segunda-feira, 13 de março de 2017

[Stanathan] Kiss and Don't Tell - Cap.108


Nota da Autora: E tem novo capitulo! Preciso esclarecer algumas coisas: sobre Absentia nós não teremos a mesma dinâmica e nem a timeline que Stana posta as coisas devido a Kate. Também considerem a serie sendo gravada em LA. Para quem não escutou o podcast de Sao Francisco do Nate talvez fique meio perdida com um parte da fic. E sempre há novas referencias em fics, dessa vez vocês irão descobrir um dos vícios de Gigi. Para aquelas perguntando sobre Anne, ela não desapareceu, apenas estamos em momentos de casal. Prometo que ela volta. 


Cap.108 

Nathan tinha razão. A reunião ocorreu em um dos prédios do estúdio. Sequer entraram na área de filmagem. O objetivo era apresentar os criadores, roteiristas e os colegas de elenco. Interagirem e prepararem-se para ensaiar e contracenar juntos. Todos eram maravilhosos. O clima de descontração estava presente. Quando o momento de ambientação aconteceu, veio a parte complicada. 
Stana teve seu primeiro impacto quando um dos escritores comentou a novidade. 
— Stana, nós conversamos entre nós quanto a caracterização dos personagens e chegamos a conclusão de que Emily precisa ser morena. Então, na próxima semana nós iremos começar a mudar o seu cabelo para as filmagens. Alguma objeção? 
— Claro que não, tudo pela arte - ela ia adorar pegar Nathan de surpresa - tenho uma pergunta. Essa mudança está relacionada com a minha imagem também? 
— De certa forma. Sua imagem é uma das principais formas de marketing para a divulgação do show. Precisamos usa-la e… 
— E se mantiver minha aparência, os fãs vão pensar em Beckett não em Emily. 
— Exato. 
— Eu entendo. É bom mudar. 
— Ótimo, semana que vem você irá fazer o teste de cores com a equipe de cabelo e maquiagem.   
O segundo impacto veio de um dos diretores. Ele pediu para que ela passasse uma cena com Neil. Queria ver os dois trabalhando juntos, ver a dinâmica em cena. Ela se concentrou olhando para o colega. Com o texto na mão, ela começou a recitar suas falas. Neil, as dele. Tudo corria muito bem até o instante que ela falou. 
— Eu não sei se vou conseguir pega-lo, Castle… - estava tão envolvida na cena que ela não se tocou do que fizera, mas Neil ficou calado diante do ocorrido. O diretor percebeu - o que foi? Esqueceu sua fala? 
— Stana, você disse Castle em vez de Tom. 
— Eu disse? - ela arregalou os olhos - d-desculpe, e-eu não sei…
— Tudo bem, acontece. Nada demais. Vamos fazer de novo, duas falas antes dessa - Stana respirou fundo. Não podia errar. Novamente ela leu sua parte sem deslizes, porém o sentimento estranho continuava lá. Neil errou uma fala. Soltou um palavrão. Ela riu. De repente, percebeu porque estava se sentindo estranha. Não era Nathan. Claro que ela contracenava com muitos atores, fazendo filmes, participações, mas sempre voltava para aquele estúdio para a regularidade. Para Castle, o que significava, para Nathan. 
Agora ela lia a próxima cena enquanto o diretor ajudava dois outros atores a se familiarizarem. Sua cabeça estava a mil. Tinha receio que isso acontecesse, contudo não esperava que as lembranças ainda estivessem tão recentes a ponto de usar o nome de Castle numa fala. Já se passara mais de um ano da última vez que ela recitara falas com o nome de seu antigo companheiro da ficção. Suspirou. Precisaria de muita paciência e concentração para vencer a batalha dos hábitos que descobrira estarem tão fortemente presentes em suas atitudes. 
Voltou a contracenar com outro ator. Aos poucos, o lado brincalhão e moleca ia se soltando. Três horas depois, o criador elogiou a todos em especial a Stana e deu a reunião como encerrada marcando a próxima para terça, quarta e quinta no mesmo horário. Queria começar as filmagens no dia 20 de julho. A série estava prevista para estrear em fins de setembro na grade da emissora. 
Ao chegar em casa, encontrou Nathan na sala de video. Katherine estava no bebê conforto no chão ao lado do pai que jogava videogame. Stana ficou quieta na porta observando. 
— Katie, preste atenção. Eu vou pegar o cogumelo e vou crescer. Espera. Viu só? Papai está poderoso. Opa! Temos que evitar as tartarugas… - ela riu da cena, Katherine fazia sons e dava risinhos com a tela super colorida - vou pular no mastro e tada! Fase concluída! 
— Não tenho certeza se isso faz bem para a nossa filha… - ela sentou-se no sofá ao lado dele. 
— Ela está se divertindo com as cores e os sons - deu um beijo no joelho dela - como foi? 
— Foi bom. A equipe é bem bacana, os atores. O criador está empolgado com o projeto. 
— E você? Gostaram de você? 
— Sim, me elogiaram. E-eu… foi estranho. Repassar falas com outras pessoas que não fosse você. 
— Você faz isso nos filmes, amor. 
— Eu sei, mas aquilo é diferente. Não é um filme. Eles farão parte da minha vida por pelo menos quatro meses. Eu me senti estranha. E isso não foi o pior. Nate, eu falei uma das falas como se tivesse falando com você, eu disse Castle ao invés de Tom, a pior parte? Eu sequer percebi! - ele riu - não ria, não é engraçado. É embaraçoso - ela baixou a cabeça vermelha, Nathan acariciou os cabelos dela. 
— É natural, amor. Oito anos. 
— Eu olhava para Neil e pensava: não é o Nathan. Eu vou precisar de muita paciência, focar. Não posso ficar cometendo erros. Se seu nome escapar mais de duas vezes, as pessoas vão pensar que… sei lá! Pode levantar suspeitas, rumores, e se começarem a trazer aquelas noticias sobre, você sabe, nós, no set. 
— Hey, você está exagerando, amor. Pensando demais. É seu novo trabalho - ele se levantou sentado ao lado da esposa a abraçou - sabe, eu adoro o fato de estar na sua mente o tempo todo. De querer me ver ao seu lado. Contracenar comigo. Eu também sinto falta. Mas você não está mais fazendo Castle. É Absentia. Você não é Beckett, é Emily. Olhe pelo lado bom, você ainda pode voltar para casa e me beijar, conversar, fazer amor. Seu Nathan ainda está na sua vida e não pretende ir a lugar algum - ele segurou a mão dela - a adaptação vai ser demorada e necessária, vai conseguir. 
— É, eu sei - ela mordiscou os lábios - como você faz isso? 
— O que posso dizer? Sou o máximo - ela riu - quer amamentar sua filha?
— Sim - Nathan pegou Katherine nos braços, beijou sua testa e entregou-a a Stana - hey, Katie… estava com saudades. Você se divertiu com o papai? Ele acha que é o máximo, tem um ego enorme… mas eu o amo tanto. Quer comer, amor? 
Ele olhava para a esposa abrindo a blusa. A filha sugando o seio. O sorriso no rosto de Stana. Ele se levantou para deixa-la curtir o momento sozinha. 
Quando Stana voltou a encontra-lo na cozinha esquentando o jantar, queria muito passar uma noite agradável com o seu marido. Ela sorria. 
