quarta-feira, 2 de novembro de 2016

[Castle Fic] One Night Only?! - Cap.69


Nota da Autora: O capitulo tem numero sugestivo, mas isso não é o mais importante. Essa parte de ONO é uma homenagem a tudo que tornou essa historia o que é : suas origens, suas essências. Por que recordar é viver, porem criar novas lembranças é melhor ainda. Todas sabem que essa fic é AU portanto não esperem obvio da série. Esse capitulo marca o inicio do fim da nossa jornada e hoje ele é dedicado a quatro pessoas (nada de ciúmes, tenho meus motivos!). A Lee, porque treta é o nome dela. A Gabys minha comentadora oficial, presente de niver antecipado, a Aninha porque mesmo sem textão, ela ama essa fic e a Van, porque ela sabe que depois de ONO, Roma nunca será a mesma. Enjoy! 

Atenção... NC17!


Cap.69

Quando Castle e Beckett chegaram no loft carregando as sacolas de comida chinesa do restaurante que ela adorava, encontraram Alexis lendo no sofá e Martha saboreando um martini folheando uma revista de moda. Eles entraram fazendo barulho. 

- Você viu a cara dela? Ficou pálida! Pensei que ia ter um treco. 

- Mas você abusou, eu escutei parte da conversa. Estou começando a ficar com pena de Dana, o que ela teve que aguentar todos esses meses com você, hein? 

- Ah, cala a boca, Castle! - ele se virou sorrindo para filha enquanto colocava as sacolas no balcão. 

- Oi, Alexis. Mãe… - ao olhar na direção das duas, foi a vez de Kate trocar um olhar com Castle. Elas pareciam assustadas. A menina estava boquiaberta e Martha olhava desconfiada. Castle resolveu acabar com o suspense - não vão cumprimentar a Beckett? 

- Olá, detetive Beckett. 

- Alexis, já disse que é Kate. Oi, Martha. 

- Você não deveria estar nos Hamptons? Sim, mãe estamos juntos. Feche a boca e cumprimente a minha namorada - Martha abriu o sorriso se dirigindo até ela e abraçando-a. 

- Oh, Katherine! É bom tê-la de volta. Ainda bem que esse cabeça dura do meu filho resolveu voltar atrás. 

- Nem vou argumentar, parece que o problema é sempre meu mesmo… 

- Ah, Martha… é muito bom estar de volta. Vocês já jantaram? Trouxemos chinesa. Tem comida suficiente para todos. 

- Eu aceito - disse Alexis - estou morrendo de fome. Bem-vinda de volta, Kate. 

- Obrigada, Alexis. 

Eles sentaram-se para jantar a mesa. As conversas foram as mais diferentes possíveis. Nem Castle nem Beckett mencionaram algo sobre sua demissão. Concentraram-se em coisas boas como o próximo fim de semana nos Hamptons. Mais tarde naquela noite, depois de fazerem amor, Kate estava deitada abraçada em Castle quando mencionou. 

- Eu tomei uma decisão. 

- Decisão? Está falando de nós? 

- De certa forma. Sobre meu distintivo. Eu vou conversar com Gates. Amanhã. 

- Isso foi rápido. 

- É o correto a fazer, Castle. Você tem razão, eu não conseguiria voltar para a faculdade, ser uma advogada. Ser policial, isso foi o que escolhi, foi assim que nos conhecemos e por isso chegamos até aqui, se não tiver meu distintivo não tenho identidade. Além do mais, como você pode justificar Nikki Heat sem sua inspiração real? 

- Eu sabia que você tomaria a decisão certa. Estou feliz por ter ajudado. Quanto a Nikki, ela sempre pode apelar para o lado vadia - Beckett o esmurrou - ouch! Retiro o que disse… 

- Acho bom. Amanhã irei cedo ao distrito. Você vai agendar o almoço no Q4? 

- Vou esperar sua conversa com Gates, assim teremos todos os motivos para comemorar. Eu também tenho um compromisso logo cedo. Uma reunião com Gina. 

- Devendo capítulos outra vez? Isso tem a ver comigo? Foi por minha causa que você não cumpriu seu prazo? 

- Não… em partes, Você me deixou com um certo bloqueio, mas já passou. O assunto da reunião é outro. Ela quer discutir marketing para o Frozen Heat, o próximo livro da série. Podemos nos encontrar para almoçar? Remy’s? 

- É um encontro.  

No dia seguinte, Beckett saiu cedo do loft. Vestida como a sempre sagaz detetive, ela saiu do elevador no quarto andar do distrito caminhando com firmeza até a sala de sua ex-capitã. Bateu na porta levemente e Gates fez sinal para que ela entrasse. A conversa das duas durou mais de uma hora. Ryan estava curioso para saber o que se passava, afinal com a suspensão de Esposito, ele estava sozinho no distrito e a capitã além de exigir o máximo dele o contara superficialmente que Beckett não fazia mais parte da equipe do 12th e nem da NYPD. 

Finalmente a porta se abriu. Beckett deixou a sala da capitã séria, ele não conseguia saber o que estava de fato acontecendo. Ela caminhou até a mesa dele. Tentando manter-se calmo e desinteressado, ele revirava vários papeis em sua mesa. 

- Oi, Ryan. 

- Beckett? Oi, o que faz aqui? 

- Tem um minuto? Podemos ir a mini copa? 

- Claro - ele a seguiu - quer café? 

- Por que não? Como você está? Sei que as coisas entre você e Espo não ficaram muito bem depois do ultimo caso. É minha culpa, eu sei. Acabei forçando uma situação que prejudicou todo mundo, deixou sequelas. 

- Beckett, pare com isso. Você quase morreu, esquece isso - ele lhe entregou o café. 

- Sim, eu quase morri. O que me lembra porque te chamei aqui. Eu nunca tive a oportunidade de lhe agradecer apropriadamente, Ryan. Se não fosse você, se não tivesse agido pelas regras, eu não estaria aqui. Você me salvou. 

- Eu estava apenas fazendo meu trabalho. Você está bem? - ela sorriu e o abraçou. 

- Kevin, você foi um ótimo amigo. Obrigada. Sim, estou bem. E tenho mais uma noticia. Eu voltarei a trabalhar com vocês. Conversei com Gates, ela reconsiderou minha demissão, mas antes terei que cumprir um mês de suspensão. 

- Beckett, isso é ótimo! E-eu me senti culpado por sua demissão. 

- Você não teve nada a ver com isso, Ryan. O problema era meu e já foi resolvido. 

- Vai ser muito bom tê-la de volta a equipe. Espera, e Castle? Ele também volta ou vocês não estão se falando? - Beckett sorriu, sabia que o amigo era fã de Castle e torcia pelos dois. 

