quarta-feira, 1 de fevereiro de 2017

[Stanathan] Kiss and Don't Tell - Cap.103


Nota da Autora: E esse é um daqueles capítulos menores, porém intensos. Com direito a, digamos, tudo? The whole package! Mais um "treino" e esse vai especialmente para a Mada e a Van que anotaram as dicas direitinho. Também tem participação especial de uma das nossas personagens faves! Só posso dizer, divirtam-se! Se quiserem agua gelada, fiquem a vontade... vocês que sabem! 
PS.: Quero agradecer a uma pessoinha em especial: Pri! Esse comentário terá muitossss corações :) 


Cap.103


Gigi tivera uma semana estressante. O mês de maio não começara bem para a design e arquiteta. Projetos de última hora, ajustes inesperados. Trabalhou até tarde praticamente todos os dias daquela semana, seja no escritório, seja em casa debruçada no notebook. Uma das noites, Jeff a encontrou quase dormindo na frente do monitor às três da manhã. Sequer tivera tempo de pensar em casamento. Desmarcou com a irmã, deveriam ir a procura do vestido de Stana. Infelizmente, tempo se tornara um artigo de luxo para Gigi. 
Essa agitação, o cansaço e o stress não passaram desapercebidos por Jeff. Ele queria ver sua noiva relaxada. A ultima coisa que poderia acontecer era Gigi estourar, surtar outra vez. Não por dúvida, eles já superaram essa situação há bastante tempo. Porém, o stress era algo tão irritante e exaustivo, ela estava inclusive com olheiras. Teve uma ideia. 
Na sexta-feira à noite, Gigi chega em casa por volta das oito da noite. Estava exausta. A cabeça explodindo, parecia que havia uma banda de heavy metal tocando lá dentro. Ela desejava um banho quente, uma taça de vinho e cama. De preferência, dormir no peito do noivo. Nada de exageros, precisava de paz. 
A primeira coisa estranha que encontrou na sala foi uma pequena mala. Seu pensamento foi apenas um. Jeff teria que viajar a trabalho. Mas ele não comentara nada com ela, certo? Ou será que ela estava tão envolvida com seus projetos que não prestara atenção? A ideia do noivo ficar longe dela agora era terrível. Ela estava carente. Exausta, irritada, esse era o pior momento para Jeff se afastar dela. Queria abraça-lo, beija-lo. Não lhe agradava nada saber que ele a deixaria sozinha no fim de semana. 
Jogou a bolsa sobre o sofá, tirou os sapatos e subiu as escadas chamando por ele. 
— Jeff? Amor? Onde você está? 
— No quarto, Gi - ao vê-la sorriu. Ela reparou que ele estava completamente vestido. O rosto não escondia a decepção. Ele iria viajar - pensei que chegaria mais tarde. 
— Você vai… viajar? De quem é a mala na sala? 
— Você está com a aparência cansada, amor. Seu semblante está triste. A mala na sala é nossa. 
— Então, você vai viajar. Estou estourando de dor de cabeça - ele a envolveu pela cintura - a semana acabou comigo. E a-agora…isso. E-eu não quero ficar sozinha. 
— Eu sei, por isso resolvi que merecemos um final de semana especial. Eu não vou viajar, Gi. Eu e você iremos passar o fim de semana em um hotel. Relaxando, sendo servidos a qualquer hora. Quero tirar esse olhar derrotado do seu rosto. A mala é nossa. 
— Hotel? 
— Sim, vamos para o Santa Monica Beach Hotel. Ótima vista da praia, serviço de primeira 24horas, spa, piscina. Tudo o que merecemos para você recuperar as energias e se sentir melhor. 
— Mas Jeff, eu só preciso de um banho e ficar abraçada a você, amor. Por que você está fazendo isso? 
— Porque eu quero. Vi o quanto você trabalhou essa semana, mal dormiu. Gi, deixa eu mimar você um pouquinho? - ela sorriu, beijou o noivo. 
— Vai me mimar, hum? Eu vou adorar… 
— Ótimo! Vamos - ele a puxou escada abaixo - calce seus sapatos. Não quero perder mais um minuto. 
— Espera, mas o que vou levar eu… 
— Tudo o que precisa está na mala. Acredite, Gi, com o que tenho em mente não vai precisar de muita coisa. 
— Você está tendo ideias safadinhas na sua mente, Jeff? - ele piscou para a noiva - ah… preciso de energia para isso. Você vai acabar me matando, fiancé… 
— Prometo não abusar de você… 
— Essa é uma promessa que definitivamente não quero ver você cumprir, amor. Vamos, eu preciso de um banho de espuma para relaxar - de mãos dadas deixaram a casa. 
Ao chegarem no hotel, Jeff segurando a mão dela aproximou-se da recepção. 
— Boa noite. Tenho uma reserva no nome de Jeff Fillion. 
— Um instante, senhor - o rapaz verificou o computador - sim, duas noites. Suite de luxo com varanda. Posso ter seu cartão de credito? 
— Claro - ele virou-se para fitar a noiva - Gi, o que você acha de entendermos nossa estada até a segunda? Assim não precisamos sair correndo daqui no domingo. Podemos tomar café, depois ir para casa enfrentar a semana. Você decide. 
— Por que não? Vamos fazer isso - ele sorriu, olhou para o rapaz da recepção e autorizou o débito. Assim que terminou todos os procedimentos, o funcionário do hotel explicou. 
— Sua suíte para as três noites fica no sexto andar. O salão no térreo fica aberto de seis às onze da manhã para o café. O restaurante no segundo andar funciona para almoço e jantar todos os dias até a meia-noite. Serviço de quarto é 24 horas. Se quiserem agendar algo no spa, basta ligar do quarto. Aproveitem sua estada. 
— Obrigado, faremos isso - eles se dirigiram para o elevador. O lugar era muito bonito. Gigi ainda estava com dor de cabeça, um pouco menos, além disso sua curiosidade estava grande. Jeff abriu a porta do quarto. Era enorme. A decoração clean, poucos objetos. A porta para a varanda chamou logo a atenção de Gigi. Ele tinha razão. A vista era muito agradável. A praia de Santa Monica, o píer e o céu de Los Angeles. 
— Você tem razão. Uma bela vista para nossos olhos cansados. 
— Sim, como você. 
— Podemos beber, namorar aqui - ela retornou ao quarto - nossa! Essa cama é imensa, king size. Oh… posso imaginar muitas coisas interessantes para se fazer nesse espaço… - ele se aproximou dela, acariciou os braços de Gigi, os lábios beijavam seu pescoço - não é hora para isso. Você disse que era para eu relaxar. Preciso de um banho. 