— Hey, handsome…o que você está fazendo? Quer dar uns amassos enquanto meu marido está viajando? 
— Esse é seu discurso para o jardineiro se algum dia tivermos um? - ele riu - você é muito boba, vem cá - ela beliscou o traseiro dele - o mano ligou, finalmente. Disseram que vem aqui amanhã. Vou fazer churrasco. 
— Você e sua curiosidade… 
— Olha quem fala, sente-se. Vamos jantar.  
No dia seguinte, Jeff e Gigi chegaram sorridentes e de mãos dadas na casa do irmão. Eles estavam radiantes, os dois.
— Olá, recém-casados! Vocês estão muito bem, não? Andam muito ocupados ultimamente - disse Stana - vem cá, sis. Quero um abraço. Você está bronzeada! - ela abraçou a irmã. 
— Ah, o sol do Mexico, as praias, tudo maravilhoso. Dez dias sem chuva e olha que vivíamos de protetor, não amor? 
— Verdade. Mesmo nos protegendo ficamos assim - ele abraçou a cunhada. Depois foi a vez do irmão. Gigi beijou Nathan. 
— Saudades de mim, cunhadinho? Quem era o mais curioso para saber o que andamos fazendo? - ela implicou. 
— Pergunta para a sua irmã. 
— Acho que os dois estavam sentindo falta de implicarem um com o outro. Bro, trouxe umas garrafas de tequila para você. Stana, a Gi comprou alguma coisa para você. Na sacola, depois ela vê. 
— Um vestido, amor. Cadê a minha fofinha? Quero dar um cheiro nela. 
— Está dormindo. Vai ter que esperar um pouco mais. Querem beber? Não acho muito prudente a tequila… 
— Ah, posso fazer margaritas - disse Nathan - você pode tomar um copo, não? Katherine não está tão dependente do seu leite daqui para frente. 
— Prefiro não arriscar, mas faça para vocês. 
— Como assim, Katherine não está mais mamando no peito? Por que sis? Você ficou sem leite? 
— Não, Gigi. Eu comecei a dar mamadeira porque voltei ao trabalho e não posso amamenta-la todas as vezes. Apenas à noite. Tive que fazer isso. 
— Você já está filmando? Nossa! Perdemos muitas novidades, meu Jeff. Conta tudo! 
— De jeito nenhum, primeiro vocês. Devem ter muita coisa boa para contar desses dez dias - disse Stana - quero saber de tudo. 
— Isso se não passaram os dez dias no quarto. 
— Você é tão engraçado e como estaríamos bronzeados? - Gigi mostrou a língua para ele. 
— Jeff, me conte porque se depender desses dois… 
— Foi maravilhoso. Lugares ótimos, paisagens de tirar o fôlego, o mar do Caribe sempre me encanta. Provamos drinques fantásticos e o cruzeiro vale muito a pena. Mergulhamos em lugares incríveis, bro. Você ia amar. Se tiverem a oportunidade de fazer um, eu recomendo. Cada noite eventos diferentes, musica, dança, teatro. Realmente nos esbaldamos. 
— Nossa! Gostaram mesmo. 
— E meu marido nem contou a parte principal - ela comentou com a cara mais deslavada bebendo a margarita - tudo foi sexy e quente! Desde o hotel em Santa Monica até em casa. Já testamos a nossa cama. Mais do que aprovada, não amor? Um espetáculo, sis! Obrigada de verdade.  
— Não precisamos de mais detalhes. Pelo menos o Jeff aparenta estar bem de saúde - brincou Stana, vendo que o cunhado já estava vermelho de vergonha. Ela ouviu um chorinho pela babá - Kate acordou. Vou pegar a mamadeira - rapidamente ela preparou um leite - Quer subir comigo, Gigi?
— Claro! 
No quarto de Katherine, Stana tirou a filha do berço. Gigi estava louca para carrega-la. Primeiro deu um beijo na cabecinha. Então a irmã entregou a sobrinha. 
— Hey, Kate… é a dinda. Estava com saudades, meu amor. Dinda estava muito ocupada, sabe? Mas não vou começar a contar porque sua mãe vai olhar com cara feia para mim - beijou a testa da criança - você está tão gordinha, Kate. Sis, posso amamenta-la? 
— Claro que sim - Stana entregou a mamadeira nas mãos de Gigi que sentou-se na poltrona e ofereceu o leite para a pequena. 
— Aqui entre nós, sis. Meu Deus! Que lua de mel! Não estava brincando quando disse que foi do hotel até em casa. Se soubesse que ia ser tão bom tinha casado antes. 
— Você fala como se não aprontasse antes. Os dois sempre tiveram fogo, casamento não muda isso. Eu sei, acredite. Eu e Nathan continuamos com o mesmo fogo de antes. 
— Eu sei, sis. Mas é tudo mais intenso. Eu fiz uma loucura com Jeff. Sempre fazíamos, mas essa deixou-o muito surpreso. Eu o agarrei em um dos decks, acho que é assim que se chama, do navio. Joguei-o contra a parede. Isso porque já tinha tirado minha calcinha na boate. Ele ficou louco. 
— E se alguém pega vocês? Era uma área aberta, não? 
— Sim, pode-se dizer que sim. Ai que está a graça, o tesão, é excitante demais. Mas a nossa primeira noite no hotel foi realmente a melhor. Esse homem me deixa louca… você já assistiu aquela série Outlander? É naquele nível. Olha, só de lembrar fico arrepiada - Stana viu os pelos do braço dela - viu? Não sei o que pode acontecer qualquer dia desses. 
— Vão matar um ao outro - ela riu. 
— Você já acabou, meu amor? Nossa! Ela come rápido. Você é muito gulosa, Kate - tirou a mamadeira - e agora, o que tenho que fazer? 
— Coloque-a de bruços no seu ombro - Gigi obedeceu - bata de leve nas costas dela. Vai ouvir quando ela fizer sons. Não precisa muito. Mamãe queria saber de você quando ligou, aliás não lhe contei sobre o almoço. Dona Cookie opera milagres. Precisava ver como até fez dona Rada rir. 
— A sogrinha não existe. Jeff ligou para eles avisando que chegamos, porém nem conversamos muito. Acho que ela já acabou, sis. 
— Traga-a em seu colo, vamos nos juntar aos nossos maridos. Estou com fome. 
— Viu o que você disse, sis? Nossos maridos. Ah, eu ainda fico boba. Estou casada! - elas riram. 
Ao descerem, encontraram os irmãos ainda bebendo e mexendo no fogo na área externa. Havia pedaços de carne cortados em um prato sobre a mesa. Gigi ainda tinha a sobrinha nos braços. 
— Olha amor, sua sobrinha está ficando uma bolinha. Quer segura-la? 
— Adoraria, Gi. Mas estou com as mãos sujas de carvão e sal. Depois. 
— Vem, sis. Coloque-a aqui no bebê conforto. 
— Vai contar agora como anda o trabalho? Não pode ter segredos com a gente, sis. Nós somos guardiões dele. Eu não gosto de spoilers, mas preciso saber de algo - ela roubava um pedaço de carne do prato - hum, isso está gostoso? Vai demorar muito o almoço? 
— Que tal você ajudar a preparar alguma coisa, Gigi? 
— Nathan, eu tenho um calendário para isso e não vou cozinhar para você, só para o meu Jeff gostoso, meu marido. 
— Vamos ser obrigados a ouvir isso até quando? Staninha, por favor, conte do seu trabalho ou Gigi vai ficar falando do mano até se cansar e não sei se isso realmente acontece - Stana gargalhou das caretas de Gigi. Para provocar, a irmã pegou Jeff desprevenido com um beijo muito bem dado, Stana pode notar. 
