quinta-feira, 15 de dezembro de 2016

[Castle Fic] Secrets & Tequila



Secrets & Tequila

Autora: Karen Jobim
Classificação: NC17 – Romance 
Histórias: Parte do projeto - Guilty Pleasures   
Quando: Em algum lugar da S7 – após o lançamento da campanha publicitaria de Raging Heat. 
Disclaimer: Castle e Beckett não me pertencem...são da ABC yada yada yada... conteúdo criado para diversão, todos os direitos da autora reservados! 
Castle acabou de mostrar a família sua campanha da web para seu novo livro da serie Heat. O resultado não saiu como esperado, porém o acontecimento serviu para abrir um tópico muito interessante de conversa e revelar alguns segredos que certamente transformariam a decepção do escritor em algo bem mais interessante. 
  
Nota da Autora: Décima segunda história do projeto - Guilty Pleasures. Essa sugestão é minha mesma. Apesar da ideia já tao explorada, o acontecimento é uma espécie de marca registrada de nosso casal. Um pouco de flashback, momentos cutes e ação. Pode-se dizer que é uma fantasia. Talvez o conteúdo da conversa de Raging Heat não fique claro para algumas leitoras, mas não compromete a historia. 
Não sei quando será o próximo desafio talvez só no outro ano. GP é diferente, a inspiração deve fluir… a NC fazer sentindo, trazer uma parte da historia.     

Lembrem-se é TOP15 a situação tem que ser boa! Deixem as ideias no post oficial do projeto.