— Um banho quente, relaxante com bastante espuma. Vou providenciar para você - ele se afastou entrando no banheiro. Gigi sentou-se na cama. Era deliciosa. Sim, ela podia tirar ótimo proveito daquele lugar. Jeff retornou. Sentou-se ao lado dela. Tornou a beijar seu pescoço. As mãos desabotoavam a calça dela. Deitou-a sobre a cama. Puxou a calça. Passou a fazer o mesmo com a blusa que ela usava. Desfez o sutiã. Gigi sentou-se outra vez. Ele a beijou suavemente nos lábios voltando a devorar seu pescoço. Gemendo, ela falou. 
— Jeff… você não devia checar a banheira? 
— Não vai encher tão rápido. Estou lhe preparando para o banho, amor - ela se levantou, olhou para o noivo com o olhar provocante. 
— Estou entendendo bem o que você quer…seu objetivo é me ver nua. 
— Não posso deixar de concordar. Culpado. Afinal, esse é um dos meus maiores prazeres. 
— Um dos? 
— Sim, beija-la e fazer amor com você certamente estão no topo da lista. 
— Está tentando me seduzir, Jeff? Já disse que preciso relaxar - ela saiu andando rumo ao banheiro. Quase não acreditou ao ver o tamanho da banheira, parecia um ofurô - hum… vai ser fácil de relaxar aqui - ela colocou uma perna na agua quente, depois a outra. Reparou que ele já havia despejado o liquido para formar espuma. Devagar, sentou-se deixando a agua quente amolecer seu corpo cansado - isso é muito bom. Como estava precisando…. - ele apenas a olhava sorrindo - você vai ficar ai, parado? Tire essas roupas e entre logo aqui. 
Claro que ele a obedeceu. Em segundos estava nu, entrando na banheira. Acionou o mecanismo e a espuma começou a crescer. Sentou-se ao lado dela, então puxou-a para o meio de suas pernas. Acariciou-lhe os ombros. Começou uma massagem. Sim, ela estava muito tensa. Havia vários nós em seu pescoço. Entre beijos e caricias, ela se encostou no peito dele e fechou os olhos. As mãos de Jeff deslizaram tocando-lhe os seios. Ela gemeu. Ele continuou. Brincava com os mamilos usando os dedos, apertava-os, massageava-os. Gigi se movia contra o corpo dele. Seu próprio corpo respondendo aos estímulos que ele provocava. 
— Jeff… o que você está fazendo? 
— Relaxando você, minha Gi… apenas relaxando… - ela virou-se para encara-lo. Agora, forçara-o a fechar as pernas. Ela estava sentada sobre ele, a posição convidativa. Os olhos azuis a fitavam. Ela podia perceber que estavam cheios de desejo , mas também havia ternura. 
— Isso não é relaxar, Jeff. Não quando você está animado… - ela envolveu os braços no pescoço dele. Tomou-lhe os lábios em um beijo sensual. 
— Pode me culpar, Gi? - ele a beijou com urgência. Gigi não podia se contentar apenas com beijos. Aproveitando-se da posição, ela segurou o membro dele e se fez deslizar preenchendo -a. Os olhos tornaram-se a se encontrar antes de começarem a mover-se juntos. Não precisaram de muito. A excitação e o desejo era tanto que em poucos minutos ambos atingiram o clímax. Jeff a beijou outra vez. 
— E lá se foi o tal do banho relaxante. 
— Bem, serviu para relaxar sim, porém me deixou com mais vontade de ter você. 
— Deixou, foi? - ele mordiscou o ombro dela. 
— Mas preciso terminar o banho. E estou com fome… você me deve um jantar. 
Eles terminaram o banho. Gigi após enxugar o corpo e um pouco os cabelos, vestiu o roupão que fazia parte da suíte. Jeff já estava providenciando o jantar. Eles sentaram e saborearam a refeição com um bom vinho. 
— Como você se sente, Gigi? 
— Bem melhor. A dor de cabeça se foi, estou relaxada. Ainda cansada, mas isso é fácil de resolver com aquela cama maravilhosa nos esperando. 
— Então, nós vamos para a cama agora? - ela se levantou puxando-o pela mão. 
— Se está tendo ideias, acho melhor esquecer. Iremos dormir. 
— Foi você que ficou dando ideias com a cama… - ele abriu o roupão que ela vestia. Jogou-o no chão. O corpo esbelto e nu a sua frente. Os cabelos ainda molhados sobre os ombros e a gota soberana no colo dela. Ele a deitou na cama. Tirou seu próprio roupão, colocando-se sobre ela. 
— Jeff… o que você está fazendo? 
— Admirando você e sua gota. Quero você, Gi. De novo. 
— Nessa cama enorme? - ela o empurrou contra o colchão, colocou-se sobre ele. Os lábios devorando o peito dele. Uma das mãos segurava seu membro, acariciando, atiçando. Voltou a beija-lo. Jeff segurava-a pela nuca aprofundando o contato. De repente, ele mudou de posição. Quebrou o beijo, olhando-a profundamente - faça amor comigo, Jeff. 
As mãos dele percorriam seu corpo. Os lábios tomavam-lhe os seios, deslizavam pelo estômago, o ventre. Provou-a sem pressa ao som de gemidos que se intensificavam a cada novo toque dos lábios e da língua em seu centro. O corpo dela se contorcia sob o dele. Não resistiu a onda de prazer que a atingiu. Jeff tornou a beija-la com vontade. Gigi se agarrava ao corpo dele ainda sentindo os efeitos do orgasmo que se dissipava aos poucos. Ao se afundar nela, arrancou outro gemido prazeroso. Ela mal se recuperara do primeiro e sua cabeça já estava zonza diante da ideia do próximo. 
Ela conseguiu mudar de posição. Movimentava-se sobre ele, as unhas fincadas no peito do noivo enquanto as mãos dele seguravam sua cintura, ajudando-a com movimentos rápidos e precisos. Cada estocada, se afundava mais nela. Uma das mãos apertou-lhe o seio. Puxou o mamilo. Não suportando mais ele sentou-se puxando-a para muito perto. Sorveu-lhe os lábios, abocanhou um dos seios. Ela segurava os cabelos dele. Então, ele a colocou deitada outra vez. Podia senti-la tremendo em seus braços. Uma, duas, três vezes ele se impulsionou sobre ela até ouvir seu nome e sentir o orgasmo inundar aos dois. Desabou o corpo sobre o dela. Segundos depois, virou-se de lado temendo sufoca-la com seu peso. Ela estava ofegante. Mantinha os olhos fechados. Uma das mãos buscou por ele, acariciando-lhe o peito. Jeff a puxou contra seu corpo. Entrelaçou os dedos nos dela. 
— Louco… - ela sussurrou baixinho - amo você. Todo meu… só meu… 
— Sim, só seu… - beijou-lhe o ombro. 
— Muito cansada… 
— Durma, amor… - adormeceram. 
Gigi acordou se espreguiçando na cama. Ela sentiu falta do corpo ao seu lado. Será que já levantara? Virou-se para o lado procurando por Jeff. Ele dormia de bruços, esparramado na cama. Só assim percebera o quanto a cama era enorme. Sentou-se. Sorriu pensando “que noite!”. Devia acorda-lo, não? Olhou para o bumbum exposto. Não resistindo, ela deslizou pelo colchão e mordiscou a área. Então, deitou-se sobre o corpo do noivo. Ao sentir o peso gostoso e familiar dela sobre si, ele sorriu. 