- Eu conversei com Castle. Tenho quase certeza que ele volta. Será um prazer trabalhar novamente com você, Ryan - ela tomou mais um pouco do cafe, colocou a caneca sobre a mesa e sorriu - te vejo daqui a um mês, detetive. Nesse meio tempo, tente não brigar com ninguém nem morrer estafado, sei que lidar com Iron Gates pode ser bem estressante na maioria das vezes. A gente se vê - ela deixou a delegacia. Assim que saiu do prédio, ligou para Castle - podemos almoçar ou você ainda está enrolado? 

- Estou a caminho do Remy’s. Quinze minutos. 

- Certo, espero você.     

Remy’s 

Ela estava sentada em uma de suas mesas favoritas. Se contentava em beber agua para esperar por Castle a fim de fazer o pedido. Claro que todos sabiam o que ela iria comer, mas ela não queria começar sem ele. Ao avista-lo entrar na lanchonete, o garçom que sempre os atendia cumprimentou e perguntou. 

- O de sempre? 

- Sim, pode mandar fazer - ele respondeu trocando um olhar com ela. Sentou-se ao seu lado, apertando a mão dela por debaixo da mesa - hey… como foi com Gates? 

- Você está falando com uma detetive da NYPD, cuidado. 

- Beckett, isso é ótimo! Sabia que conseguiria. Gates não é boba de perder sua melhor detetive. 

- Não tão fácil, Castle. Terei que cumprir uma suspensão de um mês. Não é o fim do mundo e falei sobre você voltar. Ela concordou. 

- E as boas noticias não param! Na verdade, essa sua suspensão veio bem a calhar. Também tenho novidades que podem lhe interessar, detetive. Ah, como é bom poder chama-la assim - ela sorriu orgulhosa de ver como ele ficara feliz - Sobre minha reunião com Gina. Ela queria discutir tours. Quando ela começou com o assunto, já estava inclinado a dizer não a todos, mas ela comentou que Ellen telefonara e perguntara sobre o lançamento de Naked Heat e Heat Rises. Aparentemente, ela quer fazer um único evento e tudo indica que Gina topou. A editora está adiantada na tradução e publicação. Se quisessem os livros amanhã, Ellen já os teria. Gina estava enrolando com medo que não entregasse o quarto livro dentro do tempo o que a faria postergar os eventos. Como garanti que entregaria, ela resolveu ceder ao pedido de Ellen. Acho que não poderíamos pedir época melhor para fazer uma viagem. O que você acha, Kate, aceita ir para Roma comigo? 

- Roma… - os olhos brilharam - não poderia pedir por nada mais. Será um sonho reviver Roma. Con piacere! 

- Depois do almoço, confirmo para Gina. Vou pedir para antecipar o máximo que ela puder. Falando nisso, está na hora de marcar aquele almoço no Q4. E os Hamptons, saímos daqui depois de amanhã. Ficamos o fim de semana. 

- Estou adorando a programação - ela sorriu levada. O pedido chegou e eles se concentraram em comer enquanto Beckett contava sobre a conversa com Gates.      

Mais tarde, ele a deixara em seu apartamento com a promessa de que ela apenas faria uma mala e voltaria para o loft naquela noite. Em seu escritório, conversou com Gina que ficou radiante por saber que poderia fazer seu trabalho sem ter que ameaça-lo. Depois, ele discou o numero de Maddie. Assim que ela atendeu, Castle usou sua melhor voz de galanteador. 

- Olá, Maddie. Como você está? 

- Castle? E-eu estou bem. O que posso fazer por você? 

- Eu gostaria de reservar uma mesa para um almoço no Q4. 

- Ah, não! Outro almoço com aquela loira sem sal? Eu me recuso! 

- Hey! Isso é jeito de tratar um cliente VIP e famoso como eu? 

- Quando você anda em más companhias, é indiferente para mim. Esse é o tratamento que vai receber nos meus restaurantes. 

- Ouch! Maddie, trata-se de um almoço de negócios muito importante. Uma cliente muito especial para a editora. 

- Sei, da última vez que você inventou esse tipo de almoço, além de não ser ninguém especial, você ainda me fez raiva. Não sei se estou disposta a passar por isso outra vez. 

- Maddie, por favor… estou falando sério. É uma oportunidade única. Você vai gostar da minha convidada, ou melhor convidadas. Uma delas é um pouco famosa. É sério. 

- Ah, droga! Tudo bem, mas se você me fizer raiva de novo, eu juro que vou te cortar em pedacinhos com a faca do Rocco. Não sou tão tolerante quanto a Becks - ele segurou o riso - para quando é a reserva? 

- Amanhã, uma da tarde. 

- Mas você é folgado mesmo! Tudo bem, quantas pessoas? 

- Quatro. 

- Certo, está agendado. Vê lá o que você vai aprontar, Castle. Estou falando sério. 

- Confie em mim, Maddie. 

- Esse é o problema. 

- Vejo você amanhã - ao desligar fez mais uma ligação avisando Dana. Quando terminou de agendar todos seus compromissos, ouviu vozes na sala. Beckett conversava com Alexis e o namorado. Martha estava na cozinha servindo vinho para as duas - está rolando uma festa aqui e ninguém me convidou? - ele foi direto abraçar e beijar a namorada - faz tempo que você chegou? 

- Uns dez minutos. Estávamos falando sobre filmes. 

- Cadê sua mala? - ela apontou para o objeto próximo a porta - ótimo. Vou leva-la para o meu quarto. Se quiser pode arrumar algumas coisas nos mesmos lugares de antes. Ah, está tudo certo para amanhã no Q4 embora Maddie não pareceu nada satisfeita com o meu suposto almoço de negócios. 

- Pronto para outra brincadeira? 

- Acho que com Maddie a coisa pode se tornar mais agressiva. 

- Por que diz isso? Certo, é a Maddie, tudo torna-se intenso. 

- Você não faz ideia. Vem comigo que te explico porque - eles desapareceram no quarto, no mesmo momento em que estavam sozinhos, Castle a agarrou beijando-a intensamente. 

- Entendi, você não tem nada para me explicar só queria sair da frente da sua filha para me atacar. 

- Não, amor. Eu tenho algo para contar, mas porque perderia a oportunidade de matar as saudades? 

- Castle, eu demorei no máximo três horas. 

- O que posso dizer? Sou dependente de você, detetive - então ele contou sobre o ultimo incidente no Q4 e falou da reação de Maddie ao telefone. Kate ouviu tudo calada, quando ele terminou, sorriu.