Secrets & Tequila

Um desastre. Completo e ridículo desastre. Castle acabara de fazer papel de bobo em frente de sua família, da mulher que ama. Por que fizeram isso com ele? Gravaram todos os seus movimentos errados, suas gafes e mandaram no CD como se fosse o momento real? Isso só podia ser coisa da Gina. 
Ele sentou-se no sofá, passou a mão na cabeça. Beckett sentou-se ao lado dele. Acariciava-lhe as costas. Ainda podia ouvir as risadas de Alexis e de sua mãe ao subirem as escadas. 
— Não é tão ruim, babe. 
— Como não? É humilhante! - ele disse com a voz quase chorosa. 
— É engraçado, divertido. Aposto que foi apenas uma brincadeira que fizeram com você. Isso são os chamados bloopers. Vamos, Castle. Você não devia estar chateado. O livro é muito bom. Eu estou gostando muito, mal posso esperar para jantar, tomar um banho e me deitar embaixo das cobertas para continuar a lė-lo - beijou-lhe o rosto - vou preparar algo para comermos e você, desfaça esse bico. 
Castle viu a noiva se levantar. Sorriu. Ela sempre sabia o que dizer e fazer para anima-lo. 
— Você está mesmo gostando do livro? Raging Heat? Não está dizendo isso apenas para me animar? 
— Castle, por favor… - ela remexia nas panelas - quando eu já falei algo sobre o que escreve apenas para agrada-lo? Eu falo sempre a verdade, conheço bem o super ego do meu escritor - ele sorriu. 
— Favorito. 
— O que? 
— Você esqueceu de acrescentar a palavra favorito quando falou do seu escritor - ele sorria, Beckett revirava os olhos. 
— Já vi que voltou ao normal. 
Era sempre assim. Quando ele terminava um de seus livros e os mesmos entravam em fase de pre-produção na editora, assim que os primeiros drafts saiam, ele trazia um para ela. Aprendera a lição direitinho após a gafe cometida com Heat Wave. Ainda se lembrava o quanto Beckett ficara chateada por não receber uma copia antes. Detestou saber que a repórter da Cosmo lera a historia inspirada nela primeiro. Depois desse deslize, ele certificara-se que ela receberia um exemplar antecipadamente. Fora assim com todos os outros, exceto Heat Rises. Esse ela veio buscar, afinal estavam separados, brigados, qualquer que seja o termo que se aplique. Um momento conturbado. Felizmente, já passara. 
— Vem, Castle. O jantar está pronto. 
Sentaram-se a mesa para comer. Uma refeição simples. Ao terminarem, Beckett arrumou a cozinha e seguiu para o quarto. Desapareceu no banheiro. Vinte minutos depois, ela surgiu já em seu pijama. Castle perambulava pelo quarto apenas de boxer. Ela beliscou o traseiro dele. 
— O que você está fazendo? 
— Nada. Estava esperando para usar o banheiro. Não queria atrapalha-la. 
— Desde quando você não quer dividir o banheiro comigo? Isso é tão não você! 
— Certo, e-eu liguei para a Gina. Falei sobre o video. Ela riu na minha cara! Confirmou que foi uma brincadeira dos rapazes da filmagem. 
— Está vendo? Nada demais - ela beijou-lhe os lábios. 
— Vou tomar banho. 
Na verdade, desde o fiasco do casamento e do desaparecimento de Castle, eles estavam fazendo tudo para vencer aquele obstáculo incomodo que ficou na relação deles. Não era falta de amor, não era um problema de confiança, tratava-se apenas de recuperar a alegria de estar juntos, celebrar juntos. Foram dois meses extremamente difíceis e desde sua volta eles estavam tentando encontrar o caminho de volta para casa. 
Quando voltou ao quarto vestindo uma camiseta e uma calça de moletom, encontrou Kate sentada na cama com as costas no encosto e o livro aberto nas mãos. 
Se tinha uma coisa que Rick Castle adorava era ver sua noiva lendo seus livros. Sempre concentrada, olhos fixos nas paginas, podia reparar em cada expressão que se descrevia em seu rosto. As reações à diferentes emoções. Sua preferida? A testa franzida criando a pequena ruga entre as sobrancelhas. Sentou-se ao seu lado na cama. 
— Está lendo alguma cena tensa, Beckett? Algo que não gostou? - ela ergueu a mão indicando que precisava de mais uns minutos. Ele esperou observando sua linguagem corporal. Beckett virou a pagina e continuou lendo. Mais dois parágrafos e o capitulo estava encerrado. Suspirou. Colocou o marcador no local e fechou o livro. Seus olhos se encontraram com o de Castle. 
— Você não gostou. 
— Não! Por que pensa isso? Eu estou gostando muito. 
— Tem algo te incomodando, está séria - Beckett mordeu os lábios. 
— É que, depois de ler esse capitulo eu fiquei pensado… sobre nós, especialmente sobre mim. Você me disse que eu inspiro Nikki e tem muito de mim nela. Então, acho que eu estou curiosa para saber algo sobre mim. 
— O que? 
— Promete me dizer a verdade? Mesmo que isso possa fazer eu ficar com raiva de você? 
— Amor, não temos segredos. E se o que você quiser saber é classificado como tal, então deixará de ser. Pergunte. 
— Apos eu ler esse capitulo onde claramente você descreve a agonia de Nikki por ter descoberto o anel, a ansiedade em saber se Rook vai fazer a proposta. Você deixa no ar o que ela realmente quer. Existe o lance da individualidade, do apartamento.Todo mundo sabe que ela o ama, porem dirá o tão esperado “sim” para Rook? Ainda não está claro se ela está pronta. Isso me fez pensar. Quanto dessa ambigüidade, dessa dúvida veio de mim? Quando você me pediu em casamento naquele parque, como você tinha certeza que eu diria “sim”? E se não tinha certeza, o que faria se ouvisse o “não”? Quer dizer, você já havia planejado bem antes, não? 
