segunda-feira, 20 de setembro de 2010

[Bones Fic] Six months or a Lifetime? - Cap.3

Cap.3


No final da tarde, Brennan enviou o relatório para Booth com todo o detalhe forense e as evidências necessárias da arma do crime. Estava satisfeita com o trabalho que fizera com Angela, dessa forma Booth poderia interrogar o suspeito que achasse melhor porque depois da briga deles ela achava difícil ele a chamar para os interrogatórios.

Ela esperou por uns instantes com o computador ligado checando o resto dos emails e como não obteve resposta dele, desligou.

- Angie, você tá pronta? Ah, oi Hodgins! Você não se importa de eu roubar sua esposa um pouquinho essa noite não? Estou realmente precisando da minha amiga.

- Claro que não! Sempre que precisar.

- Tks, Hodgins.

- Tchau, amor.

Angela beijou Jack e saiu com Brennan.


XXXXX


Booth estava arrumando suas coisas para ir embora quando viu o email de Brennan na sua tela. Abriu. Após ler todo o conteúdo, sorriu. Ela conseguira mais uma vez. Agora era com ele. booth pegou o telefone e já ia discar o número quando o seu celular tocou.

- Booth.

- Oi, amor! Ainda vai demorar muito no FBI? Já estou a caminho do apartamento.

- Não, Hannah. Vou apenas imprimir o relatório que terminei e já saio daqui. Te vejo em 20 minutos.

- Ok, beijo.

- Outro.

Booth esperou a impressão e segurou o report em suas mãos. Desistiu de ligar pra ela. Ainda estava um pouco chateado com a última briga e com o modo como ele agira com ela. Talvez Angela tivesse um pouco de razão, eu prometera que essa mudança não iria afetar a nossa parceria e parece que até agora só tem feito isso. Sentia-se culpado mas ainda não queria procurá-la, não queria dar o braço a torcer pelo menos dessa vez ela podia tomar a iniciativa. É, amanhã. Na consulta com Sweets podia ser uma boa hora pra se desculpar.

Ele pegou suas chaves e saiu.


Apartamento de Booth


Booth sentiu o cheiro bom ao abrir a porta. Comida tailandesa, a preferida de Bones. Sentiu uma pontada no estômago e não era por causa da comida.

- Oi, amor. Que bom que chegou. Estou esquentando a comida que trouxe. Fiquei com medo que você tivesse que demorar mais e nào queria que comesse frio. Você me disse que tailandesa é uma das suas preferidas.

Na verdade a preferida dela e por isso ele acabou gostando também.

- Ótimo.

Ele deu um beijo nela e reparou nos pratos e nos copos postos à mesa.

- Vou tomar um banho, ok?

- Tá, é o tempo que preciso pra terminar tudo isso.

Ele se dirigiu para seu quarto e foi se livrando da roupa. Sua cabeça latejava. Tudo lembrava ela. Comida, o trabalho até ao tirar suas roupas as memórias dele como uma evidência lhe vieram a mente. Ele não conseguia evitar, as imagens dela rindo, chorando, com raiva todas povoavam a mente dele enquanto a ducha quente atingia seus ombros e costas. Demorou mais do que gostaria no banho apenas porque foi difícil tirá-la da sua mente.

Quando apareceu na sala de calça de moleton e camiseta, viu Hannah já com a mesa posta.

- Vem comer, Seeley.

Ele sentou-se à mesa e jantaram quietos conversando pouco. Mais tarde, ao deitarem Hannah se insinuou toda para ele e começaram uma chuva de beijos e toques e carícias. O clima realmente esquentou e quando Booth estava provando a pele dela com olhos fechados, imagens de Brennan apareceram novamente em sua mente. Quando ele abriu os olhos e fitou o rosto de Hannah parecia que o momento se fora.

- Droga!

- O que foi,Seeley?

- Desculpe, mas eu estou...eu...

Hannah percebeu o que acontecera. Sorriu.

- Tudo bem, amor. Tudo bem. Você está sob muito stress ultimamente. Vem, vamos deite aqui do meu lado.

Ela se aninhou ao corpo dele e fechou os olhos. Booth ficou horas ainda pensando no que estava acontecendo com ele. Na verdade, isso nunca acontecera com ele antes.


FBI


Brennan caminhava calmamente até o escritório de Sweets. Ao abrir a porta, viu que os dois já a esperavam.

- Ah, Dr. Brennan! O agente Booth estava dizendo que você não viria.

Quando Sweets virou-se para olhá-la, ele não pode deixar de ficar boquiaberto. Ela tirara o casaco e bem estava linda.