— Bom dia, amor… 
— Bom dia, meu noivo gostoso - ela beijava seus ombros, sua nuca. Mordiscou o lóbulo de sua orelha enquanto uma das mãos beliscava o traseiro dele. Sentiu as mãos de Jeff nas suas costas. Rapidamente, ele a tirou de cima de si e vendo-a deitada sobre o colchão tomou-lhe a boca com vontade. 
— Deveria ser proibido me provocar logo de manhã… você sabe que não precisa muito, Gi. 
— Que bom… porque não tem nada melhor que fazer amor de manhã cedinho… - outra vez, eles se entregaram um ao outro. 
Quando acharam que já estavam descansados e recuperados o bastante, levantaram-se da cama, colocaram a roupa de praia e desceram para o café da manhã. Depois, seguiram para a praia. Após uma boa caminhada pela orla de Santa Monica, o píer e Venice beach, eles caíram no mar. Satisfeitos, retornaram ao hotel para curtir a piscina. Drinques, sol, mergulhos. Eles passaram boa parte do dia sem fazer muita coisa, apenas relaxando. 
Á noite, vestiram-se para jantar no restaurante do hotel. Jeff pediu champagne e um risoto de mariscos que estava divino. Ao voltarem para o quarto, ele ordenou uma garrafa de vinho e sentaram-se na varanda admirando a vista e namorando. Claro que a noite estava apenas começando e aquele quarto de hotel, aquela cama king size, certamente teria historias para contar se pudesse falar. 
No domingo, na parte da tarde, ela aproveitou para fazer um massagem no spa. Jeff achou que era uma boa ideia resolvendo acompanha-la. Ao perceber que as massagistas eram a sua maioria mulheres e bonitas, ela questionou a recepcionista. 
— Estamos aqui para a massagem de corpo inteiro, mas exijo que meu noivo tenha um massagista do sexo masculino, aliás quero dividir a mesma sala com ele.
— Gi, para que isso? Crise de ciúmes agora? - ele a puxou para o canto. 
— Quem falou em ciúmes? Estou apenas cuidando do que é meu. Ou você acha que vou deixar qualquer uma ver o traseiro maravilhoso que você tem? De jeito nenhum. Meu homem não pode dar sopa por ai - ele riu, puxou-a pela cintura. 
— Vai ficar bravinha? - acariciava o rosto dela. 
— Se for preciso, vou mostrar quem manda. 
— Adoro quando fica assim, possessiva - tascou um beijo nela. 
— Você é meu, não vou deixar uma massagista tocar o que é meu. 
— Já entendi. Se quiser não faço a massagem…
— Deixe de besteira, você vai fazer - ela virou-se para a recepcionista - vocês tem massagistas homens, não? 
— Claro! As mulheres preferem, inclusive. 
— Eu quero um homem e uma mulher, assim ninguém briga. 
— Claro, um instante - a mulher checou algo no computador - tudo certo. Pode me acompanhar? - eles caminhavam atras da funcionaria do spa. 
— Você não tem jeito. Conseguiu… juro que se você tiver um ataque de ciúmes aqui corro o risco de cometer um atentado ao pudor. 
— Controle-se, Jeff. Nada de ficar excitado ou o cara vai pensar que você é gay. Até que não seria má ideia… 
— Nossa! Você sabe como quebrar o clima… 
— Guarde a empolgação para mais tarde, meu gostoso - beijou-lhe os lábios rindo da careta que o noivo fazia para ela. 
— Você não presta!     
Após a massagem, eles retornaram ao quarto vestiram-se e saíram para tomar um drinque antes de jantar no próprio restaurante do hotel. Um momento a dois bem de namorados, tinha bastante tempo que não faziam isso. 
— Acho que deveríamos sair para jantar mais vezes, namorar sabe? 
— Que tal fazer disso uma promessa de casamento, meu gostoso? 
— Você está certa. Promessa de casamento. Você cozinha uma vez ao mês e saímos para jantares românticos mais frequentemente. 
— Quem disse que eu prometi algo? 
— Eu. Sua promessa já está feita desde o dia dos namorados, esqueceu? 
— Não, mas torcia para que você esquecesse - ele riu. 
Na volta para o quarto, Gigi foi para o banheiro. Viu Jeff se livrando das roupas e colocando o roupão outra vez. Também não se preocupou em se vestir. Perambulou pelo quarto de calcinha e sutiã juntando as roupas e organizando a mala. Amanhã voltariam a rotina. 
Ele estava com um copo com agua nas mãos admirando a vista da praia na varanda. Ao ver que ela terminara de ajeitar as coisas, ficou observando-a para descobrir qual seria seu próximo passo. Viu quando Gigi subiu na cama literalmente. Ela ficou de pé andando sobre o colchão, depois caiu de joelhos fazendo movimentos como se testasse a cama. 
— Definitivamente deveríamos trocar a nossa cama por uma king size. O que acha de pedirmos  de presente de casamento? 
— Gi, nós já fizemos a lista. 
— Podemos pedir para seus pais. Lembra que Bob falou que queria dar um presente especial? 
— Ele não disse nada disso. 
— Disse sim, você que não prestou atenção. Vou pedir do sogrinho, tenho certeza que o fã #2 não vai se negar. 
— Ele não negaria nada a você, Gigi. 
— Hum… mas você negaria? - Jeff se aproximou da cama, deitou-se na horizontal - responde, Jeff… 
— Não sei… já neguei algo? - ele provocou. 
— Não. 
— Então você sabe a resposta - viu que ela sorria. Permanecia de joelhos no colchão olhando para ele - nossa última noite aqui, vou sentir falta. 
— Eu também, especialmente da cama - ele riu, porém seu semblante logo mudou ao ver a noiva desfazer o nó do roupão que vestia. Baixou o boxer que ele usava deixando seu membro exposto. 
— O que você está fazendo, Gigi? - ela não respondeu, contudo pela posição que se encontrava e pelo jeito que segurava o membro em suas mãos, Jeff deduziu. A realização o fez gemer em antecipação - Gi, meu Deus… - outro gemido escapou de sua boca ao sentir onde os lábios dela estavam. Doce rendição. Jeff deixou seus dedos enroscarem-se nos cabelos dela e entregou-se aos comandos e vontades dela. Sim, ela o levaria a loucura e não se importava nem um pouco com isso. 
Quando terminou, ela se deixou escorar no encosto da cama. Puxou um travesseiro abraçando-o. Jeff parecia largado, ainda perdido em algum lugar após o gozo. Virou-se para fita-la. Gigi estava calada, observando. Um espaço imenso entre eles. Ele sentou-se na cama, os olhos azuis nunca afastando-se dos dela. Então puxou sua perna com força fazendo-a deitar-se na cama. Ela gritou. Jeff jogou o travesseiro longe e tomou-lhe a boca com urgência. A brincadeira não tinha hora para terminar. 