— Tudo bem, eu conto. Por nós, Jeff. Embora acredite que você não tem muito o que reclamar nesse momento. Fui para a primeira reunião de pré-produção. O pessoal é ótimo, o elenco divertido. Existe um clima bom para trabalhar no ar e eu senti que sou a estrela do show, o foco. 
— É claro que é, você é a protagonista - disse Nathan. 
— Foi estranho também. Era a primeira vez que não era Castle. Eu cometi uma gafe horrível! Chamei o meu co-star de Castle… e-eu estou me adaptando ainda. 
— Ah, Stana. Nada demais. Isso acontece. Logo você estará na pele da sua nova personagem e vai ficar tudo bem - disse Jeff - quando começam as filmagens? 
— Você é bem irmão do Nate mesmo. Dia 20. Semana que vem tenho mais reuniões e checagem de figurino, maquiagem essas coisas da tv. Estão decidindo sobre a estreia era para ser Setembro, ainda não confirmaram. 
— Sis, se for setembro ou quando for a estreia vai ter uma daquelas festas, não? Você já pensou se vai sozinha? Posso ir com você? 
— Ainda não pensei. Acredito que preciso da data então eu e Nate vamos conversar sobre isso - ela trocou um olhar com o marido - talvez esteja na hora de sair da toca do coelho - Nathan sorriu para ela. 
— Nossa! Por essa não esperava… vai ser uma loucura! 
— E posso acrescentar, uma senhora jogada de marketing para você e seu trabalho, Stana. 
— Ou um tiro que saiu pela culatra, Jeff. Não sei como nossos fãs de Castle irão reagir. Sério, podem achar que nós boicotamos a série. 
— Sério? Você boicotou a série sendo demitida? Não viaja, sis. 
— Gigi tem razão. Não houve boicote e podemos provar. Vamos comer, deixe esse assunto para depois. 
— Mas eu posso ter um convite para a festa de lançamento? 
— Claro, Gigi. Você é minha irmã. E se der tudo certo pode levar seu maridinho. 
Eles comeram, riram, beberam. Stana estava com saudades da irmã. Desse clima família. Quando Katherine reclamou, foi a vez de Jeff chamegar com a sobrinha. Ela gostava de ver o jeito do cunhado, tinha tudo para ser um ótimo pai como o irmão. Ela apenas tirou a filha do colo dele para trocar a fralda. Na hora da mamadeira, ele também pediu para dar. Nathan se sentou ao lado do irmão. Vendo a cena, Gigi se aproximou da irmã cochichando. 
— Ele vai ser um ótimo pai, não? 
— Vai sim.  
— O problema é que quando vejo ele assim, apenas consigo pensar besteira. Esse olhar sexy… os braços… isso é errado! Se continuar assim como posso ser mãe? - Stana riu - isso é normal? Não pode ser… 
— Claro que é, Gigi. Vocês estão no clima de romance, acabaram de voltar da lua de mel. Aproveite isso e por favor, se não quer engravidar se cuide. Você está tomando o anticoncepcional, certo? 
— Estou, não vou fazer besteira de novo. Já aprendi minha lição. Olha sis, que lindo cheirando a cabecinha dela - ela apertava o braço da irmã com a cabeça apoiada no ombro de Stana - está quente aqui. Você não está com calor, Nathan? Liga o ar condicionado por um tempo, por favor? - ela se abanava. Stana segurava o riso. Falou. 
— Vou servir uma limonada para você, Gigi. Com bastante gelo. 
Gigi melhorou e estava brincando com a sobrinha quando Jeff tocou em um assunto que gerou uma certa turbulência entre os quatro. 
— Mano, quase esqueci. Eu escutei o podcast de São Francisco. Aqueles caras são ótimos! 
— São mesmo e ainda ganham para tirar sarro da sua cara. Um emprego muito bom. 
— Nate, pode ser verdade aquele lance de quantum leap? Você acha que eles são capazes de promover um remake do show com você no papel de Al? 
— Eu não sei… eles só queriam usar uma desculpa acho porque falei que estava curtindo  ter tempo livre, estar desempregado. 
— Mas você não está. Sua série com Alan continua - disse Stana notando que a forma usada por Nathan parecia demonstrar um certo ressentimento - e você sendo Sam Beckett, wow finalmente conseguiu ter todos os nomes de Castle, Captain Castle - ela lançou um olhar pervertido para o marido, o viu sorrir porém sem o mesmo efeito que ela esperava - eu sei que você seria o Al, mas quando ouvi foi a primeira coisa que veio em minha mente. 
— Ok, vocês estão falando grego para mim… - disse Gigi já ficando emburrada com a conversa porque não tinha ideia de como participar, Jeff beija a cabeça dela, pega mais um dos cookies que Stana servira para eles e comentou outra parte do podcast. 
— E o que foi aquele comentário sobre mergulho? Eu, sereia? De onde tiraram isso? 
— E não é? Eles começaram a perguntar dos meus hobbies e quando falei em scuba diving e que adorava fazer isso com você, ele veio com a pergunta: Jeff é uma sereia? Eu quase não consigo responder pelas gargalhadas. 
— Como é? Meu Jeff uma sereia? Que palhaçada é essa? Sugeriram que meu marido é gay e você não fez nada? 
— Gi, foi uma brincadeira. Nate disse que gostava muito de mergulhar e como usou meu nome, eles implicaram porque queriam saber se era codinome para mulher… - não adiantou a explicação de Jeff, ela ainda estava revoltada por terem, na sua opinião, xingado o seu homem. 
— Você não é gay! Meu Jeff é muito macho. Quem é esse idiota? Quero dar na cara dele! 
— Gigi, deixe de exagero, não precisa ficar irritada foi uma brincadeira, uma piada. 
— Piada? Chamar meu marido de gay em algo que todo mundo assiste, escuta, está na internet! Meu Jeff é muito gostoso, viril e macho e posso provar. Não admito isso! Você não defendeu seu irmão? 
— Hey, hey… se acalme… - Jeff a abraçava - é claro que sim. Ele me elogiou. 
— Você só está dizendo isso para eu não bater no Nathan! - ela estava vermelha, irritada. 
— Não, ele me defendeu amor. Posso botar para você escutar. Não fique assim… 
— Ninguém fala mal ou tira sarro do meu homem, do meu Jeff - ela olhou para o marido - ninguém - deu uma olhada fatal para Nathan. Jeff virou o rosto da esposa para fita-lo. 
— Você é incrível… - beijou-a e sussurrou ao seu ouvido - mais tarde pode me defender de outra forma, fiquei excitado. 
— Um comentário gerou tudo isso…nossa! Vamos mudar de assunto - disse Nathan.      
— Eu preciso de água! - ela se levantou quase correndo com o comentário de Jeff. Stana riu. 
— Não faz isso, Jeff… - Nathan olhou para a esposa sem entender. 
— O que eu perdi? 
— Nada, babe, nada - ela piscou para o cunhado. 
Mais tarde, ao se despedirem Jeff sugeriu que a próxima reunião de família fosse na casa deles. Stana concordou. 
Ao deitar com um script de Absentia nas mãos, ela se lembrou da reação estranha do marido. Ele não parecia chateado, mesmo assim algo o incomodava. Seria o fato dela estar trabalhando regularmente? De ter a possibilidade de voltar a ficar na mídia e ele não? Tinha receio de começar uma discussão porque se estivesse errada eles brigariam, se estivesse certa também acabariam discutindo. Nesse momento, ela escolheu não comentar. Ficaria de olho no comportamento dele. 