- Wow! Se eu puder dizer, adorei o novo visual. Você ficou muito bem com esse cabelo e bem todo o conjunto. Está muito bonita.

- Obrigada,Sweets. Oi,Booth!

- Oi,Bones.

Ele mexeu-se desconfortável na cadeira. Brennan estava vestindo um calça jeans bem apertada que realçava as suas curvas e uma blusa em tons de vermelho com um decote na região dos seios. As botas de cano longo complementavam o visual. Ela sentou-se ao lado dele.

- É bom ver vocês de novo. Tenho que confessar que foi um ano muito chato sem vocês por perto. Eu até senti falta das afirmações diretas da Dr. Brennan contra a psicologia.

- Que bom que você presta atenção no que falo pra você, Sweets. Meus comentários são todos verdadeiros.

- Tào verdadeiros que chegam a irritar algumas vezes.

Sweets não ligou muito para o comentário de Booth e continuou.

- Eu imagino que você já devem ter conversado sobre esse ano que ficaram separados, sobre os projetos mas eu gostaria de saber o que vocês realmente sentiram estando um ano separados e como foram suas experiências.

- Na verdade, Sweets não conversamos muito. Desde que voltamos o Booth anda muito ocupado se dividindo entre os casos e a nova namorada. Você já a conheceu ?

- Não.

- Eu já. Ela é loira.

- Hum, interessante.

- Ótimo! Dê munição a ele! Estou trabalhando muito ultimamente e não tivemos tempo de conversar.

- Sabe, Sweets com a minha lógica não consigo entender porque o Booth anda tão ranzinza, tão irritado afinal ele está namorando, devia estar mais alegre, tem sexo todo dia, você consegue entender?

- Ok, vocês me escolheram pra berlinda hoje mesmo. Não estou irritado é só que eu não consegui dormir direito e fico ranzinza quando isso acontece.

- Então seu sono vem sendo pertubado a um bom tempo Booth. Você já procurou um médico?

- Acho que não é o caso Dr. Brennan. Isso é mais psicológico. Acho que o Agente Booth está com problemas no seu novo relacionamento ou no trabalho.

- Eu não estou com problemas, Sweets.

- Como está seu desempenho sexual?

- Bones!

- O que foi? Não posso perguntar? Ah, lembrei! Você não gosta de falar sobre sexo.

- Talvez a Dr. Brennan tenha tocado no ponto chave. Está tudo bem com Hannah?

Booth se remexeu no sofá. Brennan olhou pra ele intrigada.

- Eu...eu realmente não quero falar sobre isso.

- Oh, entendi.

- O que você entendeu Bones?

- Eu acho que você falhou sexualmente com Hannah. Como se diz mesmo? Ah, brochou.

Sweets arregalou os olhos. A coisa estava ficando quente. Sem cerimônias, Brennan continuou.

- Se esse é o motivo da sua raiva, é melhor tentar se acalmar. Quando o macho alfa falha na performance do ato sexual, isso está ligado a duas respostas claras. Uma é física, quando há algo de errado com o seu pênis.

Ela olhou séria para ele deixando o olhar vagar até as calças dele.

- O que definitivamente não é seu caso. Então, temos a opção número dois que está ligada diretamente ao stress ou mesmo problemas que estejam povoando seu cérebro. Como você deve saber, a atividade sexual acontece primeiramente no cérebro e a sua mente tem que estar num estado bom, relaxado para que o cérebro interprete o desejo, a libido porque o macho precisa ser atiçado por algo considerado erótico aos seus olhos assim a divisão parassimpática do sistema nervoso autônomo começam a liberar ácido nitrico e consequentemente há um aumento de sangue na região dos corpos cavernosos fazendo o membro ficar ereto. O córtex cerebral também pode influenciar na ereção e pode cessá-la também especialmente se algo o aflinge.

Quando parou de falar, Sweets estava olhando fixo pra Booth. Não sabia o que dizer.

- É claro que um macho alfa como o Booth se sente ofendido e diminuto quando isso acontece mas nós mulheres somos capazes de entender quando isso acontece desde que tenha uma explicação racional para isso, o que acredito ser o seu caso.

- Nossa! Eu não sei o que dizer.

- Apenas agradeça por eu compreender o que está acontecendo com você.

- É, devo dizer que a Dr. Brennan tem uma certa razão.

- Eu sei que tenho Sweets, só espero que a namorada dele tenha também.

