quarta-feira, 15 de fevereiro de 2017

[Stanathan] Kiss and Don't Tell - Cap. 106


Nota da Autora: Seguindo firmes até agora? Então preparem os corações... agora é "dos vera".  Eu amei escrever esse capitulo, espero que vocês curtam muito tanto quanto eu curti. Dedicado a todas as shippers de Giff, em especial a Van, Pri, Mada, Gabys... vocês surtarão como eu?! Enjoy! 
PS: Algumas coisas importantes desse capitulo. A musica transcrita é de Michael Bublé, vejam o link. As frases em inglês no texto é de autoria de Andrew Lloyd Webber (que eu amo, minha peça fave dele) e simplesmente caiu como uma luva. 

https://www.youtube.com/watch?v=adA17KZ_IoM - sugiro escuta-la no trecho da fic...


Cap.106


A cerimonia prosseguiu de maneira ordinária com todas as etapas que a compunham. Finalmente chegara a hora dos votos. O juiz olhou para Gigi. Ela respirou fundo. Entregou o buque a irmã. Fechou os olhos por um momento tentando se acalmar, achar o tom de voz para dizer as palavras que desejava serem as certas para ele. Ao encontrar os olhos azuis, ela sorriu. 
— Jeff, eu lembro do dia que Nathan nos apresentou. Eu pensei, ele tem o charme e olhos do irmão. Eu já disse a você que naquele instante eu não tinha nenhuma pretensão de começar nada. Aconteceu. Você tinha um plano, eu não sabia. A verdade é que durante toda a minha vida, eu vivi de curtição, meus namoros nunca duravam. Você foi o meu primeiro relacionamento. O primeiro que amei de verdade. Três meses foi quanto eu precisei para saber que estava apaixonada. Eu nunca senti isso por ninguém, é um sentimento que me consome, me faz sorrir, estremecer. Enlouquece. Seus olhos me fascinam, eu me perco e me perderia mil vezes. Nunca pensei que pudesse me senti assim por alguém, coração bater rápido, as pernas bambas, um turbilhão no estômago. Eu mudei tanto com você. Descobri que podia tanto. Você me deixou faminta, querendo mais - ela piscou para o homem à sua frente, ele entendera o que ela queria dizer perfeitamente - Eu poderia passar horas falando de tudo o que amo em você. Claro que todos iam embora - ela riu, os convidados também - apenas vou dizer o que me trouxe e porque estou aqui. Eu vim me entregar completamente a você. Meu amor, meu corpo, minha mente e meu coração. Sou sua gota - ela tocou o pingente - É tudo seu. Assim como você será meu. Você é meu amigo, meu confidente, meu parceiro, a pessoa que caminhará ao meu lado. Você me ensinou o que é amar, vou provar que aprendi todos os dias da nossa vida. Amo você, meu Jeff - as lágrimas marcando o rosto. Um sorriso nos lábios.   
Jeff apertou a mão dela. Trocou um olhar com o irmão, voltou a olhar para a mulher que amava diante de si. 
— Eu tinha um plano, precisava seguir as etapas. Porém no meio do caminho, eu percebi que perdi o rumo, quis pular as fases porque um furacão tomou conta da minha vida, sem pedir licença. Foi tomando meu espaço, dominando meus passos. Você foi bem maior do que sonhei, melhor. Então aprendi a interpretar, olhei com cuidado e entendi que a mulher por quem me apaixonei perdidamente tinha seu próprio tempo e seria um louco se não o obedecesse. Hoje, como bom filho de professores de inglês, eu escolhi as palavras de um ilustre britânico Andrew Lloyd Webber para dizer o que quero para nós. O que peço de você. É um trecho de uma das suas mais famosas peças. Para você, Kristina - ele olhou para o irmão. Nathan balançou a cabeça e fez sinal para Ryan. A melodia que era tocada no piano era a mesma que dava vida às palavras recitadas por Jeff. 
— Then say you'll share with me one love, one lifetime. Let me lead you from your solitude. Say you need me with you here, beside you. Anywhere you go, let me go too. Kristina, that's all I ask of you. 
Ele a fitou, Gigi havia levado uma das mãos ao pingente, outra cobria os lábios. Os olhos estavam cheios de lágrimas. 
— Say you'll share with me one love, one lifetime. Say the word and I will follow you. Share each day with me, each night, each morning. Say you love me. You know I do - ele fez uma pausa para conter a emoção, a voz embargara. Suspirou - Love me, Kristina. That’s all I ask of you. 
Ela chorava. 
— Não posso imaginar minha vida sem você, minha Gi. Sou seu, completamente. E continuarei a te amar, eternamente - ele tocou a mão dela. Jeff também estava emocionado. O juiz então pediu as alianças. Nathan entregou para o irmão. Antes de colocar no dedo dela, ele esperou Gigi se acalmar. Pegou a mão dela na sua, segurou a aliança - leia, Gi - ela virou a joia para poder enxergar. Viu as iniciais deles J & G, ao lado uma palavra: Mine. Ela voltou  a  fita-lo. 
— Jeff… 
— Eu, Jeff te desposo Gigi, te prometo ser fiel, amar-te e respeitar-te, na alegria e na tristeza, na saúde e na doença por todos os dias da minha vida até que a morte nos separe - ele beijou a aliança no dedo dela, agora colada ao anel em forma de gota. Nathan entregou a aliança para Gigi. Ela viu que a gravação era idêntica. Sorriu. 
— Eu, Gigi te desposo Jeff, te prometo ser fiel, amar-te e respeitar-te, na alegria e na tristeza, na saúde e na doença por todos os dias da minha vida até que a morte nos separe. 
— Pelo poder investido a mim pelo estado da California, eu os declaro marido e mulher. Pode beijar a noiva. 
Jeff se aproximou de Gigi enlaçando a cintura. As testas coladas. Olhou fixamente nos seus olhos azuis preferidos. 
— Meu - os lábios de Jeff colidiram com os dela. O beijo apaixonado traduzia em gestos o que as palavras queriam explicar. Eles sabiam que precisavam se largar, havia uma festa, convidados. Gigi suspirou ao sentir Jeff se afastando. Ele entrelaçou os dedos aos dela. O juiz esperava-os para assinar os papeis. Foi a primeira vez que Gigi trocou um olhar com a irmã.  percebeu que também tinha os olhos vermelhos de chorar. Ela abraçou Stana. Nathan abraçou o irmão. 