Castle pegou a mão dela na sua. Beijou-lhe os dedos, o anel de noivado. 
— Sao muitas perguntas. Esse seria o momento que eu diria “a curiosidade matou o gato”, mas eu prometi a verdade. Kate, eu te amo antes mesmo de estar juntos, em um relacionamento. Nossa historia não é um romance convencional, não seguimos regras. O que você leu sobre Nikki foi inspirado em você, embora não com relação ao casamento, e sim na sua eterna luta para aceitar seus sentimentos e sua felicidade. Nikki está passando por algo que você passou antes de ficarmos noivos. O que você leu não é algo inspirado na nossa própria experiência de noivado. E não posso comentar mais sem dar spoilers, terá que ler o resto.    
— Por favor, eu detesto spoilers - ela riu. 
— Quanto ao meu pedido de casamento, ele não foi planejado com tanta antecedência. Na verdade, eu apenas me dei conta de que precisávamos de mais quando tivemos aquela briga ao descobrir que você foi para DC fazer a entrevista sem me dizer. Eu fiquei com muita raiva. A primeira coisa que veio a minha cabeça foi ela agiu sozinha, não precisa de mim. Afinal o que “nós” significa nessa relação? Como poderemos dividir nossas vidas se não dividimos nossos problemas e nossas aspirações? Eu me acalmei e somente assim eu enxerguei porque ficara com tanta raiva, porque aquela briga mexera tanto comigo. Porque simplesmente a ideia de não te-la em minha vida era inaceitável. Eu a amava, amo. Eu já lhe disse uma vez, não consigo imaginar minha vida sem você. Aquela briga foi importante para que eu desse o próximo passo. 
— A briga… por que? 
— Foi a primeira briga feia que tivemos desde… desde quando a confrontei sobre me amar. Possibilitou a mim colocar as coisas na balança. E quanto ao sim? Eu nunca duvidei que me amava, não tive medo. É claro que conheço você, sempre racionalizando tudo. Só que uma proposta de casamento não é baseada em analise, são emoções. 
— E se eu dissesse “nao”? 
— Eu a faria dizer “sim”. eu provaria que não existia outra resposta, a convenceria do quanto nós somos perfeitos juntos. Eu posso ser muito persuasivo. Sempre consigo o que quero. 
— Por persuasivo você quer dizer incrivelmente irritante? 
— E você me ama por isso, não? - ela riu, acariciou o rosto dele beijando-o em seguida. 
— Agora um pouquinho mais - ela colocou o livro na cabeceira. aconchegou-se em seu peito. Por alguns instantes permaneceu calada. Os dedos iam e vinham na camisa. Beckett inclinou a cabeça para fita-lo - já que estamos falando de livros, inspirações e revelar segredos, eu tenho um. 
— Está começando a ficar interessante. Segredos por Katherine Beckett - ela beliscou o estômago dele de leve - uau, olha a violência… 
— Lembra quando você me flagrou no banheiro querendo ler a pagina 105? 
— Claro! Foi muito bom. Eu deveria ter tirado uma foto da sua cara, Beckett. Impagável. 
— É, bem claro que li a cena. E reli na sequencia do livro. Na noite do lançamento, eu estava nervosa. Não sabia o que esperar daquela festa, tantos flashes, repórteres, estava apreensiva. Ver o capitão me acalmou um pouco. Então, ele me comentou da dedicatória. Eu tinha acabado de ler o que escrevera sobre mim, sobre eu ser extraordinária quando você chegou para me cumprimentar. Castle, ali eu fui impressionada outra vez por você, borboletas no estômago. Era assim que me sentia quando você falou comigo. Eu já gostava de você, minha mente se voltou aquela pagina 105 e quando você falou “eu estava pensando…” por segundos eu prendi a respiração, eu achei que ia me propor algo, um encontro. E então veio a briga por causa do outro livro. Deus! Você me irritou naquela noite. Tudo o que eu queria era que você me procurasse, me pedisse desculpas e… 
— E? - ele estava muito curioso. 
— E se tivesse feito isso, e-eu acho… eu não teria resistido. 
— Wow! Essa é uma revelação e tanto. Paula me disse para dormir com você naquela noite, mas você me irritou, criticou meu trabalho. Você se arrepende? Quer dizer? Você queria que eu tivesse pedido desculpas? 
— Naquela noite sim, porém no dia seguinte, não. Fiquei aliviada. 
— Posso saber por que? 
— Porque eu teria ficado com você movida por desejo, por curiosidade, por causa de uma cena em um livro. Uma cena onde nos imaginei. E depois eu me sentiria culpada, errada. Não, eu estou satisfeita por ter esperado. Não me arrependo. Porque quando aconteceu, eu estava pronta. 
Foi a vez dele puxa-la para um beijo apaixonado. Ela voltou a se aconchegar no peito dele. 
— É engraçado. Estamos juntos há tanto tempo e nunca realizamos a cena clássica de Nikki e Rook. Por que? 
— Responda você. Eu sou o escritor, eu visualizei a cena com você, a vivi em minha mente. Eu a experimentei através do papel. 
— Hum… então você realmente pensou em mim? 
— Você ainda tem dúvidas? 
— Vamos dormir, Castle. Eu acordo cedo amanhã - Kate fechou os olhos. Apos aquela conversa, ela percebeu que suas declarações pularam mais um obstáculo, suas confissões demonstravam o quanto amavam um ao outro. Estavam voltando para casa.      