- Isso somente tornará tudo mais interessante. Eu estava pensando em aparecer no Q4 sozinha então… - ela contou seu plano para Castle. Para ele estava claro, ou Maddie o mataria ou faria um escândalo para comemorar. Não sabia dizer qual era a melhor alternativa. Era pagar para ver.   

Q4 - dia seguinte 

Ao ver Kate Beckett entrar no salão do restaurante, a hostess prontamente veio cumprimenta-la sorrindo. 

- Olá, detetive Beckett. Veio falar com a Srta. Queller ou vai encontrar alguém para almoçar? Posso lhe dar uma mesa.  

- Vim encontrar alguém. Preciso de uma mesa especifica e nada de comentar meu pedido para Maddie, deixe eu ver seu livro de reservas - Beckett estendeu um olhar a moça que prontamente a fez obedecer, vendo qual a mesa que estava reservada em nome de Castle, ela pediu a que estava ao lado. Sem questionar, a moça a levou até o lugar. Após sentar-se, Beckett mencionou - quando Dana Anderson chegar, você pode trazê-la até aqui e também pode dizer para Maddie que estou aqui. Obrigada.  

Sorrindo, a moça lhe deixou sozinha. O Q4 estava relativamente cheio o que era de se esperar pois se tornou um dos restaurantes preferidos para executivos fazerem reuniões. Ela já imaginava a reação da amiga ao vê-la ali, sentada na mesa ao lado da reservada para Castle. Kate estava bebendo água quando Maddie apareceu.  

- Becks! Por que não avisou que vinha almoçar comigo? Posso conseguir uma mesa bem melhor do outro lado do salão.  

- Não precisa,Maddie. Está ótimo, sua hostess foi bem atenciosa. E estou esperando alguém.  

- Um encontro? - Maddie arregalou os olhos, se a resposta fosse positiva iria surtar.  

- Não um encontro como você está pensando, estou esperando a Dana.  

- Ah, uma consulta com sua terapeuta em um lugar diferente.  

- Não, um almoço entre amigas mesmo - ela notou que Maddie pareceu aliviada, mas estava nervosa. Checava o relógio. Faltava quinze minutos para uma da tarde, Castle apareceria a qualquer minuto.  

- E como vai a terapia? Está chegando ao fim?  

- Talvez. Maddie se você está ocupada, pode cuidar do seu restaurante. Está cheio, Dana vai já aparecer.  

- Por que diz isso? Eu estou bem.  

- Você já checou seu relógio duas vezes em menos de cinco minutos.  

- As vezes esqueço que você é detetive - mesmo com receio, ela tinha que perguntar - como estão as coisas com Castle? 

- Não estão. Tivemos uma briga feia, não o vejo tem uma semana, sinceramente? Acho que ele desistiu de mim. Nem sei ainda se quero vê-lo, não discuti todo o caso com a Dana ainda - pronto, ela pode ver o pânico no rosto de Maddie. Definitivamente, ela ia querer matá-la quando soubesse da verdade.  

- E-eu preciso checar uma coisa, já volto - Maddie saiu com pressa indo até a sua hostess - eu preciso de uma mesa para duas pessoas urgente do outro lado do salão.  

- Alguém especial pediu uma reserva de última hora?  

- Não, preciso mudar Becks de lugar ou teremos uma visão do apocalipse no Q4 - a hostess já orientada por Beckett fez seu papel como ninguém.  

- Sinto muito, a única mesa disponível é uma de seis lugares. Não tenho previsão para mesa desse lado do salão.  

- Ah, droga! O que eu vou fazer? - nesse instante, Dana surge no restaurante. Ao vê-la, Maddie apela - Dana! Eu preciso falar com você sobre Kate.  

- Eu vim encontrar com ela e...  

- Dana, um desastre está prestes a acontecer em cerca de cinco minutos, Castle está vindo almoçar aqui e a mesa dele é bem ao lado da de vocês e não tenho como move-las e... 

- Mas acho que... - Maddie a interrompeu.  

- Kate acabou de me contar que não o vê há uma semana. Brigaram feio e agora eu posso ter causado o reencontro deles e não vai ser bonito - então Kate ia enganar Maddie também. Rapidamente, Dana entrou na brincadeira.  

- Maddie, não é culpa sua. Castle sabe que Kate é sua amiga, existe a possibilidade de encontra-la aqui, se faz isso é porque não está preocupado. Ela também conhece o risco. E o Q4 é um dos poucos lugares que eles têm em comum além das livrarias, acredito. Uma hora terão que se encontrar portanto, relaxe.  

- Não sei como você pode ficar tão calma diante disso. Da última vez que Castle marcou um almoço de negócios, apareceu com uma loira piriguete a tiracolo. Vai ver que é por isso que você é a terapeuta. Vou levá-la até Kate - Maddie não viu, mas Dana tinha um sorriso no rosto. Ia ser bem divertido ou não. Dana sabia da impulsividade dela. Kate que lidasse com isso - Kate, olha quem está aqui.  

- Oi, Dana! Sente-se! Estava pensando em pedi um aperitivo, estou morrendo de fome.  

- Qualquer coisa que precisarem podem me chamar e Dana? Se vira! - assim que Maddie se distanciou, Beckett perguntou.  

- O que foi isso?  

- O que você acha? Ela está morrendo de preocupação porque você supostamente está brigada com Castle e está sentada na mesa ao lado da reservada para ele. Francamente, Kate, por que vocês fazem isso depois de tudo o que nós aguentamos por vocês? Não é justo!  

- Porque é divertido - ver o sorriso radiante no rosto da amiga, apaziguou sua irritação.  

- Vou deixar passar porque estou amando ver o quanto você está feliz. Não me responsabilizo por Maddie! - elas riram - vai querer matá-la.  

- Vai nada! Olha, ai vem ele e Maddie está bem atrás. Deus! Ele é gostoso - Dana riu.  

- Se continuar sorrindo feito boba, vai estragar seu disfarce - no mesmo instante, Kate ficou seria com a melhor cara de "o que ele está fazendo aqui?" para Maddie que murmurava um "sinto muito" na direção de Kate. Castle parou assim Maddie indicou sua mesa fitando a namorada com cara de poucos amigos.  

- Beckett... devia imaginar que a encontraria aqui - Kate quase riu da forma fria que ele falou seu nome.  

- Castle. Algum encontro interessante? Sua aeromoça está de volta à cidade?  

- É comissária de bordo, não que seja da sua conta, mas estou aqui a trabalho.  

- Uma nova série de livros? - era Dana quem perguntava, Maddie estava visivelmente incomodada com o rumo da conversa.  

- Ah, olá Dana. Desculpe minha falta de educação, você deve entender que não esperava cruzar com certas pessoas e respondendo sua pergunta, sim, estou negociando uma nova personagem. A fonte de Nikki Heat secou - não se aguentando mais, Maddie interviu.  