XXXXXXX

Em outro canto da cidade, o fim de semana não estava sendo tão divertido. Na madrugada de domingo, Nathan acorda para ir ao banheiro. Estranha não ver a esposa ao seu lado. Sua primeira dedução era que estaria amamentando Katherine, porém não havia sinal da babá eletrônica na cabeceira da cama e ele não se recordara de ouvir nada. Nem um choro sequer. Após sair do banheiro, ele foi até o quarto da filha. Logo da porta podia ouvir o choro. Encontrou Stana sentada na poltrona com a menina no colo. Acalentando, falando baixinho tentando acalmar o choro. 
— O que foi, amor? Ela acordou assustada? Não ouvi nada e a babá…
— Eu tirei a babá para que você pudesse dormir - ele reparou no semblante cansado da esposa, de repente as lágrimas se formaram nos olhos dela - e-ela não consegue dormir. Está com dor, Nate. Eu…eu não sei o que fazer, ela não quis o peito… ela está com dor… - repetiu a frase umas três vezes. Nathan se aproximou dela. Beijou-lhe a testa. 
— Que tipo de dor? Fome? Não consegue pegar o peito? 
— Não, acho que é outro tipo. Estou aqui desde a meia-noite. 
— Stana, são quatro da manhã! Por que você não me chamou? 
— E-eu não queria incomoda-lo. Eu devia resolver isso. Sou a mãe dela e não sei como acalmar minha própria filha…. eu não sei…. eu li os livros, eles não ajudam em nada! Ela não tem febre, nem frio, a fralda está limpa - nessa hora o choro do bebê intensificou, as lágrimas rolaram tanto no rosto da mãe quanto da filha.  
— Posso segura-la um pouco? Você está cansada, amor - ele tirou a filha dos braços dela. Nathan caminhava com a menina de um lado a outro do quarto, falando baixinho tentando acalma-la. Aos poucos foi conseguindo. Sentou-se no braço da poltrona, fitou a esposa. Acariciou seu rosto, beijou-lhe a testa. Examinando a filha. Notou que o estômago dela parecia inchado - você notou a barriguinha dela? Está grande. Ah, pode ser isso. 
— O que? - Stana olha o estômago da filha - está cheia. Por isso não quis comer. 
— Não, ela pode estar com dificuldade para fazer o numero dois. 
— Você quem troca a maioria das fraldas, lembra da ultima vez? 
— Acho que foi ontem logo pela manhã - Nathan tocou de leve a barriga da criança, ela gemeu - a dor, deve ser cólica. 
— Sim, era uma das coisas que o livro falava. Eu não sei o que devo fazer. Quer dizer, como se faz para uma criança que não fala, você sabe, conseguir…
— Fazer o número dois. Não sei. Por que você não liga para a sua mãe? - Stana olhava para ele calada, Nathan notou a aflição em seus olhos - amor? 
— Porque se fizer isso ela vai dizer que não estou pronta, que não sei cuidar da minha filha o que claramente é verdade e vai querer voltar e… - ele a interrompeu colocando o indicador nos lábios acariciando-lhe a boca. 
— Tudo bem, já entendi - Stana suspirou - mas se você não vai ligar para a sua, eu ligarei para a minha. 
— É de madrugada! Você não vai incomodar sua mãe. 
— Katherine precisa dela. Irei fazer pela minha filha e tenho certeza que ela não vai se importar - ele entregou a bebê para a esposa, foi ao quarto pegar o celular. Discou. Dois toques e ela atendeu sonolenta. 
— Nathan? 
— Oi, mãe. Estava dormindo, não? Desculpe pela hora. 
— Tudo bem. Algum problema, filho? 
— Sim, é a Katherine - ele explicou por alto o que poderia estar acontecendo. Cookie que não era marinheira de primeira viagem sabia exatamente o que estava deixando a neta agoniada e como resolver. 
— Entendi. Ela está com prisão de ventre. Passe o telefone para Stana, vou explicar o que ela deve fazer - Nathan obedeceu. Stana primeiramente se desculpou com a sogra e depois ouviu atentamente todas as instruções. Deveria fazer um chá bem fraquinho de camomila ou erva-cidreira, dar para a filha. Também deveria com delicadeza apalpar a barriguinha dela para saber o lado mais dolorido alem disso precisava realizar constantes massagens no estômago dela em movimentos circulares para estimular a vontade de fazer coco. 
— Acho que entendi. E se ela não quiser tomar o chá? 
— Ela vai tomar. De pouquinho, mas vai. Tente dar ao menos dois dedos, ao perceber que o gosto é diferente do leite materno, ela tomará. 
— A senhora está dizendo que ela está rejeitando meu leite? 
— Não, Stana. Ela apenas está cheia por hora. O que me leva a minha outra pergunta, você mudou sua alimentação? Comeu alguma besteira ontem? Abusou? 
— Não, eu procuro sempre comer saudável, confesso que é difícil com Nate do meu lado, porém minha alimentação é toda a base de legumes, verduras e frutas. Não lembro de ter comido nada diferente ontem, eu comi banana no café, repeti a fruta na parte da tarde e ah! Eu coloquei chocolate na banana… foi isso não? 
— Quantas bananas você comeu? 
— Quatro. 