- Chega! Não fico aqui nem mais um minuto se vocês não mudarem de assunto. Minha vida sexual não interessa pra vocês.

- Tá, tudo bem. E como vai o trabalho?

- Normal.

- É normal.

- Vocês não me convenceram. Tem certeza que está tudo bem?

- Está.

Brennan olha pra Booth e não acredita que ele possa dizer isso. Mesmo na frente do Sweets.

- Não, o Booth está chateado comigo porque eu acidentalmente sujei a namorada dele com ketchup. Foi sem querer... eu sinto muito.

Sweets pode perceber que Brennan estava magoada. Algo entre os dois não estava certo. Ela parecia estar incomodada com ele estar namorando. Ela estava com ciúmes. Não pode deixar de sorrir, sua teoria parecia correta afinal. Ela gostava dele. Porém, ele se preocupou com o que estava acontecendo.

- Tá Bones, já passou.

Ela sorriu pra ele.

- Acabamos por hoje?

- É uma hora. Esse é o nosso trato Sweets.

- Ah, tudo bem. Não vou insistir porque vocês não me ouvem mesmo.

- Ótimo! Vou ver o Andrew.

- Como assim ver o Diretor?

- Ele me convidou lembra? Tchau Sweets.

E saiu pela porta.

- Hey, Bones espera! Você não pode....

- Agente Booth, deixe ela ir.

- Mas Sweets...

- Booth, a Dr. Brennan sabe se cuidar, ela já saiu com o diretor antes e aposto que ele vai ficar feliz de vê-la novamente. Você tem que entender que a Dr. Brennan é livre pra fazer o que quiser. Você está comprometido e devia ficar feliz que ela esteja tentando arrumar a vida dela. Você mais do que ninguém sabe que ela merece ser feliz.

- É claro que a Bones merece ser feliz!

- A menos é claro que você esteja com ciúmes dela. O que é completamente aceitável, ela é uma mulher muito charmosa, bonita, rica. Pode ter quem ela quiser. E talvez você não esteja acostumado a isso, afinal ela sempre esteve ao seu lado, a qualquer hora do dia ou da noite por todos esses anos.

- O que você está querendo dizer com essa sua psicologia barata?

- Vou fingir que não ouvi a última parte. Na verdade, estou me sentindo um pouco culpado por tudo isso que está acontecendo com vocês. Sinto que fui eu quem empurrou você para a sua nova namorada quando o forcei a ser um jogador. Espero que isso não estrague sua amizade com a Dr. Brennan. Amizades assim são difíceis de achar.

- Ah, chega! Estou cansado de todo mundo ficar falando e se metendo na minha vida. Eu sei me cuidar. Sou eu quem determino o que faço ou não dela. Não quero ouvir de você, ou Cam, ou Angela que não deveria fazer isso ou aquilo. Chega!

E saiu do consultório batendo a porta. Sweets sentou-se e suspirou. Ele não podia evitar o sorriso. Estivera certo o tempo todo. Eles se amam mas são cabeças duras demais para tentarem se acertar.


Jeffersonian


- E aí? Como foi com o Sweets?

- Pra mim tudo bem mas o Booth não gostou nada. Sabe Angie, acho que essa namorada do Booth está fazendo muito mal a ele. Vive irritado! Sweets também concordou comigo. Acho que as coisas não estão muito bem entre eles, sexualmente.

- Mesmo? Porque?

Brennan não queria contar sobre o que acontecera a amiga ainda.

- Só tive essa impressão, sei lá.

- OK.

- Falei com Andrew, vamos sair para jantar amanhã. Gosto da companhia dele.

- Só precisamos dar um jeito de Booth saber disso.

- Provavelmente Andrew comentará.

Uma hora depois, o celular de Brennan toca. Booth identificara 3 suspeitos no caso e queria que ela estivesse presente quando ele os interrogassem. Ela foi com ele até o FBI.


Royal Diner
6 pm

Angela estava sentada no balcão tomando um milkshake quando viu uma loira entrar no local e sentar-se ao lado dela.

- Com licença, você poderia me servir um gin tônica?

Angela observava a mulher com o rabo de olho. Quando ela tomou o primeiro gole da bebida, o celular tocou.

- Oi!

- Sei... mas você ainda vai demorar muito no FBI? Ah vai deixar a doutora no Jeffersonian...ok.

- Tá te espero.

Angela sorriu. Hora de brincar um pouquinho pensou.

- Oi, eu não pude deixar de escutar você falando. Por acaso você é a Hannah?

- Sim, sou e você?