- Ok, que diabos é isso? Se quiserem trocar farpas façam do lado de fora do meu restaurante. Qual o problema de vocês? Porque não assumem logo o que sentem e parem de reprimir esse desejo! A cada palavra que dizem, o silêncio grita sexo, quero você e Dana, me desculpe mas cansei desse lance de que Becks tem trauma e blá-blá-blá. Se não vão se agarrar sentem-se e gastem o dinheiro de vocês com um bom vinho e boa comida, de preferência o mais caro do menu porque é o mínimo que deveriam fazer por eu ter que aturar esse showzinho de vocês. Castle, onde estão seus convidados? - Kate trocou um olhar com Dana e desatou a rir, não aguentou o surto de Maddie - do que ela está rindo? Por que ela está rindo, Dana? Castle não vou perguntar...  

- Elas estão bem aqui, todas as minhas convidadas. Você, Dana e acredito que você conheça a famosa detetive Beckett, a melhor da NYPD e inspiração para minha Nikki.  

- O que? - Maddie arregalava os olhos na direção de Kate que ainda rindo, levantou-se da mesa e discretamente segurou a mão de Castle olhando em seus olhos.  

- Você estragou a brincadeira, tinha tantas outras coisas para dizer...  

- Vo-vocês estão... isso era... juntos - ela virou-se para Dana - você sabia e não me disse nada?  

- Eu sabia que estavam juntos, não da brincadeira. Percebi quando vi você apavorada. Se serve de consolo, eles me enganaram anteontem. Posso afirmar que não foi agradável. Relaxe, Maddie. Está tudo bem.  

- Idiota! Você é uma idiota, Kate! - os olhos de Maddie a fuzilavam, esmurrou a mesa e uma das taças caiu no chão espatifando-se - Eu toda preocupada! - ela beliscou discretamente o braço de Kate - como você faz isso comigo? - ela puxou a amiga dando-lhe um super abraço - finalmente você caiu em si! - Maddie deu um gritinho esquecendo-se completamente de onde estava - e você - disse virando-se para Castle - como ousa falar mal da sua melhor personagem? Não sei se posso te abraçar, acho que ainda estou com raiva de você.  

- Melhoraria se eu lhe dissesse que quero a champagne mais cara do seu menu para fazer um brinde especial? - Maddie sorriu e o abraçou - será que podemos sentar e conversar, temos algumas notícias para comunicar a vocês e não esqueça a garrafa, Maddie.  

- Claro! - ela chamou o garçom e pediu a bebida. Sentando-se, foi fazendo uma chuva de perguntas - como isso aconteceu? Quando? Quem tomou vergonha na cara? Quero detalhes! - eles riam do jeito da amiga de Kate, coube a ela fazer as honras e contar sobre o reencontro. Assim que dera o resumo dos fatos, Castle puxou o brinde.  

- Hoje quero brindar a vocês e ao verdadeiro significado da amizade, se estamos aqui é porque nos momentos mais difíceis tivemos amigos para nos guiar pelo caminho certo.  

- A amizade - disse Kate. Eles brindaram e provaram a champagne. Beckett sugeriu que fizessem o pedido antes de continuarem a conversa. Após tudo acertado, Castle teve a palavra novamente.  

- Não estava brincando. Durante todos esses meses em que estivemos separados, vocês ajudaram a nós dois. Dana com sua paciência para escutar nossas reclamações e acalmar nossa revolta para que não fizéssemos nada errado. Maddie, do seu jeito, nos fez enxergar o óbvio mesmo que de maneira agressiva - ele riu - acho que umas sessões com Dana viriam bem a calhar...  

- Castle... não faça eu ficar com raiva outra vez.  

- Espera, do que você está falando? Por acaso andaram conspirando pelas minhas costas? - perguntou Beckett.  

- Digamos que você não era a única recebendo os conselhos de Dana. E quanto a Maddie, as visitas ao Q4 sem você tornaram-se desafiadoras.  

- Eu não sabia que conversava com Dana. Você não me disse nada.  

- Sigilo médico-paciente.  

A comida chegou. Enquanto saboreavam, Maddie admirava o jeito do casal. Embora não tivessem trocado um beijo sequer, os pequenos gestos, os olhares, sorrisos. Era possível sentir o amor ali. Não resistindo comentou com Dana.  

- Como eles conseguem ficar tão próximos e não trocar um beijinho sequer? Você acha que Kate irá precisar da sobremesa de chocolate hoje?  

- Algo me diz que a dose diária de endorfina de Kate está muito boa.  

- Respondendo a pergunta que você fez claramente a nós - disse Kate - eu e Castle optamos por manter nossa relação em segredo como antes por causa de Gates e da NYPD. Além do mais, funcionou muito bem da primeira vez. Mas sabíamos que precisávamos contar a vocês por razões óbvias.  

- Você disse que tinha novidades, Castle, apesar que nada será tão grandioso quanto o relacionamento de vocês - Kate sorriu para ele, talvez não para elas pensou. Beckett sabia que Castle ia comentar das viagens.  

- Como vocês sabem, Kate está suspensa da NYPD, então amanhã estaremos indo passar um fim de semana nos Hamptons. E não acaba aí. Gina está programando o lançamento do segundo livro de Heat na Italia com Ellen. Eu disse para ela antecipar o máximo que pudesse. Se tudo der certo, embarcamos para Roma na próxima semana.  

- Wow! Isso é grande! - exclamou Dana que sabia do significado de Roma para Kate - estou embarcando no sábado para Milão, talvez possamos nos encontrar por lá.  

- Por que não? - concordou Castle.  

- Então está certo? Vamos para Roma de verdade? - os olhos de Kate brilhavam.  

- Sim, depende do poder de persuasão de Gina. Mas, caso ela não consiga iremos mesmo assim. Sei o que quanto você quer voltar a Roma, amor.  

- Eu queria tanto te beijar agora... - disse Kate olhando para Castle intensamente.  

- Ah... olha só para eles! Dois bobos apaixonados e nós ajudamos, Dana.  

- Sim, acho que foi meu caso mais intenso. Daria um belo livro, quem sabe até um best-seller. Podia me aposentar depois desses dois - elas riam especialmente porque nenhum deles pareciam estar interessados no que elas diziam - hey! Terra para o planeta "morro de amores por você"! Não queremos segurar vela. Será que podemos pedir a sobremesa?  

- Precisando de uma dose de endorfina, Dana? - provocou Kate.  

- Engraçadinha... alguns dias atrás você estava choramingando no meu consultório.  