— Esse foi o problema. Banana prende e o uso do chocolate certamente causou a cólica. Você precisa comer frutas que estimulem a digestão. Tome suco de laranja natural, coma mamão. Isso vai ajuda-la na próxima vez que ela for mamar para equilibrar o intestino. 
— Obrigada, minha sogra. Eu nem sei como agradecer. E-eu não sabia o que fazer e..seu filho… Desculpe pelo telefonema da madrugada. 
— Que isso! Já está quase na minha hora de acordar. E não é problema nenhum ajudar minha neta. Por favor, ligue dando noticias se ela melhorou. 
— Claro, faremos isso. 
Stana desligou o telefone, compartilhou a informação com o marido. Deixando a filha com ele, desceu para preparar o chá. Nathan encarregou-se de massagear o estômago dela enquanto isso. Com muita luta, ela conseguiu fazer Katherine tomar dois dedos da mamadeira de chá. Stana encostou a filha de bruços nos ombros e cantou para tentar acalma-la. Aos poucos, a bebê começou a relaxar. Acabou adormecendo. Colocou-a no berço. 
— Vá deitar um pouco, amor. Está exausta. Eu tomo conta dela. Prometo que se algo acontecer eu te chamo. E deixe a babá eletrônica comigo. 
— Acho que não deveria….
— Stana, você não dorme há horas! Está quase 24 horas no ar. Deite-se, descanse. Você precisa - resignada, ela deixou o quarto. Nathan sentou-se na poltrona. Ficou velando o sono da filha, acabou adormecendo. Ele voltara a acordar três horas depois. Checou a menina. A fralda. Nenhum sinal ainda. 
Stana adormeceu, porém o sono foi difícil, conturbado. Voltou a acordar atordoada. Ela sonhara com um caso onde o bebê tinha perdido os cabelos. Foi intenso. Respirou fundo e foi até o quarto de Katherine. O marido dormia outra vez. Desceu para preparar café, trouxe um pouco para ele. Acordou-o com um beijo e com o aroma da bebida. 
— Como ela está? 
— O chá ainda não fez efeito. Chequei a fralda mais cedo. Não deve demorar tanto mais. Vou fazer mais massagem na barriguinha dela - Katherine chorou, Stana automaticamente a pegou nos braços. Ele decidiu descer para preparar algo para ela comer. Voltou com um pote com frutas, mamôes e aveia , um copo de suco de laranja natural. Ela comeu. Meia hora depois, Nathan checa a fralda da filha. Um odor familiar. Finalmente, ela conseguira colocar parte do conteúdo de seu estômago para fora. Stana ficou aliviada. 
O resto do domingo se dividiam entre cuidar da menina monitorando seu progresso e a dor além de estudar. Sim, Stana estava focada em sua nova série. Claro que o cansaço da noite mal dormida, da preocupação, não a deixavam raciocinar direito. Ela não se lembrava como conseguira ficar de pé já que não podia ingerir muito café. Nathan cuidou da alimentação dela o dia todo. Finalmente à noite, Katherine voltou a sujar a fralda. Stana preparou mais um pouco do chá, estava prestes a oferece-lo quando o celular de Nathan tocou. Dona Cookie. 
— Oi, mãe… sim, Katherine está melhor. Acho que o pior já passou. Stana ia dar mais uma dose de chá para ela. Espere… - ele passou o telefone a esposa que tinha a filha nos braços. 
— Stana, ela melhorou mesmo? 
— Sim, minha sogra. Quero dar o chá para prevenir qualquer coisa, mas ela ainda não mamou. 
— Querida, não se preocupe. Dê o chá e mais tarde tente dar o peito a ela. Como está a dor? 
— Ela não chorou mais como antes. Eu apalpei a barriga dela há pouco, gemeu um pouquinho, foi por isso que resolvi pelo chá. 
— Fez bem, querida. Vamos esperar que da próxima vez que ela chorar seja de fome, querendo leite. E você? Está se alimentando? Descansou? Não faça todo o trabalho sozinha, obrigue meu filho a lhe ajudar. 
— Oh, minha sogra, seu filho é um amor. Ele está me ajudando. Tem o dom de me acalmar nessas horas. Cuidou da minha alimentação. Eu não consigo descansar direito com Katherine assim, tentei, mas não deu muito resultado. 
— Que bom ouvir isso. Deixe Nathan ajuda-la e por favor, descanse. De nada adianta você ficar assim sem energia e cansada para cuidar da sua filha. Qualquer coisa, pode ligar. Ponha o Nate na ligação, o pai quer falar com ele. Homens e jogos, quando eles crescem? 
— Nunca? - disse Stana fazendo a sogra rir. 
Nathan ficou meia hora no celular com o pai. Stana deu o chá para sua filha e observou suas reações. Torcia para que ela quisesse mamar logo, porém a menina acabou dormindo. Ela voltou para a sala. Sentada no sofá com um dos scripts nas mãos, Stana tentava lutar contra o peso de seus olhos. Se recusava a descansar sem ter certeza de que Katherine estaria bem e comeria. Nathan se juntou a ela. Mesmo conversando o cansaço era visível nos dois. Especialmente em Stana. Por volta das dez da noite, eles ouvem o choro. Stana pegou a filha nos braços, a fralda estava cheia. 
Apos troca-la, abriu a blusa e ofereceu o seio para Katherine. Dessa vez, ela aceitou sugando o leite da mãe. Stana suspirou aliviada. Fechou os olhos e sentiu a mão de Nathan acariciando seus cabelos. 