— Você quase matou sua esposa, Jeff… - ele se dirigiu com o irmão até o juiz. 
— Sis… meu Deus! Esse homem… 
— Seu marido, Gigi - ela gargalhou. 
— Meu marido… meu! Eu estou tão feliz! 
— Eu sei… esses Fillions e as palavras deles - as duas seguiram para assinar o papel. Nathan finalmente deu um abraço e um beijo na cunhada. 
— Parabéns, Gigi. Você é oficialmente uma Fillion. Cuide bem do meu irmão para mim. 
— Não se preocupe, Nathan. Eu sei cuidar muito bem do meu marido. Nossa! É tão bom falar isso, meu marido - ele riu e deu um beijo estalado na bochecha da cunhada. Stana olhou para Jeff. 
— Stana… - ele a abraçou - você sabe o quanto foi importante até aqui, não? Todas as vezes que precisamos de você. É um prazer ter alguém tão especial como cunhada. Obrigado por tudo. 
— Não me agradeça, prometa que vou ganhar um sobrinho - foi a vez de Jeff gargalhar. Eles fizeram uma foto, os quatro juntos. Então eles começaram a receber os cumprimentos dos demais. A primeira pessoa que Gigi abraçou foi a mãe. Dona Rada chorou ao ver a filha casar e chorava agora. 
— Mãe… volim te. 
— Minha menina, eu nem sei o que dizer… volim te - em seguida, ela olhou para sogra. Sorria. Ao abraça-la, Gigi ouviu “parabéns, minha filha”. Sussurrou no ouvido de Cookie.
— O que eu disse? Eu tenho o melhor Fillion - Stana entregou o buque de volta para a irmã. De braços dados com Jeff, eles caminharam de volta pelo tapete vermelho dirigindo-se ao local onde cumprimentariam os convidados. Anne jogou um monte de arroz nos tios junto com alguns convidados. Como não era um casamento formal porque Gigi não era fã de tradições, eles acabaram conversando com várias pessoas sem ordem ou escolha. A banda tocava musicas leves, clássicos e jazz. Petar se aproximou dos dois. Sorrindo, estendeu a mão para o genro e deu um abraço. 
— Você mentiu para mim. Disse que não fazia minha filhota chorar. Acho que nunca vi Gigi chorar tanto, mas estava certo sobre ela não te matar ao chama-la de Kristina. 
— Meu Jeff sabe quando pode. E foi lindo… - ela olhava rindo para o marido. Petar beijou a filha. 
— Não se preocupe, Petar. Se ele sair da linha, apanha - disse Bob cumprimentando o filho. 
— Isso mesmo, fã #2. 
Stana tinha se afastado de todos para amamentar Katherine outra vez. Quando retornou com a filha nos braços quase adormecida, viu o marido conversando com a mãe e Trucco. Ao vê-la, ele inclinou-se beijando a cabeça da criança. 
— Ela está quase dormindo. 
— Deixe-a comigo, Stana. Vá curtir um pouco da festa. 
— Dona Cookie, a senhora é mãe do noivo devia aproveitar os momentos com eles. 
— Jeff está muito ocupado pagando de bobo ao lado da sua irmã. Vocês são jovens e além do mais, Bob parece ter encontrado uma ótima companhia. Ele e seu pai estão se divertindo - Stana entregou a filha e pode ver o que a sogra dizia. Bob e Petar riam e bebiam juntos. De mãos dadas com Nathan, ela começou a passear entre os convidados. Conversaram com Dara, Chad, ganharam beijos de Anne. Nathan foi pegar uma bebida para eles. Stana olhava para a irmã. A alegria de Gigi era contagiante. Se aproximou dela. 
— Hey, sis… posso ver sua aliança? 
— Claro - sem pensar duas vezes, ela tirou a joia. 
— Nao era para tirar, Gigi. 
— E como você ia ver o mais importante? - mostrou a gravação, Stana riu. 
— Ele realmente a entende, sis - a aliança dela tinha pequenas pedrinhas de diamante ao redor de toda a superfície. Um belo conjunto em contraste com o anel de gota que ela usava no mesmo dedo a exemplo de Stana. Jeff se aproximou com uma taça de champagne para Gigi. Segurava um copo de whisky. De repente, Gigi sente um empurrão. Era Anne se agarrando nas suas pernas. 
— Tia Gigi! Está tão linda! Anne amou o bolo! Tio Jeff está engraçado com aquela plaquinha. Por que tem um tubo de pasta de dentes? Não combina! 
— Ah, Anne é uma brincadeira da sua tia. 
— Agora é brincadeira…no bolo - ela olhou séria para Jeff. 
— Tudo bem, não devemos falar disso no dia do nosso casamento. 
— Vovó me disse que tem bolo de chocolate, que a tia pediu especial para Anne? 
— Foi sim. Sei que você ama e não sei se gostará do meu bolo. 
— Vovó explicou que não colocou calda nele porque fez a calda da Anne e a calda da Gigi… eu não entendi, tia - ao ouvir isso, Gigi mordeu os lábios claramente pega de surpresa com o gesto da mãe. 
— Sua vó disse isso? 
— Disse. Ela falou que o tio Jeff gosta da calda da Gigi - os olhos dela já se enchiam de lágrimas. 
— É, sis, parece que dona Rada finalmente entendeu - Nathan apareceu com duas taças de champagne. 
— Vocês se importam se eu roubar minha esposa um instante? - Nathan beijou o rosto de Stana entregou a taça e envolveu a mão em sua cintura. 
— Claro que não, vou ficar com meu marido - Jeff riu - posso dizer isso agora, cunhadinho - mostrando a aliança.  
— Ah, Stana onde nós fomos nos meter? - Jeff olhava para a cunhada que ria - a competição vai ser pesada. 
— Tarde demais, Jeff. 
— Chega de papo vocês dois - disse Nathan - quando vamos dançar? 
— Só depois do jantar - respondeu o irmão piscando. 
Nathan saiu abraçado a esposa. Caminhava com ela. À principio, Stana pensou que estavam apenas curtindo o momento juntos até perceber a direção que iam. Uma pequena lancha continuava ancorada no mesmo local. A pequena marina. O mar estava calmo. Ele abraçou a esposa. Escorou o queixo no ombro dela. 
— Você se lembra, Staninha? 
— Como poderia esquecer? Eu lembro de tudo. O champagne, o jantar, o quarto com as velas e o aroma de canela. Você não alugou outro barco para hoje, certo? 
— Não, hoje é o dia do meu irmão. Mas podemos dançar nossa música, o que acha? 
— Adoraria - ela beijou-o - ainda me lembro de cada detalhe do nosso casamento. Meu menino, meu homem, o dono do meu coração. 
— Always, Canadian girl - puxou-a em um beijo apaixonado colando seu corpo no dela. 