XXXXXX

O trabalho no distrito fora relativamente tranquilo. O caso que estavam investigando não era tão complicado apenas tedioso. Muitos detalhes para monta-lo, encontrar as evidencias corretas. Não conseguiram fecha-lo naquela noite. Castle foi na frente para encontrar Alexis. A filha tinha pedido uma ajuda para comprar algo, tinha uma festa de aniversario de uma amiga para ir, Beckett alegou que precisava passar na lavanderia e que o encontraria mais tarde. 
Beckett chegou no loft primeiro que ele. No fundo, o pedido de Alexis era apenas um pretexto. Ela havia perguntado da menina se poderia sair ou dormir na casa de uma amiga. Alegou que precisava ficar um tempo a sós com Castle. Eles não tiveram um momento realmente a sós depois que ele reaparecera. Com Martha foi mais fácil ainda. Sua futura sogra apoiava qualquer investida em prol do relacionamento do casal. 
Castle encontra o loft praticamente no escuro. Nota uma vela acesa na mesinha de centro da sala.
— Kate? Está em casa? Por que está tudo escuro? - ao avançar para o interruptor, ela falou. 
— Não, estamos sem energia. 
— Jesus! Você me assustou! Sem energia? Mas o relógio do microondas está funcionando e…- havia outras duas velas acesas no balcão da cozinha. Onde ela estava? 
— Use sua imaginação, escritor - ela surgiu caminhando, vindo do escritório, os saltos finos  fazendo o tradicional ‘toc,toc” no assoalho. Ainda usava o sobretudo. 
— Você chegou a pouco? Nem tirou o casaco… - finalmente mais próximo da área iluminada, ele reparou na garrafa de tequila sobre o balcão, havia também um prato com limões, sal e dois copos de shots. Ele entendeu o que acontecia.
— Fui transportado para a pagina 105, Kate? 
— Kate? - ela abriu o casaco jogando-o no chão revelando o belo Herve Leger que usara na premiere de Heat Wave - da ultima vez que chequei, meu nome era Nikki. E hoje eu não quero margaridas. Hoje quero tequila pura - Castle estava boquiaberto olhando para a mulher a sua frente. Fascinado. Notara também que ao contrario da premiere, ela não usava nenhum colar, o decote estava limpo e os cabelos presos em um coque. 
— Vai ficar ai parado, Castle? Não vai cumprimentar sua própria criação? - ele se aproximou dela. Sorriu. Envolvendo-a pela cintura, sorveu os seus lábios lentamente, provocando. Sim, ele entrara no jogo. Kate retirou o casaco e o paletó que ele usava. Deslizava suas mãos pela camisa dele, apertou um dos mamilos e mordiscou o lóbulo da orelha de Castle enquanto abria alguns botões da camisa. 
— O que você deseja, Nikki? - a voz saiu rouca. Ela respondeu sussurrando em seu ouvido .
— Beber shots de tequila com você… em você. 
— Hum.. isso será interessante…
Beckett pegou a garrafa de tequila, serviu duas doses. Colocou sal nas costas de sua mão. Ofereceu o shot para Castle. 
— Beba - ele obedeceu - agora, lamba o sal e chupe o limão - quando ele usou a língua para provar o sal, Castle se demorou vagarosamente usou a pontinha, então após trocar um olhar com ela, sorveu a mão com os lábios, chupou o limão. Ela pegou o outro shot. Virou de uma vez. Jogou o sal nas costas da mão dele e a exemplo do que Castle fizera, sugou o sal com os lábios, porém ao invés de chupar o limão, Kate espremeu-o no polegar dele, levando-o a boca . Ele gemeu. Sorrindo, Beckett serviu outra rodada. Antes de beber, porém ela colou o corpo no dele beijando-o com urgência. As mãos de Castle viajavam pelo corpo dela acariciando-lhe os seios, querendo livrar-se do vestido que os cobria, estava no meio do caminho. 
