ainda está me devendo uma lua de mel decente.

- Hum...não é má idéia, podíamos sair,namorar e depois eu poderia realizar essa sua fantasia. Só tem um problema, quem vai cuidar da Kathy?

- Tenho a solução perfeita. Angie.

- É por isso que adoro você, sempre pensando em tudo com essa cabecinha.

E beijou-a novamente.


XXXXXXXX


No sábado a tarde, ela saira dizendo para Booth que ia a lavanderia. Ele ficou com a filha. Em uma hora Brennan retornara com algumas roupas e entre elas, a farda de Booth. Mais tarde, Angela tocou a campainha do apartamento. Quem abriu foi Booth, Brennan estava com Kathy.

- OI Angela!

- Hey...vim fazer a minha boa ação do dia. Cadê a Brennan?

- Está amamentando. Pode ir lá.

- Nah...deixa ela. Não vou atrapalhar o momento dela.

Ela sentou no sofá.

- Então, o que vocês pretendem fazer hoje a noite? A Tempe só falou que iam sair mas eu conheço a minha amiga, ela tava com jeito de quem ia aprontar.

- Ah, Angela. Só queremos curtir um pouco. Já fazem mais de 4 meses que a gente não faz nada a dois. Eu voltei do Afeganistão e ela estava nos últimos momentos da gravidez, depois veio a Kathy....nada mais justo que a gente querer um tempo pra nós.

- Tá certo, e não sou contra mesmo, por isso estou aqui para cuidar da minha fofa.
Brennan surge na sala.

- Hey, Angie.

- Oi, amiga. Cadê a minha princesa?

- Está dormindo, finalmente. Vem aqui, vou te mostrar o que separei para você levar.

Algumas horas depois, a casa era só deles. Angela levara a pequena Katherine para o seu apartamento com duas bolsas de coisas e um moisés. Ela recebeu várias recomendações da amiga e levou também leite materno e chás. Era apenas por algumas horas, mas para Brennan parecia que eram meses.

Assim que Angela saiu, Brennan foi tomar um banho. Booth estava vendo um jogo na tv. Eles tinham reserva para jantar em um restaurante ali mesmo no SoHo. Quando saiu do banheiro enrolada na toalha, a mistura de aromas invadiram o quarto chamando a atenção de Booth.

Ele ergueu os olhos da tv e a viu na sua frente. Os cabelos molhados escorriam pelos ombros. Brennan pegou o hidratante e apoiou a perna na cama para poder espalha-lo pelo corpo. Booth a observava, continuava linda. Ele se levantou e tirou o hidratante da mão dela. Colocou um pouco na própria mão e começou a deslizar pelo ombro dela.

Ele se posicionou atrás dela fez a toalha ir ao chão e deixou as mãos deslizarem nos seios, massageando-os com o creme. Um pequeno gemido escapou dos lábios dela. Ele agora acariciava a barriga dela e mordiscava o ombro, provocando. Brennan adorava sentir o toque dele em sua pele. Fazia algum tempo que não experimentava essa sensação de maneira plena. Ela virou-se e beijou os lábios dele. Continuou sentindo o toque dele na sua pele, no seu corpo.
Brennan ainda beijando-o enroscou os dedos no elástico da calça de moleton dele e baixou-a. Apertou o bumbum dele e sentiu o membro crescer pressionando-a. Booth a ergueu pelo quadril e sentou-se na cama com as pernas dela atracadas em sua cintura. Ela quebrou o beijo e acariciou os cabelos dele sorrindo.

- Quer brincar um pouquinho antes de sairmos?

- Porque não?

E ele abocanhou o seio dela. Brennan gargalhou. Ela sentiu o membro dele penetra-la devagar. Mordeu os lábios e gemeu. Ele estava completamente dentro dela. Como ela sentia falta dessa sensação. Ele começou a mover-se dentro dela. Brennan abraçou-o e começou a rebolar com ele. Mordeu o lábio inferior dele e envolveu-o em mais um beijo. Deixou seu corpo pender sobre ele e juntos atingiram a cama. Ela se apoiou no peito dele e continuou a se mover com ele.