— Se continuar fazendo isso, vou dormir com a Katherine nos braços e não me responsabilizo se ela cair no chão. 
— Você está cansada demais, Staninha. Assim que ela terminar, você vai para a cama. 
— Acredite, não tem outro lugar nos meus planos - ele sorriu - para dormir. 
— Eu não disse nada. 
Ela colocou a menina para arrotar e a fez cochilar outra vez ao som de sua voz. Colocou-a de volta no berço e seguiu com o marido para o quarto. Após um banho rápido, ela se jogou na cama aconchegando-se nos braços dele. Dormiu quase que imediatamente. Até o novo choro de Katherine às duas da manhã. Stana levantou-se e alimentou a filha. Ainda estava exausta. O ritual se repetiu às seis da manhã. Dessa vez com a troca de fralda inclusa. Tudo parecia ter voltado ao normal. Nathan preparou café para eles e afirmou que precisava sair, mas ia remarcar seu compromisso porque não queria deixa-la sozinha com Katherine. Ele sabia que a esposa ainda estava muito cansada, não apenas pelo semblante ou pelas olheiras. Via isso no conjunto todo. O corpo falava. 
Mesmo com a insistência dela de que estava bem, ele não saiu. 
— Amor, foi a nossa primeira experiência difícil com nossa filha. Não vou deixa-la sozinha. Que tal voltarmos para o script? Podemos ensaiar diálogos. 
— Tudo bem - de repente, ela o fitou, a apreensão nos olhos - e-eu tive tanto medo… eu não sabia como agir e…Deus! Sou mãe de primeira viagem e… ela estava sofrendo, Nate… 
— Shhh - ele a abraçou - já passou. Está tudo bem. Somos pais de primeira viagem, mas amamos nossa menina. Nada de mal acontecerá a ela. Eu prometo - beijou-lhe os lábios - agora, vem. Sente-se aqui e vamos repassar esse roteiro.  
Por volta das três da tarde, Stana estava debruçada nos papeis quase dormindo. Nathan estava na cozinha terminando um lanche para os dois. O celular dela tocou. Gigi. A voz da irmã e o sorriso era pura alegria. 
— Hey, sis! Tudo bem? Nossa… você está com uma cara péssima. O que aconteceu? 
— Não dormi direito. Kate estava com cólica, não queria comer. Ainda não me recuperei. E você me parece muito animada para uma segunda-feira. O que aconteceu com o seu jeito irritado e estressado? Você estava bem grossa na quinta quando me ligou desmarcando o lance do vestido. 
— Meu Jeff aconteceu. Sim, eu estava terrivelmente insuportável. Liste todos os adjetivos ruins que eles podiam me descrever. Na sexta cheguei em casa só o trapo humano então meu fiancé maravilhoso me surpreendeu. Ah, sis! Que fim de semana! 
— Já vi que as coisas foram animadas…
— E como! Quando nos virmos pessoalmente conto os detalhes… - ao ver a cara da irmã, completou - não esse tipo de detalhe, sis. Aliás, esse é precisamente o motivo da minha ligação. Acha que podemos sair amanhã para ver o vestido? Eu já adiantei o modelo com a moça da loja. Você só precisa ir lá, rever as medidas e experimentar. Não vamos demorar mais de duas horas. Nathan pode ficar com Katherine. 
— Eu não sei, Gigi. Eu quero ter certeza que está tudo bem. Ainda não sei se Katherine melhorou por completo. 
— O tempo está passando,sis. Semana que vem já é metade de maio… 
— Eu sei. Não podemos marcar para sexta? 
— Tudo bem, vou ver o que posso fazer. E vê se dorme, está com uma cara péssima! 
— Vou tentar - Stana riu. 
— Ou você pode abusar do seu marido. Faz bem para a pele. 
— Gigi! - rindo ela desligou. Nathan chamava por ela aparecendo na sala. 
— Não me ouviu chamando, amor? 
— Estava falando com Gigi. 
— Ainda estressada? 
— Pelo contrario. Seu irmão operou um milagre. Não me pergunte o que ele fez, funcionou. 
— Jeff está ficando cheio de truques… - a esposa sorria de forma estranha - espera, vocês duas não andam comparando, você sabe… eu e meu irmão…isso é… - Stana gargalhou. 
— Não! Você acha que eu quero saber o que meu cunhado faz na cama? Deus! - ela fez uma careta fechando os olhos e tremendo o corpo - mas talvez você pudesse aprender uns truques com ele… parece estar fazendo maravilhas à pele de Gigi. 
— Stana, por favor! - ela gargalhou outra vez. 
— Estou te provocando, babe. Vem cá - ela envolveu os braços na cintura dele e beijou-o com vontade - viu, não preciso comparar notas… eu sei do que você é capaz… - disposto a provar seu ponto, ele puxou-a pela nuca agarrando parte dos cabelos dela e tomou-lhe a boca em um beijo avassalador. Ao se afastarem, Stana suspirou - viu? Exatamente meu ponto. 
Naquela semana, Stana recebeu a visita de Dara e Chad. Ambos ficaram encantados com Katherine. Conversaram sobre a vida, o trabalho e o casamento de Gigi. Estavam empolgados com a festa. Dara também se ofereceu para vir visita-la mais vezes se Stana quisesse trabalhar os roteiros da sua série. Disse que não ia deixar a amiga desistir. Era uma ideia muito boa. Ela concordou. 