XXXXXXX

Eles estavam sentados à mesa comendo. Jeff, Gigi, Stana e Nathan conversavam animadamente. 
— É bom ver meu irmão casado. Talvez agora possa ter sobrinhos de verdade. 
— Como assim? - perguntou Gigi. 
— Sempre considerei os filhos de amigos e do primo Ted como meus, mas eles não são Fillions legítimos. 
— Hum… melhor parar com essa conversa. Vai esperar mais para ter seus legítimos. Quem manda aqui sou eu! 
— Nunca duvidei disso, aliás nunca esqueci o que você disse para mim quando me conheceu naquela viagem ao Hawaii - Jeff olhou para o irmão intrigado - acho que não contei para você, se tivesse acontecido Katherine não existiria. 
— O que ela disse, bro? 
— Nada demais, meu Jeff. Só que se ele fizesse minha irmã sofrer eu fritaria as bolas dele em óleo quente - Jeff arregalou os olhos instintivamente levou a mão ao meio das pernas. Stana ria. 
— Arrependido de ter casado, Jeff? - implicou. 
— De jeito nenhum, mas é melhor eu me manter na linha. 
— Acho bom mesmo. 
— Esse jantar está de muito bom gosto, Gigi. Não vejo a hora de provar o bolo… qual o recheio? 
— Red velvet, sis. É muito bom! Acho que comemos umas três fatias só dele naquele dia não, amor? 
— Verdade. 
— Vamos ter que esperar muito para comer? - perguntou Nathan. Jeff sabia o que ele estava querendo provocar - será antes ou depois da dança do casal? 
— Depois - Jeff respondeu, percebeu que Gigi olhava para a aliança - não consegue parar de admirar, Gi? 
— É, também. Estava pensando… nem sei que música vou dançar. Não podemos dançar uma, por vários motivos e…
— Se quiser, emprestamos a nossa - Jeff chutou o irmão por baixo da mesa - o que? Estou tentando ajudar! 
— Nate, a música de um casal é especial. Você sabe disso… - disse Stana. 
— Acho que vou pegar mais champagne para minha esposa - Jeff se levantou. Não fora apenas pegar bebida, falara com Ryan, ele iria chama-los para dançar em cinco minutos. Voltou a mesa, bebeu mais um pouco. Nathan percebeu que ele estava nervoso. Gigi estava perdida entre a comida e os beijos que roubava do marido, não percebeu a cara dele. Vendo que ela terminara, Jeff olhou para Ryan e ergueu o polegar. A banda terminou de tocar a última musica. 
— Com licença, obrigado. Boa noite a todos os convidados presentes ao casamento de Jeff e Gigi. Chegou o momento tão esperado da primeira dança entre os recém-casados. Eu sou amigo de Jeff há alguns anos, fiquei honrado com o convite para tocar e não esperava vê-lo casado. Ainda bem que esperou. A noiva é realmente linda, com todo respeito. Então, Jeff me contou que estavam com um certo problema para escolher a canção. Gigi, Jeff, querem chegar mais perto do palco? - eles andaram de mãos dadas até lá. 
— Meu irmão está nervoso… 
— Por que estaria, babe? É só uma dança. 
— Não, Staninha. Ele preparou uma surpresa para Gigi. 
— Surpresa? 
— Por favor, você ai - Ryan falava com um garçom - pode colocar uma cadeira ali no centro do palco? Gigi, pode sentar. Não vamos deixar a dama de pé. Continuando minha historia. Discuti com Jeff qual a melhor canção para tocarmos hoje, ninguém melhor que o noivo para saber o que os define como casal, afinal a música fala sobre algo especifico do relacionamento deles. Jeff, pode vir até aqui? - Gigi olha para ele. 
— O que ele está fazendo, Jeff? 
— Não é ele, sou eu. Fique sentadinha ai e curta o show - ele se aproximou do palco Ryan  oferece um microfone de cabeça para o amigo - juro que não sei cantar, não sou a Stana - os convidados riram - mas vou tentar - ele fez sinal para a banda, a batida animada começou. Jeff respirou fundo e começou a cantar. 
— Baby, I get a little bit jealous but how the hell can I help it? When I'm thinkin' on you. Maybe, I might get a little reckless but you gotta expect that what else can a boy do? My momma taught me how to share but I'll be selfish and I don't care cause I want you, I need you all for me. 
Jeff se aproximava de Gigi. Ela olhava atordoada para ele. Sorrindo, ele continuou a cantar fazendo um certo gingado, rebolando e estalando os dedos. 
— And I don't want anybody loving my baby. Nobody (nobody), nobody (nobody), nobody but me (hey). And I don't want anybody thinking just maybe. Nobody (nobody), nobody (nobody), nobody but me. 
Ele fazia gestos indicando o que dizia a canção, a banda fazia coro no refrão. Jeff pegou a mão dela, puxou-a em sua direção, enlaçou sua cintura. Dançou com ela enquanto continuava cantando. 
— And I know when you got a lovely lady. It might drive the boys crazy when she's looking so fine, woah .I know, know, know that no one would ever blame me. The only thing that could save me is just knowing you're mine. My papa told me once or twice. Don't be cruel but don't be too nice cause I want you, I need you all for me - ele entregou o microfone para Ryan que continuou a canção enquanto Jeff cantava no ouvido dela e a rodopiava pelo salão. Percebeu que ela apenas deixava-o guia-la. Os olhos estavam cheios d’ agua.  
— Cause I want you, I need you all for me. Cause I don't want anybody loving my baby. Nobody (nobody), nobody (nobody), nobody but me (hey). And I don't want anybody thinking just maybe. Nobody (nobody), nobody (nobody), nobody but me. 
A canção chegava ao seu final e eles mal se mexiam no salão. Jeff a abraçava, sussurrava no ouvido dela as últimas palavras da letra. Quando terminou, todos os convidados aplaudiram. Gigi olhou finalmente para o marido. 
— Jeff… é perfeita… - as lágrimas escorriam no rosto. 
— Eu disse que acharia uma música para dançarmos - ela não quis saber quem estava olhando, Gigi sorveu os lábios do homem a sua frente com carinho, devoção, amor e sim, desejo. Inclinava o corpo contra o dele, sentia as mãos de Jeff em sua cintura, apertando-a, deslizando pela lateral do corpo. As mãos de Gigi deslizavam pelas costas, pelo peito até quebrar o beijo com muita dificuldade. A banda já voltara a tocar outra canção. 
— Deus! Como eu te amo… e-eu preciso me sentar, Jeff… - ele beijou proximo a orelha dela, sussurrou. 
— Seus joelhos estão fracos, Gi? - ela olhou para o marido. Começou a andar devagar até uma mesa vazia. Sentou-se. 