Eles pediram a sobremesa, o café, conversaram mais um pouco e se despediram de Dana prometendo encontrá-la em breve. Kate agradeceu a Maddie e voltou ao loft com Castle. Nem bem fecharam a porta do apartamento, Kate o agarrou beijando-o apaixonadamente. As mãos percorriam suas costas e foram descansar seu bumbum apertando-o e empurrando-o contra seu corpo, a língua fazia movimentos dentro da boca de Castle que o levavam à loucura, mordiscou seus lábios e finalmente afastou-se dele dizendo.  

- Isso é por Roma...  

- Nossa! Nem imagino o que posso ganhar quando estivermos lá realmente - ele sorria - pronta para os Hamptons? Acho que podemos ficar até segunda e conforme for a resposta de Gina, embarcamos para Roma na sexta. Tudo bem?  

- Perfeito.  

XXXXXXX

A ida e o período nos Hamptons não poderiam ter sido melhores. Ainda não era o início do verão portanto a temperatura estava agradável e o sol fez parte do cenário todos os dias. Kate pode desfrutar da praia, do mar como não fazia desde a última vez que estiveram ali. Claro que Castle a paparicou todos os momentos e ela retribuiu seu carinho e cuidado à altura proporcionando na noite de sábado um banho de piscina especial na temperatura perfeita para nadarem completamente nus. Ele amou cada minuto daquilo.  

No domingo, às vésperas de retornarem a Nova York, após um jantar delicioso à base de frutos do mar encomendado por Castle porque não estavam a fim de sair de casa, Kate sentou-se no piano outra vez para agracia-lo com sua voz e boa música. Ele sentou-se ao lado dela, beijando seu pescoço atrapalhando sua concentração.  

- Castle... você me fez errar.  

- Tudo bem, tenho um motivo especial. Pode tocar a nossa canção? E não adianta dizer que não sabe porque você sabe, me enganou durante muito tempo porque me queria seu escravo musical.  

- Enganei? Hum, tudo bem admito. Mas, nós temos uma canção?  

- Ah, Kate... por favor, você sabe que sim. Tocamos juntos nesse mesmo piano, eu lembro como se fosse hoje - ela sorriu inclinando-se para beija-lo. Então dedilhou algumas notas ao piano.  

- Seria essa? - e pos-se a tocar encarando os olhos azuis que a fitavam com tanto carinho - "You go to my head and you linger like a haunting refrain and I find you spinning round in my brain like the bubbles in a glass of champagne"

- “You go to my head like a sip of sparkling burgundy brew and I find the very mention of you like the kicker in a julep or two” - foi a vez dele continuar. Cantaram o resto da canção alternando entre si, até a última estrofe quando Kate começou a cantar e Castle a acompanhou sorrindo um para o outro.  

- "Though I'm certain that this heart of mine hasn't a ghost of a chance in this crazy romance you go to my head, you go to my head"

Ela largou as teclas do piano e simplesmente segurou o rosto dele com as duas mãos beijando-o intensamente. Castle levantou-se puxando-a pela mão em direção ao seu quarto. Fizeram amor outra vez antes de adormecer nos braços um do outro.  

Na segunda-feira, quando estavam arrumando suas coisas para retomarem, o celular de Castle toca. Gina.  

- Oi, Gina. Espero que tenha boas notícias para mim - ele a ouviu por alguns segundos - certo, o evento? Ótimo! Não vejo problema algum - mais conversa - pode reservar o mesmo hotel da outra vez, mesma suíte e faça reservas para uma semana lá, porém a volta da passagem deve ser duas semanas - outra pausa - tudo bem, passo no escritório amanhã. Tchau - ele desligou o telefone e envolveu seus braços na cintura de Kate - preparada para passar duas semanas na Itália em minha companhia?  

- Está confirmado?  

- Sim, embarcamos na sexta, o evento é na terça-feira, jantar com Ellen na quarta-feira. O resto do tempo é nosso. Uma semana em Roma e depois podemos ir a Milão, Florença, Napoli, a escolha é sua podemos inclusive passar dois dias em Paris - mas Kate não se preocupava com o resto, apenas  uma informação importava.  

- Nós iremos para Roma - o sorriso maravilhoso formando-se no rosto dela, os olhos amendoados brilhando.  

- Sim, amor. Roma nos espera - selou os lábios dela com um beijo.  

Na volta para Manhattan, Castle acabou concordando com a sugestão dada por Beckett. Deixou-a em seu apartamento para que pudesse cuidar dos preparativos da viagem, afinal ele ainda teria que ir ao escritório para acertar as coisas com Gina. Ela prometeu que estaria de volta ao loft na terça-feira à noite e não voltaria mais ao seu canto já que sairiam cedo de madrugada para o aeroporto na sexta.  

XXXXXXXX

Na sexta-feira de madrugada, Castle e Beckett embarcam para Roma. Finalmente, Beckett podia dizer que todos os seus problemas foram superados, que crescera e encontrara seu equilíbrio. Com a ajuda de Dana, ela aprendera a se dar uma chance, a lutar por sua felicidade, viver de maneira diferente. 

O resultado de toda a sua jornada resumia-se a esse momento. Kate Beckett encontrava-se em um avião junto com o seu namorado por quem era perdidamente apaixonada rumo a Roma, um dos lugares mais especiais que já visitara. Palco de um breve momento de felicidade que ela pretendia tornar constante. Não haveria voltas, não iria agir como fizera da ultima vez quando topara o tudo e não estava preparada. 

Agora ela teria o tudo. Como Castle sempre sonhara. Essa ida a Roma era a maior prova disso e ela faria uma nova promessa, a de enfrentar tudo e todos sempre ao lado dele. 

A chegada ao hotel em Roma foi tranquila. Encontraram no quarto uma garrafa de prosecco italiano e uma cestas com frutas e chocolates. Cansados, optaram por tomar um banho e descansar algumas horas. Por volta das três da tarde, Kate o empurrou para fora da cama. Hora de começar sua jornada italiana. 

Deixaram o hotel com Castle reclamando estar com fome. Ela também começava a sentir os efeitos do relógio biológico desregulado. Prometeu que comeriam em breve. Caminhavam de mãos dadas pelas ruas e ruelas de Roma, apreciando o belo dia e a paisagem. Ao avistar o pequeno lugar onde na vez anterior comeram pizza, ela insistiu que voltassem lá. 

- Tinha esquecido como a pizza desse lugar é gostosa. Você acha que devemos ligar para Giuseppe? Avisar que estamos na cidade? 

- Se você quiser, eu particularmente estou muito bem somente com a sua companhia.

- Já entendi. Não precisa falar mais nada. 

- Você vai me acompanhar no evento? Irá comigo? 

- Eu vou, porém não chegarei com você. Não acho que seria correto, nós concordamos em manter o relacionamento em segredo. Hey, quais são seus planos para Roma? Você tem algum programa em mente, Castle? 