XXXXXX

Gigi passou a quarta e a quinta enjoada, com muita ânsia de vomito. Ela sabia que não deveria ter comido tanta comida chinesa. Fazia dois dias que se entupira de caixinhas de delivery porque Jeff estava enrolado no trabalho. Foi somente após provocar pela terceira vez e a ultima quando sentiu o cheiro de um perfume adocicado de uma das moças no escritório que ela decidiu ir para casa. Uma outra possibilidade começava a se desenhar em sua mente. Algo que ela certamente não gostaria de cogitar. 
Quando Jeff chegou em casa naquela noite, encontrou a noiva deitada na cama. 
— Não é muito cedo para você estar ai? São nove da noite. Quer comer? 
— Não, eu não estou me sentindo bem - ele sentou-se ao lado dela na cama. 
— O que foi, Gi? 
— E-eu estou enjoada… coloquei tudo o que comi para fora. Muita comida chinesa. 
— Você exagerou de novo? 
— Acho que sim… - ele a fitou por longos minutos. 
— Gi? 
— Hum? 
— Vo-você não está gravida, está? Quer dizer, sei que nos protegemos então a possibilidade é remota, mas eu tenho que perguntar. 
— Não, amor. A gente se protege… a-acho que é da comida mesmo. Você ficou preocupado… com a possibilidade? 
— Sim, um pouco. Quer dizer, nós ainda não casamos e sei que você acha que não está pronta. Não quero que nada aconteça contra a sua vontade, amor - ele beijou a testa dela - uma criança agora… assim… você não gostaria. Eu sei - ele beijou a mão dela bem sobre o anel - Tudo bem, vou fazer um chá para você e torradas. Tem que comer alguma coisa, Gi. 

— Está bem - ela passou a mão no peito dele. Ao ficar sozinha novamente, Gigi suspirou. A verdade era que ela não tinha certeza de que um acidente de percurso tivesse acontecido. Não falaria nada ainda para o noivo. Precisava conversar com a irmã. 


Continua....

7 comentários:

Camila Lorrane disse...

OMG OMG que cap mais Hot foi esse meu pai tive que beber agua gelada pq o negocio pegou fogo ein kkkkkkk. Enquanto Gigi se dovertia com seu Fiance. Stana e Nathan nao estavam tendo uma boa noite de sono tadinha da Kate tava com colica e nao conseguia fazer o numero dois Stana toda preocupada com a filhota Graças a deus Nate apareceu e acalmou sua esposa tadinha da Staninha nao queria liga pra D Rada com medo que ela falasse alguma coisa. Dona Cookie uma fofa ajudando nosso casal. Kate tabem so foi um susto Saudades da nossa Annie. Kah como sempre ficou perfeito. KADT meu xodozinho
Katherine Katic Fillion 😍😍😍👣👣💖💙👶🏼

Priscila Barros disse...

TEM COMO NÃO SURTAR COM UM CAPÍTULO CHEIO DE AMOR ASSIM??!! ❤️❤️❤️❤️❤️❤️❤️❤️ AIII KAAAAH ❤️❤️❤️❤️❤️❤️❤️❤️
Tem Giff pra todo lado com esse amor todo, meus amorzinhos lindos!❤️❤️❤️ Isso sim que é um noivo maravilhoso, organizando um fim de semana todo especial pra fazer a noivinha mais linda relaxar ❤️❤️❤️❤️ eu amoo os cuidados da Gii com ele huahauhahaauahuahua, sem deixar a massagista mulher atender ele, tá mais que certa!!! kkkkkkkkkkkkkk
Eu ri horrores com a parte dela querendo a cama de presente também huahuahauhauahuahaua, fã#2 nunca ia negar huahauhauahuahauhauahauhauhahuahua ❤️❤️❤️
Fiquei bem preocupada com a fofurinha da Kate, poxa. Tadinha cheia de cólica, com a Staninha toda preocupada. Ainda bem que a dona Cookie socorreu com o santo chá e tudo ficou tranquilo.
Morri de rir também com a Staninha falando do Jeff e dos truques huahauhauahuahuahauhau, só aquele beijo Stanathan me deixa toda boba, to bem repetitiva, mas é que eu sou trouxa assumida desses dois, não tem jeito ❤️❤️❤️❤️❤️❤️❤️❤️❤️❤️❤️
Agora Gigi enjoada e esse final ai me deixou muito mais ansiosa do que antes, hauhauahuahauhauahauhauhua!!!!
Obrigada por esse capítulo lindo, Kaaaah ❤️❤️❤️

Madalena Cavalcante. disse...