— O que você acha? - ele percebeu que as mãos dela tremiam. Stana apareceu, de longe viu que a irmã estava desconcertada. Nathan e dona Cookie vieram juntos - meu Deus… 
— Sis, tudo bem? 
— Fora a minha cara que deve estar um terror… eu estou sei lá, anestesiada…
— Mandou bem, cunhado. Mas acho que faltou pouco para ficar viuvo. Quase matou minha irmã, ela está tremendo. 
— Eu avisei, mas ele sabia o que estava fazendo - disse Nathan. 
— Você sabia? - Gigi perguntou. 
— De tudo. Você acha que só você e a Stana que podem aprontar? 
— Aqui minha filha, beba. 
— Obrigada, sogrinha. 
— Vamos dançar um pouco, babe? - Stana e Nathan saíram de perto rumo ao salão. Jeff sentou-se ao lado da esposa. Enroscou sua mão na dela. 
— Está melhor, Gigi? 
— Sim, o que eu disse? Eu tenho o melhor Fillion - ela olhava apaixonada para o homem ao seu lado. Cookie sabia que deveria deixa-los sozinhos um pouco - e-eu não esperava, nada disso. E a música… Jeff… somos nós. 
— Sei que não é super romântica, porém somos nós dois. 
— É divertida, animada como nós. Perfeita. Eu nunca vou esquecer esse dia. Você tinha que rebolar na minha frente? Eu já disse que meu corpo não é confiável com você por perto. Vamos logo cortar esse bolo, não vejo a hora de sair daqui para fazer amor com você. 
— Podemos até cortar o bolo, mas quero dançar um pouco com você. Teremos muito tempo para nos amar, minha Gi - ele beijou os dedos dela agora com a aliança.  
— Tudo bem, vamos - ela se levantou, chamou o fotógrafo. Cortaram o bolo. Comeram a primeira fatia juntos. Gigi meteu o dedo no glacê que enfeitava o doce levando à boca. Repetiu o gesto e passou nos lábios de Jeff, puro pretexto para beija-lo um pouco mais. Jeff a puxou para a pista. Primeiro, a pedido de Nathan, tocaram It had to be you. Ela gostou de dançar coladinha a Jeff. Viu que a irmã estava agarrada ao cunhado de olhos fechados. Sorriu. Depois, mudaram o ritmo, uns rocks, baladas. De repente, Gigi já estava descalça rebolando e brincando no salão. Anne se juntou a festa assim como outros convidados. Stana teve que se ausentar para cuidar da filha, porém logo voltou a fazer parte da festa com a irmã. Quando o som de Elvis encheu o salão, ela e Jeff se perdiam dançando blue swede shoes. Jeff a carregou arrancando gritos de Gigi. Se divertiram demais. 
Os convidados começaram a se dispersar, agradecendo o convite, desejando felicidades. Trucco, Sandra, Dara e Chad foram os últimos além da família. Sentados depois de muita dança, eles comiam o bolo outra vez. Nathan e Anne se esbaldavam no bolo de dona Rada. Gigi percebeu que o cunhado escolhera a sua calda. Sorriu. Rada apareceu com a neta no colo. 
— Ainda está acordada, Katherine? - Gigi segurou a afilhada nos braços - vai ser festeira. Você devia dar parabéns para o seu tio. Hoje ele se tornou meu marido - sendo bem enfática no meu - diga, parabéns tio Jeff - ele cheirava a cabecinha da sobrinha. Gigi mordiscava de leve os dedinhos.  
— Melhor irmos. Essa menina já ficou na farra tempo demais para um bebê tão novo. 
— Foi uma festa e tanto - disse Dara - também já vamos. 
— A tia nem jogou o buquê… 
— É porque ele já tem dona, Anne - Gigi estendeu o arranjo a irmã - para você, sis. 
— Mas a tia já é casada. 
— É, mas em segredo, lembra? - Gigi piscou para a sobrinha. 
— Vamos, filha se despeça de todos. Sua tia está doida para nos expulsar para curtir o marido - disse Markus dando um beijo na irmã. Cumprimentou o cunhado e acabou arrastando a pequena consigo. Jeff foi falar com a banda e dispensa-los. Todos foram se arrumando, apenas Trucco e Sandra não tinham pressa já que estavam na sua segunda casa. Nathan ajudou a esposa a recolher tudo. Gigi foi se despedir dos pais e dos sogros antes de irem. 
— Mãe, obrigada por tudo. E pela calda do bolo, foi especial. 
— Aproveite sua lua de mel, Gigi. Volim te. 
— Volim te - após abraçar a mãe, ela virou-se e repetiu o gesto e as palavras de afeto com o pai. 
— Filha, você arranjou um ótimo marujo. Ele realmente é louco por você. 
— E eu por ele, capitão - Jeff também cumprimentou os sogros. Gigi, os dela. 
— Vou ficar com saudades, minha filha - disse Cookie ao seu ouvido, que Gigi retribuiu com um “eu também”. 
Devidamente arrumados, Nathan deu um último beijo na cunhada, um abraço no irmão. Stana demorou-se abraçando Gigi. Depois, foi a vez de beijar o cunhado. Nathan brincou. 
— Juízo nessa lua de mel, cuidado com a tequila. Nada de escândalos. 
— Falando em tequila, todos pegaram a sacolinha daquela mesa? 
— Claro! Vou estrear os meus hoje - disse Trucco - adorei a ideia. 
— Está vendo, Nathan? - ele riu - Sempre implicando - Ligou o carro e sumiram pela estrada. No caminho, Stana comentou. 
— Só podia ser coisa de Gigi. Quem mais daria uma garrafa miniatura de tequila e dois copos de shot. Tem as iniciais deles, olha. 
— Tem tudo a ver com eles, amor. 
Jeff se aproximou de Trucco. 
— Não se preocupem, nós já estamos de saída também - disse Jeff - Gigi só vai trocar de roupa - ela já tinha dito a Jeff que não iria chegar no hotel com aquele vestido de noiva. Trouxera outro vestido mais discreto. Quinze minutos depois, ela aparecia trazendo o vestido de novo em um saco apropriado e uma valise. Jeff colocou tudo no carro e se despediram dos amigos do irmão agradecendo uma outra vez por tornarem tudo aquilo possível. 
Jeff dirigia com cautela. Sabia que não estava bêbado, porém não queria arriscar ser pego. Gigi estava quieta no lugar do carona, Um sorriso bobo nos lábios. Ele acariciou a coxa dela. Chegaram ao hotel. O check-in foi rápido. Ao chegarem na suíte para recém-casados, havia champagne e morangos esperando por eles. Ela tirou os sapatos. Deixou a bolsa numa cadeira, o vestido tinha ficado no carro. Foi até a varanda olhar a vista. Jeff tirou os sapatos, smoking, desfez a gravata e o colete ficando apenas com a camisa e calça. Pegou a garrafa, duas taças. Sabia que nenhum dos dois estava bêbado. Dançaram o suficiente para espantar parte do álcool do corpo. Descalço, ele foi até ela. Entregou a taça. Abriu a garrafa. A rolha se perdeu, o liquido escorria pela mão dele. Com as taças cheias, Jeff ergueu para fazer um brinde. Gigi encostou o cristal, sorriu. Ele podia ver em seus olhos o brilho, a felicidade. Abraçou-a beijando-lhe o pescoço. 