XXXXX 

Stana voltou ao trabalho na semana seguinte. Nathan reorganizou seu cronograma para ficar com a filha. Não se incomodava podia fazer isso por uns tempos. Ele não mentiu para a esposa quando disse que queria vê-la arrasando, porém ele também merecia uma chance, não? O problema era que até aquele momento nada aparecia. Nada chamava sua atenção. 
Na quinta-feira, Stana recebeu a noticia dos produtores de Absentia de que seu lançamento fora postergado para Março do outro ano porque o canal estava ainda em negociações com a rede nos Estados Unidos e também com algumas afiliadas de outros países onde ela tem uma boa base de fãs. Falavam da França, Italia, Alemanha, Brasil e Espanha para começar. Porém o motivo principal era o local na grade. Eles queriam um horário especifico para a série. Stana não pode evitar o sorriso ao descobrir qual. Segundas às dez da noite. O AXN estava tentando tirar proveito de sua atriz e do significado do espaço na programação. 
Naquele dia também, ela passava pela sua transformação. Estava morena. Adorou a cor do seu cabelo e esperava que Nathan também gostasse. Estava ansiosa para brincar com ele. No meio do caminho, fez uma ligação. 
— Hey, amor. Está vindo para casa? 
— Sim, no caminho. Kate está bem? Deu trabalho? 
— Está ótima. Acabei de coloca-la no berço, mamou e dormiu. Quer jantar algo especial hoje? 
— Talvez… você… 
— Hum… isso me parece promissor, não demore gorgeous.  
Nathan ouviu quando o carro parou na garagem, porém não queria se mostrar muito ansioso. Fingiu que fazia algo na cozinha. Já estava de shorts e sem camisa para não perderem muito tempo. Estava de costas quando ela entrou. Sorrindo, ela provocou. 
— Belo traseiro, gostoso. Se importa se eu abusar dele? - ele ria na mesma posição porque já imaginava o que ela ia fazer - mas teremos que ser rápidos. Não quero que sua esposa chegue do trabalho e nos pegue no flagra - beliscou o bumbum dele, quando Nathan virou-se para encara-la, prendeu a respiração - olá, Captain… 
— Wow! Você não é minha mulher… o que fez com a minha Stana? 
— Não sei quem é essa. Sou Emily Vaughn e se quiser aproveitar-se de mim, melhor fazer isso antes que essa tal de Stana apareça - ela beliscou novamente o bumbum de Nathan colando seu corpo ao dele. 
— Você não me preparou para isso…demais! 
— Gosta do que vê, Nathan? 
— Muito. Não que eu não aprecie a versão original, é minha favorita. Mas essa mudança… uma morena de olhos intensos. Nada de role play, amor. Eu adorei a novidade. Estar casado com uma mulher tão sensual e misteriosa. Quero aproveitar a surpresa… - ele a agarrou contra o balcão da cozinha, ergueu-a colocando-a sentada sobre ele. Beijava-a com urgência e desejo. Tirou a blusa que ela vestia. Stana já beijava seu pescoço, seus ombros, as mãos no peito dele. Os lábios voltaram para a dança de antes. Sentiu que perdera o sutiã em algum momento. A mão dele instigando-a no meio das pernas por baixo da saia que usava. Gemeu. 
— O que você vai fazer, Nate? 
— Ter você, Emily - sorriu malicioso para ela baixando o short. Tirou-a do balcão e virou-a de costas para si. As mãos dele acariciavam seus seios - me quer assim? Fala, minha morena… 
— Sim, eu quero… - ele puxou a saia dela inclinou o corpo da esposa e afastou suas pernas. Stana soltou um grito quando sentiu-o penetrando-a. Virou o rosto para beija-lo. 
Os movimentos rápidos estavam consumindo-a. Ela tinha certeza que era pelo clima que criaram. Era intenso. Ele apertava seus seios, puxava os mamilos e não parava de afundar-se nela. Nathan a deitou parcialmente no balcão deslizando os lábios pelas costas dela voltando para a nuca. Não ia aguentar muito e nem queria. 
— Vem, amor… eu não posso… 
— Rápido, Nate…rápido… - ele obedeceu e os tremores tomaram seu corpo, ele gritou e ambos se deixaram receber a força do orgasmo em seus corpos. O corpo dele desabou sobre o dela. Ainda a preenchia. Permaneceram calados recuperando o fôlego. Nathan afastou os cabelos dela beijando o sinal do rosto dela. 
— Tudo bem? 
— Sim… muito bem - finalmente ele se afastou. Stana levantou-se do balcão virando-se para fita-lo - você realmente gostou do meu visual. 
— Não tive a oportunidade de vê-la como Carolina, você voltou a ser Beckett muito rápido - ela colocou suas mãos no rosto dele. Beijou-o várias vezes. 
— Agora convivera comigo morena por uns meses. 
— Vai ser muito bom. 
— Quase esqueci, eles não vão iniciar a série em setembro. Vão postergar. Provavelmente será em março o que significa que teremos mais tempo para decidir o que fazer com o nosso anúncio e claro as filmagens terminarão antes de ir ao ar. Eu não esqueci o seu convite para Yosemite. 
— Quem disse que esqueci? Qual o motivo de postergarem? Problemas financeiros ou estão com dúvida sobre o público? 
— Nada disso, jogada de marketing - ela acariciou o rosto dele, não sabia como ele reagiria à noticia - eles querem as segundas, babe. O mesmo horário. 
— Segunda às dez? - ela balançou a cabeça confirmando - sinto muito pela ABC, vai provar do seu próprio veneno. Já vejo os tweets dos fãs para a emissora. Sua amiga presidente não vai gostar, ainda mais agora que ela anda meio desesperada com o horário e está apelando para Shonda. 
— Deixe ela apelar… não me importo - ela cheirava o pescoço do marido - estou com fome. O que vamos jantar? 
— Você está conversando demais com Gigi… 
— Cala a boca, Nathan e trate de alimentar sua morena ou não vai ganhar sobremesa.  