— Não tão rápido, Cas… me ponha no balcão - ele a ergueu. O movimento suspendeu a saia do vestido até a cintura mostrando a calcinha. Abrindo as pernas dela, infiltrou-se no meio. Um novo beijo aconteceu com igual intensidade de desejo. Propositalmente, Beckett abriu a camisa dele jogando-a no chão. Em seguida, ela desfez o botão da calça, observou-a caindo até o meio das pernas de Castle. Espremeu o limão no peito dele, pegou o sal derramou um pouco por cima. Virou o shot e lambeu a mistura de sal e limão no peito dele. Mordiscou seu ombro. 
— Kate… você está me testando? 
— Não, estou lhe mostrando um novo jeito de apreciar a tequila. A propósito, nem sei quem é Kate. 
— Nikki, então… posso tomar mais um shot? 
— Claro - ela colocou o dedo indicador dentro do outro copo, deixou as gotas de tequila respingarem no meio dos seus seios, bem no decote. Pegou o sal, jogou sobre o local. Ofereceu o copo a ele - beba, prove e chupe o limão - ele fez passo a passo o que ela mandara, contudo se demorou imensamente provando a pele. Kate jogou a cabeça para trás. Os olhos se encontraram novamente. Sedentos de desejo - mais uma rodada. 
Ela tornou a encher os copos. Agora, pegou o sal e distribuiu nos lábios de Castle. Bebeu a tequila e sorveu a boca a sua frente com sofreguidão. Repetiu o gesto colocando sal em seus lábios e fazendo-o beija-la. Ao se afastarem, ele avançou pelo pescoço dela, beijando, mordendo, sugando a pele. Sentiu as mãos dele deslizarem em seu corpo indo na direção da calcinha. Ela o impediu trazendo a mão de Castle até a altura de seu pescoço onde ficava o fecho do vestido. Castle sabia o que ela estava querendo. Ao desfazer, o vestido caiu até a cintura dela. Os seios empinados, os mamilos rijos. Castle seguiu beijando, lambendo e provando a sua pele até a altura dos seios. Um deles, apertava com a mão, o outro virara objeto de desejo, sugava-o, mordiscava-o, levando Kate a beira da loucura. Ouvia os gemidos, sentiu a mão dela sobre a sua no outro seio pedia por mais. Ele abandonou os seios seguindo em direção ao ventre, mas Kate o puxou de volta, devorou seus lábios, seu pescoço.  Ao perceber que a mão de Castle começava a puxar sua calcinha, ela sugava o lóbulo de sua orelha e sussurrou. 
— Castle… você pode me provar agora, mas use os dentes - dando uma mordidinha no pescoço dele completou - a calcinha é comestível. Sabor cereja. 
— Deus… - foi tudo o que ele disse antes de gemer e dirigir-se ao meio das pernas dela. Sim, ele provara da calcinha, a arrancara com os dentes a pedido de Kate e então ele a provou. Castle não tinha pressa. Usando os lábios, a língua e os dedos, ele se perdia explorando-a. Kate inclinou-se um pouco com o corpo contra o balcão, tinha uma das mãos no cabelo dele, acariciava, puxava e o empurrava contra si. 
— Não pare… - era tudo o que dizia entre gemidos. A cada minuto, ele se dedicava a dar mais e mais prazer para ela. Beckett começava a ceder ao desejo que a tomava, os poros arrepiando-se, o corpo tremendo a mercê de Castle. Então, a explosão aconteceu. Ela gritou. Ele não tinha nenhuma intenção de parar até que a visse saciada. Beckett estava vermelha, ofegava. Segurou-lhe os ombros e o puxou ao seu encontro. 
— Eu preciso de você dentro de mim… 
— Não aqui - ele a ergueu do balcão colocando-a de pé outra vez. O vestido que se transformara em um emaranhado na sua cintura finalmente viera abaixo. Estava completamente nua. Castle usou as próprias pernas para deixar a calça para trás. Beckett puxou a cueca que ele usava para expor o membro completamente excitado, pronto para recebe-la. Pegou a garrafa de tequila, serviu mais dois shots. Dessa vez, ela pegou o copo e virou-o. Nada de sal ou limão. Castle fez o mesmo. Segurando a garrafa numa mão, ele manteve a outra em sua cintura, guiando-a até o quarto. 