Aumentou a velocidade de movimentos. A pele tornara-se vermelha. Sentia o orgasmo chegando. Gritou e atingiu o seu prazer fortemente. Booth a segurou mas não parou ainda movia-se para manter o prazer dela. Sentindo-a respirar mais pesadamente, ele também gozou.
Ficaram quietos na cama. Brennan se mexeu saindo de cima dele e deitando-se ao lado. A mão dela sobre o abdomen dele. Booth virou de lado e contemplou-a.

- O que foi?

- Você continua linda. A mesma mulher deslumbrante de quando a conheci.

- Mentira! Eu nem me recuperei da gravidez ainda!

- Não? E porque você está com esse abdomen sarado?

Ele deslizou a mão pelo abdomen dela.

- Você é linda, Tempe...

- E você é gostoso.

- E nós vamos nos atrasar para o jantar se continuarmos aqui...

Ela aproximou-se para beija-lo mais uma vez e levantou da cama para se arrumar.

- Se perdermos a reserva a culpa é sua...

- Minha?

- Sim, você provocou...

Mas eles não perderam a reserva e jantaram muito bem. Entre beijos e carícias, saborearam a comida e o momento a sós deles em muito tempo. Após a sobremesa, eles deixaram o restaurante. Caminharam pelas ruas do Soho abraçados.

Ao voltarem para o apartamento, eles sentaram no sofá e continuaram a pegação. Meia hora depois, ela olha para Booth de um jeito maroto e mandão.

- Alguém está me devendo uma noite de amor especial. Você vai ou não cumprir sua promessa, Booth?

- Hum...promessa? Me lembre o que prometi...

- Você prometeu que quando voltasse da guerra ia vestir o seu uniforme apenas para eu ter o prazer de tira-lo de você e fazermos amor.

- Você realmente acha sexy aquele uniforme?

- Acho sexy você naquele uniforme. Está lá no guarda-roupa. Mandei lavar, está cheiroso e pronto para ser usado.

- E quanto a sua promessa?

- Já disse a você que vou cumprir, hoje é a sua vez...vamos Booth...quero muito te ver vestido daquele jeito.

Ele se levantou do sofá.

- Você é bem maluca mesmo....

Minutos depois, ele apareceu encostado na coluna da porta.

- Com licença senhorita, preciso fazer umas perguntas a você. Investigação militar.

Ela se levantou do sofá e foi até ele.

- Hum, investigação? Fiz algo para ser presa, oficial...-ela passou o dedo na parte do tecido com o nome dele – Booth ?

- Saberei depois de fazer algumas perguntas, madame...

- Pensando bem, acho que estou prestes a ser presa...

E ela o beijou-o. Não era o beijo sentimental de tantas outras vezes, era um beijo carregado de tesão, desejo e malícia. As mãos delas escorregarram para a calça e ela desabotou o botão, abriu o ziper e deixou a calça deslizar pelas pernas dele. A cueca de algodão estilo short preta demonstrava o quanto ela já o ganhara. Ela via a ereção se expremendo contra o pano.

Quebrou o beijo apenas para focar sua atenção em abrir cada um dos botões da camisa de manga longa camuflada que ele vestia. Assim que o peito nu aparecia a sua frente, ela deslizou a boca por sua extensão, deixando um rastro de beijos. Mas ela não se livrou da camisa. Apenas deixou-a aberta. Era parte da sua fantasia e não faria Booth tira-la nem por um segundo.

Ele a ergueu pelos ombros até coloca-la de pé em frente a ele. Os olhos conectados.

- Você não devia ter feito isso madame... agora serei obrigado a tirar sua roupa para torturá-la.

- Pensei que você nunca faria isso... o que está esperando?

E apenas com uma das mãos, Booth abriu o zíper do vestido dela. Com as mãos postas sobre os ombros dela, ele deslizou-as em sincronia para que o vestido fosse ao chão. Ali estava ela, apenas de calcinha a sua frente. Booth beijou o colo, depois entre os seios, o abdomen, e de joelhos ele beijou o tecido da calcinha que aguardava o seu tesouro. Ele separou as pernas dela e beijou a parte interna da coxa. E começou a refazer tudo traçando seu caminho de volta até encontrar os lábios dela. Perderam-se em mais um beijo quente e intenso.

Booth a puxou para o quarto e jogou-a na cama.

- Wow, officer Booth...