— Hey… 
— Hey… meu marido - ela virou o rosto para fita-lo - a que nós brindamos? 
— Não é óbvio? A nós - ela acariciou o braço dele que a envolvia na cintura. Bebeu mais um gole de champagne. 
— Foi tudo tão perfeito. E-eu ainda não estou acreditando. Você me roubou o chão duas vezes. Fantasma da Opera? Tinha que usar meu nome, não Jeff? Não ia se contentar com somente Gigi. Mas a música, e-eu… nunca me passou pela cabeça. 
— Era surpresa. Sabia o quanto era importante para você. 
— É por isso que eu te amo tanto. Você me conhece - de frente para ele, Gigi encostou a cabeça no peito de Jeff e inspirou seu cheiro. 
— Você disse que eu fui o primeiro que você amou. É verdade mesmo? - seus olhos encontraram os do marido. 
— Tanto que me casei com você. Eu disse que nunca fui boa nisso. Você me ensinou a ponto de me entregar completamente. Essa noite é só nossa - ela o beijou lentamente saboreando o momento - você não se importa de eu não estar usando meu vestido de noiva, certo? 
— Por que me importaria? O vestido só era divino porque você o fez ser. É você que eu quero. 
— Faça amor comigo, Jeff. Agora como sua esposa. 
— Não tem nada que eu deseje mais nesse instante. Gi. Minha Gi - ele a beijou outra vez. Tirou a taça da mão dela colocando sobre a mesa da varanda. Pegou a garrafa da bebida e a puxou em direção a cama. 
— Sabe qual é a melhor parte de estarmos sozinhos, Jeff? 
— Qual? 
— Aqui eu posso fazer o que quiser, dizer o que quiser… vem gostoso… você me deve uma dança de verdade - ela pegou o celular que deixara sobre a mesa. A melodia de Starving começou a tocar. Gigi se aproximou dele já requebrando o corpo. Desfazia os botões da blusa, beijando a pele exposta do homem a sua frente. Em seguida, foi a vez da calça. Não se contendo, ela esfregava-se no corpo dele, instigando, provocando. Jeff a agarrou. As mãos passeavam pelo corpo da amada, os lábios devoravam-lhe o pescoço. Soltou o cabelo dela, os cachos caíram sobre os ombros. Puxou o zíper do vestido tirando-o de uma vez. Apenas de calcinha, Gigi se virou para encarar o homem que a abraçava. Seu homem, seu marido. Com um sorriso malicioso, ela deixou a mão escorregar a procura do membro dele. Apertou-o fazendo Jeff gemer. 
— Está na hora da gente se divertir de verdade nessa cama enorme. 
— Vamos nos divertir, depois. Primeiro, eu vou te amar - ele a beijou apaixonadamente. Dessa vez, Jeff a deitou vagarosamente na cama. Os lábios não se deixam, sedentos de desejo. Uma vontade enorme de se perder um no outro. Sentindo o peso do corpo de Jeff sobre o seu, ela gemia entre caricias. Rolou com ele ficando por cima. A dominância de Gigi não durou muito, ele beliscou o bumbum dela agarrando-o apenas para distrai-la e rolarem outra vez na cama. Os rostos alinhados. Gigi sorria ao olhar para aquele azul maravilhoso. Ele acariciava o rosto dela, sorria voltando a beija-la. 
Jeff começou a provar cada centímetro do corpo de sua esposa. Usando os lábios, a língua, as mãos. A cada novo toque, beijo, sentia os pelos do corpo se arrepiando. Ele beijou o pequeno sinal que ela tinha próximo ao estômago, quase no meio dos seios. Brincou com a língua nele e tornou a fita-la rindo. Gigi retribuiu o gesto jogando um beijo para ele. Continuou a tarefa. Ao sorver os seios um a um, viu o corpo da amada se contorcer debaixo do seu. Os dentes tocavam a pele fazendo um caminho do estômago ao ventre. 
Ele usou as duas mãos para tirar a calcinha. Mesmo ouvindo o gemido ansioso de Gigi, ele não fez o que ela queria. Não ainda. Tornou a beija-la carinhosamente até sentir os dentes dela mordiscando seus lábios. Desejo e urgência. O toque dos lábios tomou proporções mais urgentes. Ela agarrava o rosto dele, puxava-o contra si aprofundando o beijo. Quando o soltou, ele podia ver o desejo em seus olhos. 
— Jeff… por favor….
Ele riu. Uma das mãos acariciava seu centro, instigava, sabia o quanto ela já estava úmida, pronta para ele. Retornou pelo mesmo caminho. Dessa vez, ele a provou. Gigi arqueou o corpo ao gesto. Gemia alto. Com maestria, ele a provou, a devorou até sentir o corpo abaixo do seu tremer com o efeito do orgasmo. Ele voltou a beijar-lhe os seios, o coração batia descompassado nesse instante. Ele beijou-a outra vez. 
— Minha… - e com um único gesto a penetrou. Mal começou a se movimentar com ela, sentiu o empurrão. Novamente trocaram de posição. Sorrindo, ela pressionava a mão sobre o estômago dele movimentando-se. As mãos dele na sua cintura, aumentando o ritmo, ajudando-a na busca do prazer. Ela inclinou-se para beija-lo, mordiscar a pele do peito. Porém, o prazer crescia dentro de si. Ele a preenchia completamente. Pegou uma das mãos dele colocando-a sobre seu seio. Jeff apertou-o. Ergueu-se da cama. Com o movimento, Gigi gritou. Precisou jogar o corpo para trás para aguentar o jeito como ele se afundava dentro dela. Então tornou a fita-lo. Com as duas mãos, agarrou o rosto dele. 
— Meu… - e beijou-o com urgência agarrando-se em seu pescoço quando sentiu o prazer explodindo dentro de si. Jeff voltou a coloca-la sobre o colchão. Continuava com movimentos precisos enquanto observava os efeitos do orgasmo na amada. Devorando seu pescoço, ele a estocou uma, duas, três vezes para por fim deixar-se consumir pelo prazer. 
Ela sentiu quando o marido saiu de dentro de si, esparramando-se na cama ao seu lado. Suspirou. A mão procurou a dele, entrelaçando os dedos. Fechou os olhos por um instante. Não conseguia conter a sua felicidade. Sentou-se na cama. Olhou para o lado. Jeff estava de olhos fechados, mas estava acordado porque ela sentia o polegar dele se movendo, acariciando sua pele. Com a outra mão, ela acariciava o peito dele. Ouviu-o gemer gostoso. Abriu o sorriso. Seu marido. 
— Jeff… hey, olhe para mim - ele abriu os olhos. Encontrou a sua mulher fitando-o com um sorriso lindo - você tem ideia do quanto estou feliz? Estou explodindo por dentro - ele levou a mão com a aliança aos lábios, beijou-a. 