Outra vez, ele tomou sua boca com vontade. Queria beija-la, provoca-la, adorava despertar a tigresa dentro dela. Não deu outra. Kate o jogou na cama subindo nele. Viu o brilho nos olhos amendoados. Kate devorava seu pescoço, seu tórax, seu estômago. Com as duas mãos, segurou o membro dele, massageando, brincando, provocando. Ele soltou um gemido de prazer e rapidamente mudou de posição. Com o peso de seu corpo sobre ela, Castle roubou mais um beijo. Pegou a garrafa de tequila e virou respingando um pouco da bebida entre seus seios e o estômago. Castle a sorveu experimentando o contraste da pele perfumada de Beckett com a tequila. Abocanhava os seios um a um, sugando, se deliciando. Kate arqueava o corpo gemendo. A boca de Castle lambia a tequila sobre o estômago agora. Ela segurava os lençóis. 
Castle voltou a fita-la. 
— Então, Nikki… o que você quer? 
— Quero você…
Ele a surpreendeu penetrando-a de uma vez. Afundou-se dentro do centro úmido de Beckett. Movimentava-se com precisão e agilidade. Sentiu as pernas dela o envolver querendo manter o contato. Apertando seu corpo contra o dela. Queria mais, muito mais. Faziam a dança juntos. Em sincronia. As vezes, um beijo era roubado. Um pescoço mordiscado. O ritmo se intensificou e ambos podiam sentir o orgasmo chegando. Quando Castle deu uma ultima estocada se aprofundando mais e mais dentro dela, Kate gritou e o clímax atingiu aos dois. 
Sentir. O corpo falava por si só. Prazer. Loucura. Amor. 
Foram necessários alguns minutos para que ambos estivessem recuperados. Castle saiu de cima dela, esparramando-se na cama. Beckett aconchegou-se em seu peito. Suspirou. 
— Castle? 
— Hum… - acariciou os cabelos dela - satisfeita, Nikki? Quer mais tequila? - Beckett pegou a garrafa virou o bico com dosador na boca. Ofereceu a ele. Castle também deixou a bebida descer queimando a garganta. 
— O que você acha, Castle, fizemos melhor que Nikki e Rook? 
— Muito melhor… - ele a puxou em um beijo apaixonado - acho que a pagina 105 será apenas um rascunho agora, acabamos de produzir a obra-prima - ela riu - e Kate? 
— Hum? 
— Pode me surpreender com essas ideias sempre que quiser. Minha musa nunca decepciona. Não é a toa que Nikki Heat é esse furacão. A criatura foi muito bem inspirada na mulher real. Mas não troco a original por nada. 
— O escritor pode ter seus méritos, seus créditos pela imaginação. Porém, a musa é a dona do sex appeal - ela beijou o peito dele, roçou os dentes na pele. 
— Não posso discordar… 
— Cas? Acha que pode satisfazer a Kate? Podemos fazer amor agora? Devagar… 
— É claro que sim, tudo o que você quiser, Kate - ele sorveu seus lábios em um beijo apaixonada. O quarto escuro era iluminado apenas pela luz da lua que refletia a sombra dos corpos dos amantes entregues ao prazer, ao toque, ao amor. 


THE END



6 comentários:

cleotavares disse...

Ui ui! É muito sal pra uma hipertensa. hahahahhaha! Haet! heat!

Géssica Nascimento disse...

Rapaz, minha pressão está nas alturas!! Aff Maria!!

marta santos disse...

Que tiro foi esseeeeeee ? Perai que minha respiração falhou , as pernas tremeram, o coração acelerou ... omg!!! Vou ali , rescuperar o fôlego .

Obrigada Kah ��

Naomi yajima disse...

Gente se essa escritora publicar um livro tenha certeza que eu compro

rita disse...

Tanto sal e outras movimentos assim fizeram minha pressão aumentar! Maravilhoso capítulo. Abraços.

Silma disse...

A sensação térmica aumentou demasiadamente aqui 🔥Que fogo esses dois tem 😏
Extremamente agradecida por esse capítulo cheio de orgasmos múltiplos!