Fins de Setembro

Gigi acabara de chegar em casa, o cheiro de fritura lhe deu agua na boca. Viu o marido na frente do fogão. 
— Oi, amor. O que você está fazendo que cheira tanto? 
— Hey, nem ouvi você chegar… - ele virou-se para fita-la, Gigi tinha as mãos nos quadris - tudo bem? 
— Sim, só estou cansada. 
— Vá tomar um banho. É tempura. Não presta comer muito frio. Quinze minutos. 
— Tudo bem - beliscou o traseiro dele e saiu rindo. 
Meia hora depois, metade dos tempuras já tinha ido embora. Ela comia o macarrão com molho de teriyaki. 
— Amor, eu terei que viajar na próxima semana. Chicago e Boston. 
— Quanto tempo? 
— Uma semana. 
— Tudo isso? Ah, Jeff eu não sei se consigo ficar todo esse tempo longe. Dormir sozinha naquela cama enorme? 
— Você adora a cama.
— Quando você está do meu lado, para fazer amor, gostoso. Aquilo parece uma ilha! - ele beijou os lábios da esposa rapidamente. 
— Eu estou pensando em outra coisa para depois que voltar de viagem. Não quero falar nada porque ainda é só uma possibilidade. 
— Você vai me deixar sozinha e curiosa? Isso é maldade com a sua esposa que trata você tão bem… - ela fazia biquinho. 
— Dessa vez, não posso evitar - ela deu de ombros. 
— É seu trabalho, né? Vou morrer de saudades. Acho que vou arranjar uns novos projetos para vir para casa só na hora de dormir. Nem posso acampar na casa da sis porque ela está gravando direto e se eu ficar muito tempo perto do Nathan irritada vamos acabar brigando. 
— E por que ficaria irritada, minha Gi? - obvio que ele sabia porque. 
— O que você acha? Falta de sexo irrita as pessoas. Já posso até ver Nathan me provocando. Não, melhor evitar. Por que você está rindo? Eu vou ficar em abstinência por uma semana naquela cama enorme! Não tem nada de engraçado nisso. Aliás, você também. Não esqueça o que tem escrito na sua aliança, você é meu! De mais ninguém. 
— Não esqueci, Gi. Nem podia. Só quero você, minha esposa. 
— É bom mesmo - ela o beijou. 
Na semana seguinte, ela tentou se ocupar ao máximo como tinha dito a Jeff. A verdade era que se tornava difícil a cada dia. Ela ligou para a irmã para descobrir quando estaria em casa. Stana confirmou que no dia seguinte podia visita-la. Não tinha gravações. Gigi respirou aliviada. 
Stana conseguira negociar pelo menos um dia na semana para ter uma folga. Não queria perder a oportunidade de ficar com a filha. Katherine faria seis meses em dois dias. A rotina de Stana lembrava a que tinha antes. Ela se divertia com os colegas de elenco, postava fotos e videos pagando de boba e trabalhava muito como se esperava na televisão. O ritmo era tão intenso quanto em Castle, exceto que ela estava tendo muitas cenas de ação nos últimos episódios e isso a consumia. 
Nathan tinha saído para filmar Con Man. Gigi chegou fazendo todo o barulho do mundo quase acordando a sobrinha. O motivo? Era a primeira vez que via a irmã de cabelos escuros. 
— Você está morena? Wow! Ficou lindo! Como você não me contou isso antes? Faz tanto tempo que a gente não se vê? Caramba! Você está dormindo no set? 
— Menos, Gigi. 
— Sério. A ultima vez, só o Nathan e a Kate foram nos visitar. Tem o que? Um mês? Ele nem falou nada. 
— Você não está acompanhando minhas postagens? - ela balançou a cabeça negativamente - Acho que todos estamos muito ocupados, não? 
— É, parece. E eu sozinha porque meu Jeff está viajando. Uma semana! Devia ser proibido ficar uma semana longe da sua esposa. Ainda mais naquela cama enorme. E ainda ficou todo misterioso… diz que está programando algo sei lá. E afirmo que sexo por FaceTime não é a mesma coisa. 
— Não posso concordar com você. Sobre deixar o outro sozinho. Eu estou no mesmo barco que Jeff. 
— Você está aqui, Nathan tem você ao lado todas as noites. 
— É, somente ao lado… - ela suspirou. 
— Sis, está tudo bem? Com você e o Nathan? 
— Sim, está. E-eu acho que está - ela passou as mãos no cabelo evitando olhar para a irmã alguns segundos - Eu tenho trabalhado muito, chego em casa tarde e dou um pouco de atenção para Katherine e depois vou para cama. Quer dizer, ele sabe como são essas rotinas de filmagens e estou fazendo muitas cenas de ação que exigem mais de mim. Quando chego na cama, quero dormir. 
— Há quanto tempo vocês não transam? 
— Umas duas semanas, eu acho. Talvez mais.  
— E você não conversou sobre isso? Quer dizer não é normal… para vocês, é? 
— Eu não sei, acho que só ficamos assim durante alguns momentos da gravidez e depois que Katherine nasceu, mas… 
— Mas? Stana, você está me dizendo que não sente vontade? 
— Não! Claro que não… eu sinto, como não poderia com um homem daquele ao meu lado? O tempo, o trabalho, nossa filha. Acho que faz parte da rotina de qualquer casal, sis. 
— Não, vocês não são qualquer casal. Eu e Jeff não somos qualquer casal. isso está errado, sis. Já parou para pensar como ele está se sentindo? Pode achar que você perdeu o interesse nele, jogou-o para escanteio. Você precisa consertar isso o mais rápido possível. Que horas ele volta para casa? 
— Depois das seis. Talvez mais tarde - Gigi checou o relógio. 
— Temos três horas. Vá tomar um super banho, ficar bem cheirosa. Escolha uma roupa bem sexy, capriche. Eu vou ficar com Katherine. Vou brincar com ela, vamos nos cansar e ela vai dormir para você acabar com esse jejum. Sis, está na sua cara que quer e que está preocupada. Precisam disso. Em casamento Katic não existe crise. Eu me recuso. E pensar que eu tinha um problema, coitado do meu cunhado. Deve estar subindo pelas paredes. 
— Hey! E você não tem pena de mim? 