Ele tirou a cueca e o membro despontou. Ereto e pronto para possui-la mas Brennan tinha outros planos antes disso. Ele ajoelhou-se na cama com ela entre as suas pernas. Começou a beijar cada espaço da pele que encontrava a sua frente. Brennan sentiu um calafrio percorrer o corpo quando ele circulava seus mamilos com a lingua. Sentia seu centro pulsar em resposta. O membro dele pressionado sobre o abdomen dela. Esticou a mão para toca-lo. Acariciou-o, massageou a cabeça apenas para provocar mais tesão ainda a ele. Booth gemeu.

Ele puxou a calcinha dela de uma vez e quando fez menção de penetra-la ela o empurrou para o lado da cama. subiu nele.

- Não tão rápido, officer...

Ela apertou os mamilos dele e mordiscou o abdomen. Pegou o cap dele e colocou na própria cabeça. Com o pênis dele nas mãos, ela provocava e massageava a região. Booth estava indo a loucura. Gemia e agarrava a cintura dela com força. Ela não queria parar. Baixou a cabeça e lambeu a ponta do membro dele. Satisfeita com o gemido que ouvira, ela largou o membro e voltou a se concentrar na boca de Booth. Agarrou as laterais da camisa puxando-o num outro beijo suficientemente capaz de roubar-lhe a razão. Quando soltou, ela sentou-se sobre ele. Ajeitando-se até senti-lo por completo.

Booth a olhava encantado. Não entendia de onde essa mulher tirava tanta energia. Nem bem processou o que dizia e Brennan voltou a mover-se sobre ele. Booth deixou as mãos passearem pela lateral do corpo dela, apertando-lhe os seios e voltando para a cintura.

O sincronismo chegou ao seu ápice e juntos eles atingiram o orgasmo. Corpos e mentes conectados pelo prazer. Nada os pararia. Booth a agarrou-a e o cap caiu para o lado da cama. Ela deitou sobre ele e ficou sentindo o membro dele ainda pulsar dentro dela.

Ergueu a cabeça e beijou-lhe o queixo, o pescoço roçando os dentes no pomo de adão proeminente. Ela sentira muita falta de tudo isso, sentira falta dele, dos carinhos, das loucuras.


Ela virou-se para o lado e de olhos fechados sorria satisfeita.

- Oh, officer Booth...como eu senti sua falta.

- Após que nem foi tanto assim.

- Foi muito. Nunca pensei que sentiria tanta vontade de fazer amor com você como agora.

- Podemos repetir a dose sempre que quiser...

- Mesmo?

- Humhum...

Ela beijou o peito dele. Mordiscou o mamilo.

- Que tal agora?

- Já?!

- Que parte da vontade de fazer amor você não entendeu?

Ele riu. Sentou-se na cama e livrou-se da camisa que ainda vestia.

- Apenas cumpro ordens madame...

E mordeu a parte interna da coxa dela fazendo-a gemer.

Na manhã seguinte, assim que despertou Brennan pegou o celular. 10 da manhã. Tinha que ligar para Angela. Queria saber de Katherine.

- Hey, Angela...

- Oi!

- Cadê a minha filha?

- Kathy está ótima, você não precisa se preocupar! Ela adora ficar com a dinda dela, não chorou nenhuma vez.

- Ela se alimentou bem?

- Sim, comeu direitinho.

- E você já vem traze-la não?

- Ué...já acabou a lua de mel? Que pobreza! Você já foi melhor não?

- Oh, Angela! Não fale assim, sempre estou disposta para ter relações mas estou morrendo de saudades da minha Katherine. Promete que vai traze-la logo?

- Depois do almoço, à tarde. Aproveita para almoçar na companhia do Booth. Mais tarde nos vemos ok?

- Ok, bye.

Booth chegou próximo dela apoiando-se no sofá. Beijou-lhe o pescoço.

- O que foi?

- Estava querendo saber notícias da minha filha...

- Com saudades, mamãe?

Ela riu. Ele a beijou calorosamente.

- Vamos tomar café?

- Ah, Booth não estou muito a fim de ir pra cozinha...

- E quem falou em cozinha? Hoje é domingo, dia de café na Dean & Deluca. Vai se vestir,amor.

Brennan levantou-se correu para dar um beijo mega especial nele. Sorrindo foi se arrumar. Ela estava feliz em retomar a rotina deles.