- Definitivamente iremos ao restaurante de Pepe. E podemos voltar a Florence, o que acha? 

- Perfeito! Amei aquele lugar e também quero rever Pepe. Será que Dana está livre? Ela bem que poderia vir nos encontrar em Roma. 

- Você disse que ela ia estudar… por que não liga para ela? Aposto que arranja uma folga, diga para vir ao evento. 

- Ligo mais tarde. Eu ainda quero perambular pelas ruas e piazzas de Roma com o meu namorado - ela sorriu e apertou a mão dele - é bom dizer que você é meu namorado outra vez… eu gosto. 

- Eu também.    

Eles terminaram de comer e seguiram com o passeio. Kate estava envolvida novamente na atmosfera de romance e alegria que a cidade proporcionava. Agarrada a Castle, ela não se cansava de beija-lo, abraça-lo, falar besteiras ao ouvido dele. Ao lado da mulher apaixonada e descontraída, ele não conseguia parar de sorrir. Parecia que finalmente a vida decidira dar aos dois uma trégua, um descanso. Kate estava admirando as flores próximo a uma das praças de Roma enquanto Castle comprava um tiramisu e cafés. Sentaram-se em um dos bancos para ter o seu momento a dois. Quando o doce e o cafe se foram, Beckett se aconchegou ao corpo de Castle acariciando-lhe o peito com as mãos enquanto os lábios tracejavam seu rosto com beijos até sorver-lhe a boca em um beijo apaixonado. 

A arte de usar a mão boba não parou e ela o distraia suficientemente para deixar a mão escapulir entre as pernas dele. Castle gemia devido ao contato. Quebrando o beijo ele sussurrou implorando. 

- Kate, por favor, não faz…oh, Deus! - tarde demais, ela ja mordiscava o lóbulo da orelha dele enquanto a mão apertava-lhe o membro instigando-o - Kateee… a praça…pa-pare… 

- Não consigo… - então, ele reuniu suas forças e conseguiu levantar-se do banco puxando-a pela mão contra o seu corpo no intuito de esconder o fato de que seu membro estava pronto - hummm, estamos animados. 

- Você vai me enlouquecer se não fizermos nada. Vamos para o hotel. 

- Tem medo de cometer loucuras nas ruas de Roma, Castle? Vem comigo… - ela o puxou até um pequeno café, com pressa ela ordenou - vá ao banheiro - Castle agoniado obedeceu achando que ela estava lhe dando um tempo para se recompor - Ciao, como stai? Voglio um cafe gellato, una soda e quello dulce de fragole. Aspetta un po… il ragazzo - ela sinalizou que ia ao banheiro. Kate se apressa. Ao bater na porta, ele respondeu de imediato que estava ocupado. 

- Sou eu, Castle… - intrigado, ele destravou o fecho. 

- Kate, o que… - mas não teve tempo de completar a frase. Ela já se jogava nos braços dele devorando-lhe a boca. Queria mais, queria todo o corpo dele, porém teria que se contentar com uma rapidinha. Ela desfez os botões da calça dele, deslizou a calcinha até os joelhos e empurrou seu corpo contra o namorado. Castle entendeu muito bem o recado, de pé ele a penetrou de uma vez. Uma das suas mãos seguravam Kate pela nuca mordiscando seus lábios em um beijo intenso enquanto a outra mão apertava sua cintura não a deixando escapar. Em um ritmo acelerado, eles movimentavam-se gemendo e tocando-se até o prazer inunda-los. Apos abraça-lo contra a parede para recuperar as forças nas pernas, ela ria e depositava pequenos beijinhos no pescoço dele. 

- Louca… 

- Estamos em Roma, Castle… o ar é diferente aqui. 

- Acho que precisamos voltar para o hotel. 

- Sim, precisamos muito. Quero você… 

De volta ao hotel, eles começaram a brincadeira já no elevador. Sedentos de desejo, mal fecharam a porta do quarto, Kate ja tinha tirado o vestido ficando apenas com a lingerie. Ele desfez as calças e puxou-a contra seu corpo em um longo beijo. Os lábios deslizavam pela pele cheirosa e macia provando-a, beijando-a. Livrou-se do sutiã e continuou sua viagem pelo universo do corpo dela deitando-a na cama. Castle tornou a beijar seu estômago e o meio dos seios, parecia que todas as vezes que olhava aquela cicatriz, ele recordava do quanto ela lutara para estar ali, feliz ao seu lado. 

Chegou ao meio das pernas, tomou-a com vontade usando a língua, os dedos e a boca. Adorava ver a bela detetive se derreter a cada toque, gemer pedindo por mais. Tiveram um longo período sem poder desfrutar um do outro. Não estava disposto a perder um minuto sequer sem toca-la. Quando o primeiro orgasmo aconteceu, ele a ouviu gritar seu nome. Castle não deu tempo para ela descansar, deixou-se adentrar seu centro preenchendo-a por inteiro. 

Seus rostos estavam alinhados, os olhares se encontravam. Podia ver a pupila dilatada naqueles lindos olhos amendoados. Ela queria mais, ele também. E juntos, moveram-se esquecendo o mundo lá fora, o lugar onde estavam, tudo. Desejavam somente o toque e o gosto um do outro. Com cada movimento era possível perceber o quanto se amavam. O ápice os tomou deixando a explosão de sentimentos invadir o corpo, a alma e seu coração. Kate sorria ao abraçar as costas do homem ao seu lado. 

Cansados, adormeceram. 

Beckett acordou por volta das nove da manhã daquele sábado de sol. Preguiçosamente, ela deslizava as mãos pelas costas dele até o bumbum apertando-a. Como uma gata esfregava-se no corpo dele querendo desperta-lo. Castle abriu os olhos já puxando-a para um beijo. 

- Buongiorno, mia regina. Stai benne? Voglio mandare? 

- Voglio più baci e cafe. Prima di tutti voglio tanti baci. 

- Ecco. Sara mio piacere.    

Depois de muitos beijos, eles finalmente se levantaram da cama. Kate o convidou para tomar um banho especial na bela banheira da suíte. Ficaram de molho por um bom tempo. Ela o acariciava debaixo d’agua com os pés estando de frente um para o outro, em um dado momento, Kate aproximou-se de Castle apoiando os braços nas bordas da banheira beijando-lhe os lábios. Ele colocou a mão na cintura dela, tinha o corpo coberto parcialmente pela espuma do sabonete liquido. Quebrando o beijo, ele sorveu os seios dela que estavam bem ao alcance de seus lábios, um a um. 

- O que você pretende fazer hoje, Kate? 