— Não, é você que está evitando, oras! Vai acabar com isso hoje. o que está esperando? Suba logo essas escadas! - Stana ficou olhando para a irmã por uns instantes, correu na direção dela e tascou um beijo na bochecha de Gigi - eu podia ser egoísta já que o meu marido não está aqui, mas não gosto de ninguém triste perto de mim. Continue com esse sorriso no rosto e suma daqui! 
Stana subiu as escadas correndo. Ela não sabia como Gigi conseguira, contudo por volta de quinze minutos para as seis da tarde, a irmã acabara de alimentar uma Kate que empanzinada , cochilou quase imediatamente. Também havia colocado um vinho para gelar e estava de saída. 
— Cadê seus saltos, sis? Tem que ser pacote completo… gostei da roupa. Meu cunhado vai ficar babando nesse decote. Vou nessa, boa sorte! Depois me conta como foi e como ficaram as coisas entre vocês - beijou o rosto da irmã e saiu.
Stana não sabia dizer porque estava nervosa. Fizera isso tantas vezes com Nathan então qual era o problema? Apenas um. E se ele a rejeitasse? Sim, podia fazer isso. Podia alegar o mesmo que ela. Cansaço. Se isso acontecesse, era sinal de que a relação deles se desgastara? Por que ela estava pensando essas besteiras? Ela o amava. Ele era seu marido, seu companheiro. Não era essa a atitude que a irmã esperava dela. 
Pegou as taças de vinho arrumou-as onde queria e subiu as escadas. Antes de ir para o seu quarto deu uma ultima espiada em Katherine. A filha dormia serena. 
Nathan chegou em casa às seis e meia. Tivera um dia muito produtivo, estava animado. Durante o caminho para casa, ele se perguntava se Stana tivera um bom dia. Desconfiava que o novo trabalho começava a realmente consumi-la. O que ele esperava que acontecesse, porém as coisas não estavam bem entre eles. Era estranho vê-la chegar em casa e apenas deitar-se na cama ao seu lado. Era um beijo e boa noite. Ele sentia falta dela, a desejava, mas nos últimos dias percebia que ela evitava contato. Aquela não era sua Stana, sua esposa. 
Nathan viera decidido para casa. Precisavam conversar. 
Estranhou o silêncio na sala. Será que estava no quarto de Katherine? Podia estar dando uma mamadeira para a filha já que apenas dava peito na ultima mamada da noite. Subiu as escadas, viu que a porta do quarto da filha estava encostada. Devagar, ele a abriu. Kate dormia no berço. Ele se aproximou e cheirou a cabecinha da filha. Onde estava Stana? A ultima coisa que queria era encontra-la dormindo. 
A porta do quarto do casal estava escancarada. A cama arrumada. Nem sinal dela. Também não havia barulho vindo do banheiro, nenhum chuveiro ligado. Também não viu o celular nem a babá eletrônica. Não checara a cozinha. Talvez tivesse fazendo o jantar. Tirou o casaco, trocou de camisa, colocou uma bermuda. Desceu as escadas. 
Nada na cozinha. Mais que diacho, onde ela se metera? Então ele viu a silhueta da mulher próximo a piscina. Abriu a porta da varanda e saiu para o quintal. Stana usava um vestido preto curto, saltos altos. Estava de costas. Ele se aproximou. 
— Stana… o que você está fazendo aqui? Estava com alguém? - ela se virou. 
— Estava esperando você - ele reconheceu o vestido. Ela o usara em uma premiação era bem curto e o decote dos seios era incrível. 
— Vai a algum lugar? Tem compromisso? - ele estava intrigado ao vê-la toda arrumada, maquiada. Viu a esposa se aproximando dele. 
— Tenho um compromisso importante. 
— Você não me disse nada, achei que era seu dia de folga e - Deus! Ela estava sexy demais! Como ela iria sair daquele jeito? - você não me avisou e que roupa é essa? 
— Meu compromisso é com você, Nathan Fillion, meu marido - ela se inclinou sussurrando no ouvido dele - dessa vez estou sem calcinha… - ela se afastou e chutou os sapatos longe - quer? Tente me pegar - dizendo isso ela caiu de cabeça na piscina. 
— Meu Deus! - para o diabo com conversar, ele livrou-se das roupas que usava e pulou completamente nu na piscina. Em poucos segundos, ouvia-se o grito de Stana seguido de uma gargalhada. 
Uma hora depois, ele estava abraçado a ela ainda dentro d’ agua. Stana virou o rosto para beija-lo. Os olhos azuis estava calmos, brilhantes. 
— Desculpe, amor. Eu venho falhando com você. 
— Do que está falando? - ela se virou para fita-lo.
— Do nosso casamento, da rotina, Não é justo, não quero que pense que cansei ou enjoei de você. Nunca… eu acabei me deixando levar pelo trabalho e prometi a mim mesma que isso não pode se repetir. 
— Você estava cansada. 
— Nós parecíamos dois estranhos! Admita - ele acariciou o rosto dela. 
— Eu sei. Tanto que hoje vinha disposto a ter uma conversa séria com você. Sobre o que estava acontecendo. Não queria que pensasse que não te desejo, isso seria loucura. 
— Eu sei, eu sei, sinto muito, Nate. Minha culpa. Se isso acontecer, por favor, me sacuda! Brigue comigo! Por favor… três semanas! Como conseguimos? 
— Deve ser um novo recorde - ele riu - tudo bem. Passou e não irá acontecer novamente. 
— Eu amo você - encostou a testa na dele. 
— Eu também, Staninha. Que tal você tirar esse vestido de vez para uma nova rodada? Ainda tenho muita libido acumulada - ela riu. Virou-se de costas. 
— Faça as honras, Nate… - novamente eles fizeram amor na piscina. Agora sem pressa ou loucura para saciar o desejo que se acumulara e os incomodara. Pele contra pele, eles deixaram os seus corpos experimentarem todas as sensações de prazer lentamente e quando Stana o fez encostar as costas na parte de azulejos mais rasa da piscina, sabia que seria sua perdição. Ao prova-lo com sua boca e a língua, Nathan entendera que não havia nada de errado entre eles. 