— Eu também, minha Gi. Demais. 
— Acho que agora posso completar o que não pude dizer nos meus votos - ele olhou para a mulher a sua frente que se mexia ficando de joelhos na cama. Ele levantou-se ficando a poucos centímetros de distancia do rosto dela. 
— Mesmo? E o que você deixou de fora? 
— O quanto eu amo ficar com você, deitada no seu corpo, meu travesseiro particular. O quanto você me enfraquece e me deixa zonza com seus beijos. Nem vou falar da razão porque eu acabo cozinhando para o meu Jeff mesmo detestando cozinha… - eles riram - desejar você não me faz dependente ou fraca. Eu só permito isso porque sei que você me ama. Que fique registrado que eu mando na relação - ele gargalhou. 
— Você é minha doidinha preferida. E você está errada. Não é dependente, ambos somos. Sua espontaneidade, seu jeito espevitado é o que me faz te amar ainda mais. Essa alegria, seu corpo exala sensualidade. Adoro seus ataques de raivinha. Fica ainda mais linda. E sim, você manda - ela se levantou ficando de pé sobre o colchão - o que você está fazendo? 
— Eu disse que estou explodindo de alegria, se não posso gritar… - ela começou a pular no colchão, dançando e rindo. A gargalhada dele acompanhou a dela. 
— Sente-se ou vai acabar se machucando, sua maluca - ela não conseguia parar de rir - são três da manhã. Tem gente dormindo no hotel! - sabia que Gigi não se importava, então calculou o espaço que tinha e puxou a perna dela derrubando-a na cama. Ele a imprensou no colchão - louca… 
— Vai me dizer que você quer dormir, Jeff? - ele beijou os lábios dela. 
— Quem falou em dormir? - ele devorou o pescoço dela arrancando risadas. Novamente, dois amantes reunidos celebravam o amor. 
Gigi esfregou os olhos, percebeu parte do rímel em sua mão. Nem queria imaginar como estava sua cara. Sentou-se na cama. Ao seu lado, Jeff dormia de bruços. Com cuidado, ela se levantou da cama indo ao banheiro. Após lavar o rosto e fazer o que precisava no banheiro inclusive a inspeção para um possível banho mais tarde, ela voltou para o quarto. Estava com fome. Checou a hora. Dez da manhã, iriam perder o café se demorassem mais um pouco. Se bem que não precisariam descer. Sorriu. 
Cinco minutos depois, ela andava pelo colchão de gatinhas, tirou a coberta das costas dele revelando o traseiro. Inclinou-se e mordeu para depois beliscar. Ouviu-o gemer embora não se mexesse. Ela repetiu o gesto e continuou uma trilha de beijinhos pelas costas largas dele, deitando-se, a pele quente contra a sua fria. Aconchegou a cabeça em seu ombro por uns instantes. Beijou o pescoço e com o nariz inalava o cheiro dele. Suas mãos encontraram as costelas na lateral, tocou-as provocando cócegas. Riu. 
— Hora de acordar, amor - ela deitou-se ao seu lado. Jeff virou-se ficando na mesma posição de frente para ela - nosso café está chegando a qualquer momento - pegou a mão dele com a aliança contemplando-a, brincando com os dedos. Ele a puxou contra si. Os lábios se encontraram. 
— Bom dia, minha esposa. 
— Bom dia, meu marido. Estou faminta… - ao ver o olhar brincalhão dele, deu um saquinho no ombro - de verdade, de comida. Meu Deus! Mal acorda e já pensa em sexo! 
— O que eu posso fazer se você fica ai me provocando? 
— Eu não fiz nada. 
— Fez sim… você estava abusando do seu marido enquanto ele dormia. 
— Apenas checando o material… tenho que cuidar do meu patrimônio. 
— Sou um imóvel agora? 
— Não, mas é meu patrimônio, meu bem. Cada pedacinho seu é meu. 
— Que mulher possessiva eu fui arrumar… - ele a beijou novamente. A campainha tocou. 
— Comida! Finalmente… - ela se levantou da cama rumo a porta. 
— Gi, ponha o roupão já disse que não quero ninguém com os olhos na minha mulher além de mim! - ela riu. Vestiu o roupão que encontrou sobre a cadeira, antes de abrir a porta gritou para Jeff. 
— Gostoso abusado! - abriu a porta - oi, bom dia! Pode colocar sobre a mesa - Pegou a carteira do marido tirou uma nota de dez dólares e entregou ao rapaz que sorriu - seja bonzinho e suma daqui.   
— Obrigado, aproveitem o café - quando ela se aproximou da mesa já servindo o café na xícara e roubando um pedaço de bacon, viu Jeff também de roupão escorado na parede a observando. 
— Vem comer antes que esfrie - ela se sentou já se servindo de um pouco de tudo. Ele sentou-se ao lado dela. 
— Você pediu comida para umas dez pessoas? 
— Deixa de ser exagerado. Precisamos recuperar as energias. Temos dez dias pela frente de muita curtição, bebidas, sol e sexo, não necessariamente nessa ordem. Algo me diz que não vamos sair desse quarto até a hora de ir embora. 
— Não? - disse ele roubando um pedaço de bacon do prato dela - o que você está tramando nessa cabecinha? 
— Nada. São quase onze da manhã, estamos tomando café e o late check-out é às duas, o que prova que não temos muito tempo. A que horas precisamos estar no aeroporto? 
— Às cinco - eles comeram entre beijos, carinhos, roubando comida um do outro. Gigi se levantou, tirou o roupão jogando-o no chão e seguiu para o banheiro. 
— Gi? 
— Anda logo, Jeff. Quero tomar banho com você - claro que banho era a última coisa na mente dela, Jeff riu. Não esperava outra coisa de sua esposa. Na banheira, eles se amaram. Após a chuveirada com direito a repeteco, ela se arrumou. Deixaram o hotel por volta das duas, passaram em casa para pegar as malas. Jeff foi sozinho enquanto ela esperava no carro. Seguiram para o aeroporto. Jeff comprou café para ambos. 
— Pronta para sua lua de mel no México e no Caribe? 
— Sim, por favor só não me deixa beber muita tequila senão ficarei imprestável. 
— De jeito nenhum, tudo com moderação. Vamos mergulhar, esqueceu? E temos muito o que aproveitar no cruzeiro. 
— Jeff, nem tudo é com moderação. Tem suas obrigações de marido a cumprir. 
— Ah, minha Gi, isso nunca será moderado entre nós - ele a fitava com um brilho intenso nos olhos azuis. 
— Não me olha assim, Jeff… 
— Não posso evitar. Tenho culpa se você é linda? - o voo foi anunciado no auto-falante - pronta? - ela sorriu. De mãos dadas, eles seguiram para o portão de embarque. 