- Depois que tomarmos um café, quero ir a Fontanna di Trevi outra vez. E estava pensando que poderíamos ir a outros lugares como a torre de pizza, a noite podíamos ir a cantina de Pepe. Eu quero muito vê-lo e comer aquele carbonara novamente. 

- Acho que é um excelente dia para Roma. Só precisamos nos apressar ou perderemos o café. 

- Castle, o que mais tem em Roma são cafeterias, acho que podemos ficar aqui mais um pouco afinal, descobri algo bem interessante nesse banho… - ela apertou o membro dele que já estava se animando com as caricias. 

- Posso viver com isso… - perderam-se outra vez entre beijos e abraços. 

Mais tarde, eles acabaram optando por um brunch como primeira refeição do dia afinal passava do meio-dia. Não tinham pressa ou compromisso, curtiam o tempo em Roma como dois apaixonados deslumbrados com cada pequeno pedacinho daquela emblemática cidade. Castle se pegava olhando para ela, admirando cada gesto, sorriso e olhar. Sua Kate. Finalmente sua, por completo. 

Chegaram a Fontanna di Trevi por volta das quatro da tarde. Kate soltou-se da mão dele distanciando-se um pouco para admirar o belo lugar. Ali há tempos atrás, ela estava igualmente feliz. Virou-se para fita-lo. 

- Lembro da primeira vez que viemos aqui. Eu joguei uma moeda fazendo um pedido. Estava tão feliz por estar aqui com você, Castle. Era um sentimento de paixão, de leveza. Voltar aqui com você é exatamente o que eu pedi. 

- Sério? 

- Sim, eu pedi para ter a chance de voltar a Roma com você. Naquela época, eu achava que não podia ser mais feliz do que ja era. Não é verdade. 

- Não. O sentimento mudou - ela tornou a se aproximar dele. Castle a envolveu em seus braços - o tempo que passamos separados, apenas me fez querer você ainda mais na minha vida. Não posso fingir para mim mesma que durante todo o tempo que estivemos separados meu pensamento era somente em você. Porque eu achava que sempre tive controle da minha vida, que podia ficar sozinha e caminhar. Até você me mostrar que estava errada, durante meses eu quis melhorar, quis me encontrar. Por mim e por você. Não posso negar, você me fez viver uma paixão, me fez feliz, me fez ansiar por estar ao seu lado. E agora, eu sei o que quero e o que sinto. 

- Kate, eu… - mas ela colocou o indicador sobre os lábios dele. 

- Rick, eu sou apaixonada por você, todos os dias eu me entrego mais e mais. Eu não pensei que pudesse viver uma “favola di amore”, você me provou que sim. E por tudo isso, por ser quem você é… - ela passou o polegar nos lábios dele, os olhos antes amendoados estavam extremamente verdes e cheios de lagrimas, sorriu - eu te amo, Rick Castle. Always. 

- Eu também te amo. Always - ele sorveu seus lábios carinhosamente. Um beijo longo e recheado de sentimentos. Amor. Puro amor. Ao se afastar dela, ele limpou a lagrima que escapara daqueles olhos - eu prometo. Teremos muito mais que Roma, Kate - ele disse fazendo a clássica referência a Casablanca e a conversa que ela tivera com ele alguns meses atrás. 

- Eu sei… teremos Paris, Nova York, o loft, o mundo e principalmente teremos um ao outro - ela deu outro beijo nele e procurou por uma moeda em sua bolsa. 

- O que está fazendo? 

- Procurando uma moeda. Essa fonte nos traz sorte, babe. Quero fazer um novo pedido. 

- Tenho que concordar. O meu desejo também se realizou. 

- Foi? E qual era o seu pedido? 

- Ouvir você dizer que me ama, me olhando nos olhos, não murmurando em italiano. 

- Você está mentindo! Eu não disse nada disso. Em italiano? - ela estava perdida, porém apenas de olhar sabia que não. 

- Você me sussurrou em nossa primeira noite em Roma, logo após deitarmos, lembro perfeitamente: nuestra è una bella storia, no dimenticare a me, Castle…sei una storia che vale. Te voglio tanto benne. Foram suas palavras, Kate. 

- Eu disse isso? - ele assentiu - e sobre o desejo, você realmente pediu isso? Por que? 

- Porque eu sabia que no dia que você admitisse que me amava, seria para sempre. Como você mesma disse “una fávola di amore”. 

- Quer ouvir de novo? - ela segurou o rosto dele com as duas mãos, beijou seus lábios - eu te amo, te amo - beijava-o várias vezes - te amo, Cas…muito… - ela deu um ultimo beijo em seus lábios e virou-se de costas para a fonte jogando uma nova moeda. Kate Beckett esperava que outra vez seu desejo se realizasse. Ao voltar a olha-lo, Castle estava parado com cara de bobo admirando-a. Podia ver em seus olhos azuis, o amor e a emoção que aquele pequeno momento lhe causara. Sorrindo, ela entrelaçou seus dedos nos dele sorrindo. 

- Vamos comemorar, babe. Na melhor cantina italiana e depois… deveremos seguir os conselhos dos sábios italianos. Sempre achamos um motivo para fazer amor melhor em Roma - abraçados, eles seguiram caminhando para a cantina de Pepe.


Naquele momento, Rick Castle era um homem com o coração explodindo de felicidade.

Continua...

9 comentários:

leticia cristinny disse...

Ai meu Deus esse capitulo foi tiro atrás de tiro! Vamos começar pelas notas: AAAAAA MEU JESUS, MEU NOME ESTA LÁ, chorei, claro que chorei, quanta emoção, Ain me sentindo famosa HAHAHAHAHAHA. Zoar Maddie, tão maldoso quanto zoar a Dana, mas achei demais kkkkk Kate tão leve e descontraida é lindo de ver <3. Roma, aaaaa que perfeito, que significativo, poético até, la é o simbolo do amor e felicidade, da entrega dos dois <3. Agora das famosas 3 palavrinhas que causaram tanto ao longo da jornada eu nem vou falar que não tenho estruturas, foi lindo, no momento certo, tocante, Eu amei de todo o meu coração.
Kah, vc está mais que de parabéns, é triste estar acabando, mas vc transformou algo muito bom, que foi a série, em algo maravilhoso, que foi essa fic <3<3

TheMikyMel disse...

Trollagem com a Maddie foi a melhor. Ela querendo matá-los.
Kate totalmente rendida ao amor. Sim, eu nunca imaginei que essas palavras saíssem da boca dela sem serem verdadeiras.
Castle um bobo apaixonado com uma Kate transbordando amor por ele. Tão lindos *-*

Gabriela Mendonça disse...