XXXXXX

Jeff chegou em casa depois de uma longa semana de viagens, reuniões, contratos. Pelo menos conseguira resolver tudo, inclusive o que prometera para Gigi. Esperava que ela gostasse. O voo de Boston para Los Angeles fora muito mais demorado do que previra. A conexão atrasou e acabou ficando preso duas horas no aeroporto de Dallas. Eram onze da noite. As luzes da sala estavam apagadas. Subiu as escadas deixando a mala lá embaixo mesmo. 
O quarto estava no escuro exceto pela luz da tv. Pelos áudios já sabia o que ela estava assistindo. Encontrou Gigi de olhos atentos a uma cena de Outlander e se enchendo de chocolate. 
— Está me trocando por esse ruivo e chocolate, Gigi? - ela tomou um susto. Derrubou a caixa de seu colo sobre o colchão. 
— Filha da… Jeff! Você me assustou. 
— Responde, Gigi. Está me trocando? 
— O que você queria? Estou em abstinência por sua causa e a sis me deu essa caixa de chocolate porque eu tive a brilhante ideia de ajuda-la a transar loucamente, Claire está fazendo o mesmo e eu estou chupando o dedo… 
— Mesmo? - ele sentou-se do outro lado da cama, mantendo a distância devido ao tamanho da mesma, ele provocou - não acha que está muito dependente de sexo? 
— Sexo? Quem falou em sexo? - ela se colocou de joelhos na cama, Jeff pensou que ela iria vir ao seu encontro, mas sempre esquecia o quanto ela era maluquinha. Gigi ficou de pé no colchão. Jeff se aproximou devagar ainda sentado. Indo até ele, ela usou um dos pés para empurra-lo contra o colchão. Abriu as pernas e sentou-se sobre o marido. Com as duas mãos segurando seu rosto, ela falou - eu quero fazer amor, Jeff - tirou a camiseta que usava - bem-vindo de volta, meu marido - e beijou-o apaixonadamente. 
Eles estavam de roupão na cozinha. Jeff fritava ovos para eles. Havia pães e queijos sobre o balcão. Gigi mordiscava um croissant. 
— Como foi a viagem, amor? 
— Cansativa e produtiva. Um bom resultado. 
— Espero que você não tenha que viajar tão cedo. Não gosto. 
— Você sabe que não funciona assim, Gi. A propósito, acontecerá mais rápido do que você imagina. 
— Ah, não… de novo, Jeff? - ele se virou colocando os ovos nos pratos dos dois. Deixou a frigideira no balcão - eu disse para sis que isso devia ser proibido. Vai ser outra semana completa? 
— Na verdade, um fim de semana em aproximadamente dez dias. 
— Vai me deixar sozinha no fim de semana? Não acredito. 
— Acho que você não terá outra alternativa, Gi. A menos que não queira visitar sua sogra em Edmonton - ela olhou para ele surpresa. 
— Edmonton? Não é à trabalho? Você vai me levar para ver a sogrinha? 
— Esse é o plano. Achei que você ia gostar… 
— Gostar? Eu amei! - ela se pendurou no pescoço dele quando ia beija-lo, parou - espera, você vai comigo, não? 
— Claro que sim, amor. 