— Hola, Mexico! - sentaram-se na classe executiva e Gigi se aconchegou no ombro do amado. Sorria. 

Continua...

7 comentários:

Camila Lorrane disse...

OMG OMG que perfeito minha Gii toda paixonada pelo seu homen esse votos de casamento acabou comigo tinha um olho na minha lagrimas. Pequena ta de volta tava com saudades dela. Tudo tao lindo my Gosh esse cap focado no nosso casal Giff. Stanathan so amor. Agora so falta um priminho pra Kate hahahaha Anne quero ela pra mim. Parabens Kah ficou lindo como sempre segunda parte me fez chora como nao amar KADT. DR sem comentarios kkkk enfim tudo saiu perfeito Kah como sempre arrazando e acabando com a gente Cap Duplo. Happy Valentine's Day !!! 😍😍😍❤️❤️❤️❤️ #always

cleotavares disse...

Uau! Tudo perfeitamente ao modo Gigi. Foi tudo muito lindo, os votos, a música, as lágrimas, até o bolo de d. Rada teve um toque especial. Gente! a Gigi é muito "massa". hahaha!
Que venha a lua de mel, ♫ ♪ vai ser amor por mais duzentos anos ♫

Vanessa Belarmino disse...

Meu casamento chegou e eu não consigo para de chorar... Depois de Roma, é meu evento mais esperado (bom agora ja tenho mais um... ♥♥)
Esses votos! Dizer que foram lindos, perfeitos e maravilhosos, seria pouco... Eles foram tudo, forma mais... Foram 100% Giff
Preciso comentar eles... Começando por minha bichinha... Eu amo quando ela expressa seus sentimentos... Porque é tão puro, tão sincero e tão ela... Assim como ela,eu não esperava que Giff virasse algo serio, mas aconteceu e não poderia estar mais feliz... Amei ela citar a musica deles (aquela que eles não podem compartilhar com os outros haahaha) e ele entender...
Own Jeff, Gigi foi seu furação, te fez perder o rumo e te ensinou a amar... Que amor! Kristina nos votos, com uma declaração dessas, em inglês... OMG! E a coisa só estava começando...
A aliança! ♥ MINE, representa tanto eles... ♥♥
To rindo e chorando feito boba, com a quantidade de "meu marido"
Jeff agradecendo Stana ♥♥♥ Staninha empenhada no projeto sobrinho! hahaha #TamoJunto hahaha
Adorei a amizade de Bob e Petar...
Gigi mostrando a aliança pra irmã ♥♥
Anne sempre tão fofa. Gostei de ver dona Rada usando a calda da Gigi, significou o mundo pra ela.. Adoro essas provocações entre Nate e Gigi hahaha
Mesmo em um universo Giff ainda pude perceber lembranças SN, a primeira vez deles no barco, naquele mesmo local... ♥♥
E mais lembranças, morri de rir com essa de "fritar as bolas no óleo quente" hahaha Nós não tínhamos ideia que um dia estaríamos aqui... ♥♥
Hora do show! Amei a musica, nunca imaginaria Jeff cantando e dançando pra Gigi, mas como ele mesmo disse, "faz tudo por ela".
A essa altura eu ja estava anestesiada tipo Gigi. O coração da minha bichinha tb tá ótimo.
Foi lindo demais. Inesquecível... A sacolinha com Tequila haha
Nem chegamos a sobremesa e eu já estava mais que satisfeita... Como pode? haha
Não me culpe, é muito pra lidar... Vc fez um cardápio completo, com tudo que era possível... E mais!
Eles dançando a musica particular deles e depois a dança do amor... Não sou capaz de dizer mais nada... Apenas é muito amor! ♥♥"Minha" "Meu"♥♥
Kah, eu te amo tanto! Não tenho palavras... Claro que foi um capitulo inesquecível!
Kah, você me rouba meu chão, meu ar, minhas lágrimas e meu sorriso...
Eles estão indo para o México (porque nenhum lugar faria mais sentido que esse), mas para mim é como se a viagem fosse para Roma... Bom, eles estão em Roma, em seu significado... ♥♥
Obrigada!