Owwn que fofa... Obrigada Kah pelo presente antecipado... Muito bom ser lembrada!!!
Mas esses dois não tem jeito ne? Fazem pegadinha e ainda ficam rindo kkkk Parece a Lee kkkkkk
Tão bonitinho o Castle chamando a Kate de namorada kkk e a Martha? amo essa mulher.
E ela desistiu da ideia de faculdade e foi enfrentar a fera Gates... Ryan coitado, o único que sobrou e que tem que manter os bons níveis... Ryan é muito Caskett... Shippa bem muito. Kate volta e ele já quer saber do Rick kkkk
"Roma… - os olhos brilharam - não poderia pedir por nada mais. Será um sonho reviver Roma. Con piacere!" a empolgação em forma de pessoa kkkk
Maddie melhor pessoa desse mundo..."Ah, não! Outro almoço com aquela loira sem sal? Eu me recuso! " "Sei, da última vez que você inventou esse tipo de almoço, além de não ser ninguém especial, você ainda me fez raiva. Não sei se estou disposta a passar por isso outra vez." #NãoEstouDisposta kkkkkk
A pegadinha com a Maddie foi maravilhosa, até a Dana e a hostess entraram na trama. O desespero dela checando o relógio e querendo trocar a Kate de mesa foi hilário. A revolta dela então, e dizendo que teriam de gastar muito só pelo showzinho? hilária kkkk Formam um quarteto muito engraçado de se "conviver" por mais cenas desses 4 kkkk.
Dose diária de endorfina kkkk esse apelido vai pegar... na verdade para Dana já pegou kkkk.
Uiuiui que casal viajado é esse gente? Hamptons, Roma com direito a possível esticadinha... meninaaa que invejinha kkkk. Eles cantando me fez lembrar An affair to remember kk.
Kate fica mega inspirada em Roma nao? mão boba na rua, pegação no banheiro e claaaaro abriu o coração bem muito. gentee que declaração maravilhosa ela fez? Se alguém tinha dúvidas se ela esta pronta ou se dessa vez é para sempre, depois dessa declaração e dela dizer que o pedido dela foi para que eles voltassem para Roma juntos, ninguém duvida mais...
Não sei o que é mais fofo, ela dizendo em alto e bom som que ama o Rick ou o proprio Rick dizer que o pedido dele era ouvir Kate falando as três palavrinhas tão curtas mas tão carregadas de sentimento!!
Amei esse capítulo... foi lindo, engraçado... e ganhei ele de presente kkkkkk

Ana Cavalari disse...

Ok... estou respirando por aparelhos enquanto escrevo isso. Li meu nome nas notas e tive aquele momento “mãe, tô na Globo!” ps: perdoa a minha falta de textão e não desiste de mim 😂😂😂. E eu achando que zoar a Dana foi engraçado, zoar a Meddie foi ainda melhor! AMO ver Castle todo feliz chamando a Kate de namorada, ou ver o orgulho dele cada vez que se refere a ela como “minha detetive”, é a coisa mais fofa do mundo. E Ryan???? Sempre foi um Caskett roxo assumido e sofreu muito com a briga dos dois tadinho. Maddie parece a gente fazendo qualquer coisa pra ver nosso ship favorito junto hahaha fazendo de tudo pra estragar um “possível encontro” de Castle, toda preocupada pra que não acontecesse um guerra entre Rick e Kate em seu restaurante heuehuehe olhando de hora em hora no relógio imaginando o possível caos. Amei ela dizendo as verdades que estavam entaladas, acho que todas nós falaríamos isso se fosse dada a oportunidade heuheueheuhe Sobre Hamptons e depois Roma.... olha, não irei superar isso tão cedo, TÃO bom ver a Kate ser ela mesma, sem traumas, sem medos, sem inseguranças.... eles cantando juntinhos me fez lembrar de toda a trajetória deles, como um filme, Demming, Hamptons, a briga, Josh, a PTSD e tantas outras coisas que passaram juntos.... chorei, chorei feito criança quando ela finalmente se abriu pra ele e disse as famosas três palavrinhas, momento perfeito, mais significativo impossível, pra ela não é um simples “eu te amo” é a completa entrega, era o “tudo” como Castle sempre quis, em voz alta como Castle pediu hahahaha amei ele confessando isso Kah! Como diria Lana “Heaven is a place on earth with you” define bem o que esses dois pombinhos sentem. To apaixonado por esses dois apaixonados. Tu arrasa Kah!❤

Ana Cavalari disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
cleotavares disse...

Ai, como a Kate está linda, solta, amando, trollando. Pobre Maddie, toda preocupada com a "terceira guerra mundial" e esses três tirando onda com ela.
"Eu te amo, Cas" Tem frase mais linda? Não, né.

Géssica Nascimento disse...

Concordo com você cleotavares, essa frase: "Eu te amo, Cas" é a coisa mais linda que existe, principalmente dito por ela e depois de passar por tantas provações e desilusões, admitir que ama esse ser MARAVILHOSO e encontrar a felicidade!
Perfeito Karen!!

Vanessa Belarmino disse...

Vc ainda vai me matar... Roma, nunca será a mesma... Never!
Adorei ela decidir conversar com Gates. Não vejo ela fazendo outra coisa... Ela poderia ser otima advogada e tal, mas detetive é quem ela escolheu ser...
Ryan sempre tão fofinho né?
O que fizeram com a Maddie foi sacanagem demais... Tadinha! Adorei o surto, com gritinhos e tudo... "Quem tomou vergonha na cara?" Maddie melhor amiga hahaha
Eu fiquei tipo a kate, olhos brilhando e tipo "Vamos para Roma de verdade?"
Os dois tocando piano e cantando a musica deles nos Hamptons foi lindinho demais, mas vamos para Roma? Lugar onde comer e amar está garantido... E ja começamos em grande estilo, me senti em GP hahaha ... Amore!♥
Vamos falar do momento da minha morte... Fontanna di Trevi. Foi a declaração de amor mais linda desse mundo, se Castle ficou sem palavras, eu perdi o rumo da minha vida... Porque como ja te disse... Eu te amo, em Roma, seguido de Always foi tudoooo...
"Teremos muito mais que Roma". "Teremos um ao outro" ... Morrendo novamente no Além hahaa
Amo os conselho dos sabios italianos! ♥
A vida poderia ser Roma. Always! ♥♥

rita disse...

Maravilhoso! É muito, muito bom ler o segmento de suas fics. Meche com o emocional de uma tal forma que nos transformamos na Kate, queria ser ela nem que fosse por um minuto para me sentir amada como o Rick a ama. É amor demais, amor lindo demais, uma entrega total.Não sou boa com palavras mais posso te garantir que você para mim é extraordinária. Abraços da amiga.