— Ah, meu gostoso! Eu amo você… mal posso esperar para ver minha sogrinha linda - beijou o marido e soltou um gritinho de felicidade fazendo Jeff rir. Adorava sua maluquinha.          


Continua...

4 comentários:

Camila Lorrane disse...

OMG OMG preciso nem de um copo de agua e sim de uma Garrafa inteira kkkkkkkk.
O que dizer desse Cap Hot muito Hot hahahaha tivemos um momento tenso mais nada que atrapalhace nosso Casal Stanathan Katherine ta Crescendo tao Rapido tempo ta passando tão Rapido. Cometer uma Gafe todo mundo comete ate a Stana kkkkkkkkkk tadinha ficou tão nervosa mais se saiu bem como sempre
Vou espera a nossa pequena saudades dela
Gigi o que fala dessa maluquinha nem sei o que fala doida de mais hahahaha. Meu marido nao e Gay kkkkkkkkkkk. Stana um pouco Receosa pq ela e Nate nao ta tendo um tempinho pra eles.Gigi foi na casa dos Fillion e Ajudo sua Sis amo essa doidinha kkkkk Reunião em fsmilia amo amo Gigi pedindo pra da Mamadeira a Kate sera que breve teremos mais um Baby na Area
Bom Kah Ficou per como sempre obg pela Notinha falando da Pequena espero ver a pequena Logo wow Comenterio ficou um pouco Grande 😍😍👣👣👶🏼❤️

cleotavares disse...

ohh! A Stana trocando o nome dos personagens. Castle é Castle, ou melhor, Castle é Nathan. Troca de nomes a parte, ela vai arrasar em Absentia. Amei esse dia e horário.
Tem como não amara a Gigi? Não. Não tem. Fica emburrada com uma piada (pra defender o homem dela) e fica tão fofa, cuidando de Kate.
O velho fogo Stanathan está de volta, uhuuuu! "Três semanas"? Esse é o tipo de 3, que não pode pedir música no fantástico, hahahah!

Vanessa Belarmino disse...

Adorei os primeiros passos em Absentia... Muito legal essa interação e totalmente normal ela trocar o nome... 8 anos, psicologicamente era quase como voltar de um hiatus de Castle... Mas agora é outra historia, outros personagens e atores... Aos poucos ela vai se acostumando...
Amei Nate (quase mando um Castle aqui tb hahahaah) com Kate, sendo papai bobão nerd. Foi fofo! "Olhe pelo lado bom, você ainda pode voltar para casa e me beijar, conversar, fazer amor. Seu Nathan ainda está na sua vida e não pretende ir a lugar algum" Ta vendo Staninha, muitas vantagens! haha
Encontro dos irmãos♥♥
Adoro a implicância de Nate e Gigi... Quantas novidades...
Lua de mel super sexy e quente, cama aprovada com sucesso e Jeff vermelho de vergonha haaha
Amo esse momento entre irmãs... Gigi sente na pele o que diz... OMG. Sem falar que fiquei toda boba com o jeito dela com a pequena Kate... Foi tão natural!
Achei super fofo Jeff apoiando Stana, repetindo as palavras de Nate... Sabe que até esqueço do segredo. Engraçado que quando comecei a ler, era o que mais queria saber... Agora virou um detalhe perto de toda a historia...
Jeff vai ser um ótimo pai, e tenho certeza que Gigi vai ser uma ótima mãe... Pode ter alguns percalços, mas vai se sair super bem e vai ter um homem maravilhoso ao lado para ajuda-la. Eu amei ela dizendo que aprendeu a lição ♥♥
Eu fiquei boiando nesse podcast, mas achei o máximo a reação da minha bichinha... Pega ar fácil, ainda mais quando é com seu homem... Nathan quase apanha hahaha
Entendo o lado do Nathan, mas logo aparece algo... Adorei Absentia no horário de Castle ( meu sonho, e que de muito certo para que certas "presidantas",vejam o que perdeu).
A estreia do novo visual da Stana foi um sucesso... Hot, sexy e algo mais... Wow!

Jeff vai viajar, uma semana... Gigi querendo evitar Nathan para nao brigar com ele... Quem diria que ele não estaria em posição de provocar hahahaha
Três semanas? What? Ainda bem que tem a super Gigi para dar um empurrãozão haha
"Vocês não são qualquer casal...". "...Em casamento Katic não existe crise (de sexo)..."
"... coitado do meu cunhado. Deve estar subindo pelas paredes" ahahahah Quase morri de rir. Gigi foi demais e ainda cuidou de Kate... ♥♥
Staninha cheia de receio e Nate todo encucado, e eu rindo... Sorry hahaha
Como se eles precisassem de libido acumulada hahaha
Enfim acabou o jejum SN e Gigg! Acho que ate o Nate deveria dar um presente pra Gigi hein hahaha
♥♥ Vão visitar os sogrinhos mais lindos♥♥
Esperando o próximooo!

Priscila Barros disse...

Ahhh, que capítulo maravilhoso, Kah!❤❤❤
Como não amar esses dois casais lindos e cheios de amor?! ❤❤ Amo demais!
Staninha falando Castle enganada enquanto passava a cena com o carinha lá deu aquela dorzinha. Sonho de vida é ver meus dois lindinhos contracenando juntos outra vez ❤❤❤❤
Eu sempre falo que amo a Gi, não vai ser diferente hauhahaha, melhores surtos da vida! O Jeff de pai vai ser uma fofura só! A Gigi surtando com a beleza dele de 'pai' foi ótimo, mas ela surtando com o 'Jeff sereia' foi maravilhoso hauahauahuhauahauahu, eu ri horrores! Isso que​ eu chamo de proteger o marido kkkkkkkk.
[Vamos abrir aquela parte especial para comentar sobre a Gigi ser a melhor pessoinha do mundo, que assiste Outlander ❤❤❤❤❤❤❤❤❤❤/ é chuva de coração porque ela é maravilhosa! ❤❤❤❤❤]
Essa mudança de cabelo da Staninha rendeu bons momentos eim! ❤❤❤
'E se a Gigi existe, graças a Deus que ela existe' parafraseando Inês Brasil, porque a Gi ajudou meus amorzinhos a voltarem a ativa, né hauahauahu ❤❤❤
Ai, amei muito cada pedaço do capítulo, Kah. Obrigada ❤❤❤❤❤❤❤