Desculpe se esqueci de mencionar algo, mas é muita emoção... Li três vezes (ate o momento)

Quero um Jeff pra mim... Como faz pra imprimir um? 2017 e não tem uma impressora para imprimir um homem desses... #Chateada hahaha

Madalena Cavalcante. disse...

Gente, ai, eu só consigo dizer: QUE CAPITULO FOI ESSE?????????????????
Kah, vc se supera a cada capítulo, a cada acontecimento, um choro de felicidade, pq o que eu chorei lendo esse cap.. olha, nem comento!
Primeiramente, quero falar da volta da criança mais esperta dessa fic, Anne estava maravilhosa, como sempre, estava morrendo de saudades desta criaturinha, pena que apareceu pouco *insira o emoji da lua preta aqui*
segundo: até dora Rada estava suportável, achei bem digno da parte dela em demostrar o amor dela para a Gigi. Nossa Gigi merece todo o amor do mundo!!! *--*
Terceiro: A MINHA STANA, MELHOR SER HUMANO DESSE MUNDO INTEIRINHO, MEU DEUS, QUE MULHER! Morro de amor por essa personagem que tu escreve, pqp, nossa Stana (minha e tua *emoji de lua*) é incrível, e ver no Nathan olhando, e cuidando dela da forma que ele faz... me deixa boba, com o coração hiper aquecido <3
e por ultimo, mas não menos importante: QUE VOTOS! *--------------* Chorei rios, meu lençol ficou encharcado com o choro de felicidade e encantamento com aquelas palavras!!! Sinceramente, fico sem palavras pra descrever exatamente o que eu senti ao ler, só sei dizer que tô maravilhada <3 <3 <3

Kah, mais uma vez, OBRIGADA <3

Priscila Barros disse...

Eu não consegui parar de sorrir desde que comecei esse capítulo!! ❤❤❤❤❤❤❤ Eu tô tão encantada com tanto amor nesse capítulo, com essa união, com esse casamento lindo... Eu amo Giff ❤❤❤❤❤❤❤❤❤
Vai ter chuva de coração? Vai ter chuva de muito coração!!!! ❤❤❤❤❤❤ Kah, você é a melhor pessoa!!!! Eu sei que eu já falei isso, mas vou agradecer de novo por essa fic linda, maravilhosa, incrível, que além de ter Stanathan, trouxe Giff, o ship amorzinho! ❤❤❤❤❤❤❤❤❤
Eu tô boba! Os votos da Gi foram lindos e tão cheios de amor! E o Jeff?! Ele roubou o chão da Gi, foi tão lindo ❤❤❤❤❤❤❤ eu amei tanto!!!
Eu preciso falar que fiquei boba e sem chão mesmo foi com a primeira dança e a música do casal, com toda a surpresa do Jeff!!! Minha nossa, ele surpreendeu a Gi duas vezes na mesma noite!!! E ainda por cima cantando?! Foi muito amor e muita emoção!! ❤❤❤❤❤❤❤❤❤❤
*Pausa para elogiar dona Rada, realmente ela entendeu tudo, primeiro aquelas palavras lindas antes do casamento, agora ela fez a calda da Gi, ❤❤❤❤❤*
Eu tenho que falar também que tô tão ansiosa por essa renovação de votos dos meus amorzinhos Stanathan ❤❤❤ quando a Gi entregou o buquê pra Staninha eu fiquei tão feliz ❤❤❤❤❤❤❤❤❤❤
**Giff tem as melhores lembranças de casamento do mundo! ❤❤❤❤❤**
A primeira noite deles foi maravilhosa! Esses dois são lindos demais!!! ❤❤❤
Tô ansiosa por essa lua de mel!!! ❤❤❤

Kah, muito obrigada mais uma vez por esse capítulo lindo e cheio de amor!!! Obrigada obrigada obrigada! ❤❤❤❤❤

Fernanda Monica Souza E Silva disse...

Primeiramente parabéns pelas postagem, gosto muito das historias escritas por você amo vê Stana e Nathan e pequena Kate Gigi e Jeff.
Agradeço pelas histórias hilárias que você postar .
Gostaria de sabe quando vai posta uma nova história estou louca pra vê como vai ser a renovação dos votos e tudo mas sobre esse casal extraordinário
Obs.não deixe de posta pois estou mal acostumada e não vejo a hora de pode vê história novas,como falei não deixa de posta pois e muito bom e parabéns de novo você e uma escritora nota mil

Fernanda Monica Souza E Silva disse...

Primeiramente parabéns pelas postagem, gosto muito das historias escritas por você amo vê Stana e Nathan e pequena Kate Gigi e Jeff.
Agradeço pelas histórias hilárias que você postar .
Gostaria de sabe quando vai posta uma nova história estou louca pra vê como vai ser a renovação dos votos e tudo mas sobre esse casal extraordinário
Obs.não deixe de posta pois estou mal acostumada e não vejo a hora de pode vê história novas,como falei não deixa de posta pois e muito bom e parabéns de novo você e uma escritora nota mil