XXXXXXXXXXX


O tempo passava e a cada dia Katherine ia crescendo e Brennan descobrindo o prazer de ser mãe. Muitas coisas ela corria para a internet ou os livros e por várias vezes se apavorava. Não entendia como Booth conseguia ficar tão calmo diante de certas situações.


Um mês depois....


Brennan já voltara a trabalhar e ao invés de contratar uma babá para Katherine, ela optou por deixá-la na creche do hospital que além de ser prático, estava perto dela caso precisasse de algo. Sem falar que Brennan continuava amamentando e assim podia escapar do trabalho e passar um tempinho com a filha mais facilmente.

Ainda por cima, estava muito bem assessorada. Todos queriam chamegar com a Kathy e cuidavam com muito zelo da pequena. Patricia entào nem se fala! Fazia tudo pela menina.

Um dia quando estava de folga, resolveu dar papinha para a filha. Preparara uma mistura de maçã, banana e mamão amassadinhos com umas bolachas doces de maizena. Ela colocou a filha sentada da cadeirinha e Brennan se sentou bem pertinho de frente para ela com o pote na mão. Brennan cobriu metade da colher com a papinha e ofereceu para Kathy que aceitou de primeira.

Ela fazia muitos barulhinhos mas parecia estar gostando do que a mãe oferecia. Brennan deu mais uma colher. Para uma principiante nisso tudo, ela estava indo muito bem. A menina estava bem alegre e gostando de comer.

O celular tocou e Brennan levantou-se por um segundo a fim de pegar o aparelho que estava em cima do balcão para atender deixando o prato na mesa bem na frente de Katherine. Não conseguiu atender a tempo, era Booth. Quando virou-se, ela não conteve o grito.

- Kathy! Mas o que...

As mãos da menina estavam todas sujas de papinha, a mesa melada e exatamente quando Brennan falava, Katherine meteu a mão no prato de novo rindo e espirrou a papinha no rosto e na blusa da mãe.

- Você acha graça é?

Brennan afastou o prato da filha e pegou uma fralda para limpar as mãos dela porém a menina fora mais rápida e tentando alcançar a mãe, foi com as duas mãozinhas no cabelo de Brennan. Nesse instante, Booth chega falando.

- Meninas, cheguei... Tempe porque você não atendeu o ...

Ele dá de cara com Brennan com os cabelos,rosto e blusa cheios de papa e Katherine sentada na cadeirinha batendo na mesinha.

- O que aconteceu aqui? Mamãe fez desastre filha?

- Pergunte para sua filha o que ela aprontou no minuto que me virei para atender o celular.

Booth ria sozinho. Deixou as chaves na mesa e pegou a filha no colo.

- Cadê a princesa do papai?

Ele mexia com a menina, elevando-a na altura da cabeça dele arrancando gaitadas dela.

- Aprontou com a mamãe foi? Sua moleca!

- Booth ela acabou de comer cuidado...

- Katherine sujou a mamãe... - e ria balançando a menina que estava adorando a brincadeira.

- Isso, se divirtam... e Booth se a Kathy está de barriga cheia ela pode...

Mas não terminou a fala, Katherine ao dar um gritinho, botou pra fora uma golfada de papa que acertou bem o rosto de Booth. Olhando a cena, Brennan caiu na gargalhada.

- Bem feito! Foi tirar sarro da minha cara...

- Oh, Tempe...

- Que familia exemplo! Vamos todos pro chuveiro agora...

E rindo eles foram se limpar.



Continua......

5 comentários:

mika disse...

Que familia mais lindaaa!!ameei a cena HOT!!kkkkkkkkkkkk
esperando o proximo cap.bjs suas fics são perfeitas

Marlene Brandão disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Marlene Brandão disse...

morri de rir imaginando a cena da Kathy
vomitando no father foi ilario e a Brenn ai como eu surto com o foga e a audacia que ela tem kkkkk fardado hein? ta bom parei kkkkk
amei flor ficou lindo o capitulo ...

emanu_cristina disse...

Só consigo imaginar o Booth fardado... Sorry mais é só o que consigo comentar agora...
To adorando a fic e a família linda deles <3

ingrid disse...
Este comentário foi removido pelo autor.