- Angela Montenegro. Trabalho no Jeffersonian. Finalmente conheço a namorada de Booth.

- Sei, você é mais uma cientista.

- Ah, não. Sou uma artista. Trabalho com eles ajudando na reconstrução facial das vítimas e de cenas de crime.

- Certo.

A mulher não estava a fim de muita conversa. Angela insistiu.

- Eu gosto muito do meu trabalho. É bom ajudar a descobrir assassinos e fazer justiça. Quer dizer é o que Booth faz também. Aposto que vocês conversam sobre o trabalho dele.

- Não, realmente. Não gosto desses detalhes nojentos de mortes.

- Sei, acho estranho. Normalmente os casais conversam sobre seu dia, pelo menos eu converso.

- Você tem namorado?

Hannah soou meio debochada.

- Ah, não. Sou casada. Com um cientista.

- Ah, tá.

- Você já leu os livros da Brennan? São ótimos! Especialmente as partes com a relação da Kathy e de Ryan. Quente! Sabe, as pessoas pensam que porque eles são cientistas ou nerds, eles não entendem do babado. Ha, elas estão tão enganadas... acredito que eles sabem bem mais como agradar e satisfazer aos parceiros. Sabem que botãozinho apertar pra levar a gente a loucura.
Hannah estava com cara de poucos amigos mas de certa forma interessada.

- Eu sugiro que você leia o último livro da Brennan, você vai entender o que eu quero dizer. Especialmente a página 187. Olha me arrepio só de pensar! É verídica! Aquela mulher arrasa! Sabe que estou falando da antropóloga certo? Temperance Brennan?

- Ah, aí está você. Vejo que já conheceu a Angela.

- Oi, Booth! Muito simpática a sua namorada. Cadê a Brennan?

- Estava pegando as coisas dela. Acho que vem pra cá.

- Vamos, amor?

- Claro! Tchau Angie.

- Tchau, divirtam-se!

Ao saírem do diner, Booth perguntou.

- A Angela é ótima não?

- Se você gosta de gente maluca e nerd...

- A Angela não é nerd nem cientista, ela é artista.

- É casada com um e pelo que pude perceber também pensa como eles. Sério, não sei como você aguenta passar o dia perto dessa gente.

- Hannah, eles podem ser um pouco diferentes mas eles são leais, inteligentes e divertidos. E são ótimos amigos sempre estiveram comigo nos momentos difíceis. Portanto, eu gosto dele e sinceramente não gostaria de ouvir você chamá-los de malucos novamente.

Entraram no carro.

No dia seguinte quando Booth foi ao laboratório pegar Brennan para visitarem outra cena de crime, ele escutou parte da conversa de Cam e Angela.

- Sério, Cam. Eu não sou de implicar com as pessoas mas não gostei da namorada do Booth. Ela parece muito metida, melhor que os outros sabe? Eu estava puxando conversa, tentando ser gentil mas nada parecia estar bom pra ela.

- Eu não conversei muito com ela mas como é você que está dizendo acredito ser verdade.

- Booth merece alguém legal, que goste de tudo sobre ele. Acredita que ela me disse que não se interessa pelo trabalho dele?

- Mesmo? Nossa.

- Hey, Angie. Booth já chegou?

- Presente!

- Oi, Seeley! Você está aí a muito tempo?

- Não, acabei de chegar.

Ela e Angela trocaram olhares.

- Hey, Bren como foi seu encontro ontem com Andrew?

- Ótimo! Fomos aquele novo restaurante que inaugurou a duas semanas.

- Aquele que todo mundo está comentando? Treasure, acho que esse é o nome.

- Isso!

- Muito bom o lugar, chique e charmoso e o Andrew é ótima companhia.

- Vamos trabalhar, Bones?

- Ok, vejo vocês depois.

No caminho do carro...

- Você está namorando o meu chefe?

- Não, pelo menos não ainda. Porque? Você não aprova?

- Não, quer dizer, a vida é sua. Só acho estranho, ele é meu chefe, você é minha parceira.

- E o que isso tem a ver?

- Tá, Bones. Faz o que você quiser.

E calou-se. Brennan observava a rua. Um pequeno sorriso se formou nos lábios dela.



Continua...

2 comentários:

Rubine disse...

Parece que o casal BB abrange bem mais pessoas que eles 2... Quanta gente pra esse relacionamento dar certo! Adorei!

Gabriella Figueiredo disse...

Concordo Rubine!!...E BREN vc está fazendo o certo de jogar seu charme..E Booth se toca a mulher certa pra vc é a Bren!!《♡》