SOCORRO KAH, QUE CAPÍTULO FOI ESSE???????????!!!!!!!!!!!
1. MEU DEUS GIFF, abhaianskaoajansoamsnsksosoajhagsgsvsbsjajajshssbs melhor casal que vc respeita! O Jeff é tão incrível que não sei nem o que dizer dele, sério! Essa ideia genial dele, meu deus! (Espero que a Gi peça msm esse presente maravilhoso ao sogrinho, 😈) 😍😍😍
2. fiquei morrendo de pena da minha neném Stana 😞 essas coisas deixam as mães tão pra baixo, mas ainda bem que o Nathan é tão incrível, e ajuda tanto, de uma forma tão linda, com tanto amor!!!! Fico verdadeiramente tocada com cada uma das cenas deles 3 ❤❤❤❤❤ Aaaaaaaah e como não falar da MELHOR SOGRA DO MUNDO INTEIRO???! Gente, essa mulher não existe, é incrível demais ❤❤❤❤❤❤
E MEU DEUS, O QUE FOI ESSE FINAL???????!!!!!!!!! QUER ME MATAR DO CORAÇÃO, KAH?????!!!!

P.S. pode deixar, vou continuar anotando todas as dicas ;) ❤

Madalena Cavalcante. disse...

SOCORRO KAH, QUE CAPÍTULO FOI ESSE???????????!!!!!!!!!!!
1. MEU DEUS GIFF, abhaianskaoajansoamsnsksosoajhagsgsvsbsjajajshssbs melhor casal que vc respeita! O Jeff é tão incrível que não sei nem o que dizer dele, sério! Essa ideia genial dele, meu deus! (Espero que a Gi peça msm esse presente maravilhoso ao sogrinho, 😈) 😍😍😍
2. fiquei morrendo de pena da minha neném Stana 😞 essas coisas deixam as mães tão pra baixo, mas ainda bem que o Nathan é tão incrível, e ajuda tanto, de uma forma tão linda, com tanto amor!!!! Fico verdadeiramente tocada com cada uma das cenas deles 3 ❤❤❤❤❤ Aaaaaaaah e como não falar da MELHOR SOGRA DO MUNDO INTEIRO???! Gente, essa mulher não existe, é incrível demais ❤❤❤❤❤❤
E MEU DEUS, O QUE FOI ESSE FINAL???????!!!!!!!!! QUER ME MATAR DO CORAÇÃO, KAH?????!!!!

P.S. pode deixar, vou continuar anotando todas as dicas ;) ❤

cleotavares disse...

Que noivo nota 10 é esse, gente? A Gigi é ótima, e sei bem que ela terá coragem para pedir o presente o sogrinho e sem cerimônia nenhuma de dizer o motivo.
Ohh! Coitadinha da Kate, sofrendo com cólicas e a mamãe também.
Ha! A Gigi encucada com a possibilidade de está grávida e a gente surtando com esse final, não é d. Kah?

Vanessa Belarmino disse...

Sim, eu anotei as dicas, mas nunca tenho dimensão do que vou encontrar... Meu Deus, esses treinos estão me deixando zonza, nem sei o que vai ser de mim quando for "para valer" mesmo...
Um capitulo para me fazer mais apaixonada por Jeff e desejando um em minha vida.. (suspiros...)
Minha bichinha teve uma semana difícil e estava tão cansada e esgotada que nem percebeu que Jeff disse que a mala era dos dois... hahaha
"Só preciso de um banho e ficar abraçada a você, amor". Coisas simples ♥
Por um Jeff que me mime,me faça relaxar. E se quiser me preparar para o banho e fazer uma massagem, não iria reclamar hahaha! ♥
Ah, esses "treinos Giff"! Fico tentando formar palavras que expressem o que eu sinto, mas não consigo... É tão especial que nem sei dizer... O cuidado que você tem, o carinho, e a perfeição que você busca a cada treino, é simplesmente tocante... Eu amo suas NCs, porque sempre há uma história e não é apenas sexo, há sentimento... É literalmente a arte de fazer amor com palavras... A gente sente isso, e é tão mágico... Eu tô amando e não seria diferente, porque jamais imaginei que Giff iria tão longe... Fico ate emocionada!
Fui trollada pela cama King Size, achei que Jeff tinha levantado para providenciar o café... Que bom que estava enganada haha
Gigi mostrando quem manda... Um massagista de cada sexo e não tem brigas... Com um patrimônio Fillion daquela abundância, tem que cuidar mesmo hahaha
Gigi brincando com a cama foi ótimo de ler e todo o resto tb... FDS maravilhoso!
E nosso SN, não estavam tendo a mesma sorte...
Mas amei ver eles passando por essas dificuldades... Eles são pais de primeira viagem e estão se saindo super bem... Agora vão aprender na prática mesmo. E é ótimo contar com pessoas experientes... Amei a participação de dona Cookie!! ♥♥ Ela foi um anjo, acalmou os dois. É tão lindo ver SN nesse novo papel de pais. Adoro o apoio que Nate dá para Staninha, além de acalmá-la, ainda ajuda com Kate. Super parceiro e paizão.

Depois de um final de semana maravilhoso, Gigi está ótima e dando dicas de cuidados com a pele para a sis... haha
Adoro esse jeito que Staninha provoca Nate haha
Minha bichinha está enjoando e vomitando e com pulguinhas atrás da orelha...
Jeff é um lindo mesmo hein! Que homem mais maravilhoso!
Pura maldade terminar assim... Louca para ver essa conversa com a sis ♥♥♥

Gabriela Mendonça disse...

Jeff é tão cuidadoso... viu que a noiva estava surtando com casamento e trabalho e tratou de levar ela para relaxar... noivo top.
Giff aproveitando e muito a cama gigante kkkkk melhor fim de semana da vida... esse fiancé só tem ideia boa
Meu Deus, nem na hora da massagem a Gigi n sossega kkkkk exigiu e conseguiu um massagista para Jeff kkkkkkkk
ai Deus...a primeira crise de cólica... tadinha... e Stana desesperada mas sem querer prejudicar Nate... Dona Cookie como sempre uma fofa...
ah meu DEus... Gigi ta grávida? kkk prevejo vários surtos kkkk